Olhar Direto

Domingo, 09 de maio de 2021

Notícias | Cidades

ANO CONTURBADO

Notre Dame comemora 1ª e 18ª colocação de alunas no curso de Medicina da UFMT

Foto: Assessoria

À esquerda, Esther Grzesiuk, à direita, Giovanna Guedes Barbosa.

À esquerda, Esther Grzesiuk, à direita, Giovanna Guedes Barbosa.

Com a divulgação dos aprovados no Sistema de Seleção Unificada, nesta sexta-feira (16), o Colégio Notre Dame de Lourdes comemorou a colocação de duas de suas alunas. No curso de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Esther Grzesiuk ocupou a 1ª colocação e Giovanna Guedes Barbosa o 18ª posto pela disputa de uma vaga.

Leia também:
Colégio Notre Dame de Lourdes completa 50 anos de fundação e tradição educacional

A notícia foi celebrada por Dilsane Demogalski, coordenadora do 9º Ano do Ensino Médio, que disse que além da felicidade da realização do desejo desses alunos, é gratificante para os familiares, que investiram em sua educação. “Além disso, por meio do resultado, obtemos um parâmetro de avaliação do nosso trabalho. Um trabalho de qualidade, cultivado ao longo de muitos anos. O número de aprovados confirma isso”, comentou.

A coordenadora observou que diante de um ano com tantos desafios, as aulas remotas, distanciamento do colégio, dos colegas, professores, jamais foram empecilho para os alunos e muito menos para os profissionais que os acompanharam com muita dedicação e empenho.

“Reforçamos a rotina de estudos dos alunos, foram muitos diálogos, companheirismo e esforço dobrado, o que contribuiu muito para a aprovação deles”.

Outro aspecto apontado pela coordenadora foi a bagagem educacional desses estudantes, que pode ser constatada não só no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas também nos seus resultados alcançados nos vestibulares de diversas universidades, entre elas a UFMT e outras faculdades importantes do Brasil. “Uma educação para a vida", completa a coordenadora.

Pais vivem misto de emoções



Os pais de Esther, Andreia Kuntz Grzesiuk de Carvalho e Jacio de Andrade Carvalho receberam com grande alegria o resultado. Andreia conta que a filha entrou no Notre Dame com 2 anos e 4 meses, e não demorou a falar que estava cansada de ver cores e queria aprender letras e números, demonstrando a tônica que guiaria seus estudos, na busca pelo conhecimento.

“Assim, após conversarmos com a Coordenação da Educação Infantil e a Diretora da Escola, Irmã Marluce, com toda a cautela, decidimos adiantá-la, iniciando a caminhada do seu aprendizado, a qual foi trilhada com comprometimento e muita dedicação”, relata.

Andreia fala sobre a aprovação da filha. “Neste momento, ao vermos nossa filha finalizar o Ensino Médio e ser aprovada para o curso de Medicina, na nossa UFMT, em meio a Pandemia do COVID-19, vivemos um misto de emoções: alegria, orgulho, alívio, e principalmente gratidão”.

A mãe de Esther agradece a Deus. “Ele nos permitiu viver este momento de acordo com a vontade Dele, à família que sempre apoiou a Esther de todas as formas, e à Escola, pois o empenho da direção e em especial dos professores, que em meio a tantas incertezas e desafios, não pouparam esforços em ser um porto seguro para seus alunos, e de forma incansável, buscaram sustentar o ânimo deles, como preconizou Santa Emilie de Vileneuve”, disse.

Foco mesmo na pandemia



Os pais de Giovanna Guedes Barbosa, Lúcio Silveira Barbosa e Vanesca Severino Guedes Barbosa, lembram que a filha estuda no Notre Dame desde a educação infantil. Seu pai relata que durante estes 14 anos a filha viveu intensamente cada momento que passou na escola, além de sempre participar das atividades extra curriculares com bastante dedicação.

A família conta que a estudante tinha em mente duas carreiras, mas no início do Ensino Médio participou de uma oficina de profissões promovida pelo Notre Dame e desde então escolheu Medicina.

Segundo Lúcio, Giovanna desde pequena foi focada e dedicada aos estudos e nem mesmo a pandemia conseguiu tirar sua atenção do seu objetivo. O pai reconhece que uma aprovação em um curso concorrido requer uma preparação prévia tanto na área acadêmica como na área emocional.

“Ela se preparou por anos para este momento, e ele chegou. Eu e minha esposa temos um sentimento de gratidão com o Notre Dame. A escola representada pelo seu corpo de coordenadores, professores e demais colaboradores foram fundamentais para a formação acadêmica, moral e emocional de nossa filha. Eles estarão para sempre em nossos corações. Hoje é um grande dia, para vocês nossos eternos alunos azuis e para todos nós, que acompanhamos toda a trajetória e esforço de cada um para chegar até aqui”, comemora. 

(Com assessoria).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet