Olhar Direto

Sexta-feira, 07 de maio de 2021

Notícias | Política BR

Postura inadequada

Fávaro afirma que Bolsonaro “afronta” Poderes ao pressionar por impeachment de ministros do STF

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Fávaro afirma que Bolsonaro “afronta” Poderes ao pressionar por impeachment de ministros do STF
O senador Carlos Fávaro (PSD) tratou como “inadequado” a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que cobrou publicamente a abertura de um processo de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com o parlamentar, tal posicionamento não cabe ao chefe do Executivo federal.

Leia também:
Governador veta lei que proibiria corte de energia em Mato Grosso por 90 dias

“Acho inadequado. Como chefe maior da nação deveria pregar a harmonia entre os poderes. Propagar isso publicamente é fazer uma afronta aos poderes. Se tem um ministro do Supremo cometendo ato de ilicitude, há os caminhos legais para ser instalado o processo de impeachment, que é via Congresso Nacional e não fomentado pelo presidente”, declarou.

A cobrança de Bolsonaro foi reforçada em conversa telefônica gravada com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), sobre a instalação da CPI da Pandemia, ordenada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em um trecho do diálogo, o presidente sugere fazer pressão sobre o Supremo com pedidos impeachment contra ministros. Na opinião de Bolsonaro, a investida poderia enfraquecer a CPI que irá investigar erros no combate à pandemia.

Sobre o vazamento da conversa pelo próprio Kajuru, Fávaro afirma que o colega deve ser punido, já que está errado ao gravar e divulgar uma conversa com o presidente. O senador foi representado no Conselho de Ética do Senado pelo filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

“O clima não é bom. Achei no mínimo inadequado gravar autoridade máxima do país, sem o seu consentimento e o que é pior, divulgar. Isso não faz bem no momento em que deveríamos estar todos unidos no enfrentamento à pandemia. Acho que sim (deve ser punido). Não é um ato legal, de compostura com o cargo de presidente”, declarou.

“Vejo os projetos de lei que estão sendo criados para facilitar esse enfrentamento, mas paralelo a isso tem uma ânsia de se criar discussões desnecessárias, que não faz bem para a República”, completou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet