Olhar Direto

Quarta-feira, 21 de abril de 2021

Notícias / Cidades

comportamento violento

Criança de 12 anos tenta matar a própria mãe a facada para religar internet de casa

Da Redação - Fabiana Mendes

04 Mar 2021 - 16:27

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Criança de 12 anos tenta matar a própria mãe a facada para religar internet de casa
Uma criança de 12 anos tentou matar a própria mãe a facadas depois que ela se recusou a ligar a internet da casa. O episódio foi registrado na última sexta-feira (23), no bairro Cristino Cortes, na cidade de Barra do Garças (518 km de Cuiabá).

Leia mais:
Vítima de assalto no Bairro Popular é esposa de deputado e está grávida; Hilux já atravessou fronteira

A mãe da menina, que tem 30 anos, contou que vem se desentendo com a filha há vários meses tendo em vista que o pai dela não é presente, e que ela é a responsável por educação e sustento da garota.

Ainda conforme a mãe, há alguns meses a filha começou a apresentar comportamento incoerente para sua idade, inclusive teria sido flagrada enviando fotos sem roupas para pessoas estranhas da internet.

Ao repreender a atitude da filha e tirar o aparelho internet, a garota teria demonstrado comportamento agressivo contra a mãe e contra sua própria vida. Contudo, na noite do dia 25 de fevereiro, ao ser proibida de acessar a internet, quebrou toda residência e se recusou a ir dormir.

Já no dia 26 de fevereiro, por volta de 10h, a garota pediu o cabo do modem da internet para a mãe, que não entregou. Com isso, a menina teria tido um surto psicótico, pegou uma faca e atacou a mãe, que correu para o quarto e se trancou.  

A garota então começou a furar o lado de fora da porta com a faca, gritando as seguintes frases: “Sai para fora que eu vou te matar”; “Uma hora você vai sair e eu te pego”.

A mãe ficou trancada no cômodo e acionou a Polícia Militar. Quando os militares chegaram no local, encontraram a criança sentada no chão, chorando e a faca estava em cima da mesa.

Os policiais então levaram a menina para a viatura e posteriormente para a Delegacia Especializada do Adolescente (Dea). O Conselho Tutelar também acompanhou o caso.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet