Olhar Direto

Terça-feira, 15 de junho de 2021

Notícias | Cidades

​EXPLORAÇÃO DE MINÉRIOS

Operação desarticula grupo que usava licença falsa para montar garimpo ilegal e 30 envolvidos são detidos

Foto: Reprodução

Operação desarticula grupo que usava licença falsa para montar garimpo ilegal e 30 envolvidos são detidos
Uma operação conjunta da Polícia Civil e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (06) para desarticular a atuação de grupo envolvido com crime ambiental de exploração de minérios na região de Nova Lacerda. A ação resultou na apreensão de diversos maquinários e mais de 30 pessoas conduzidas à delegacia. O material apreendido na operação ainda está sendo contabilizado pelas equipes.
 
Leia mais:
Motoristas de ônibus de VG estudam paralisar atividades caso não sejam vacinados
 
A operação deflagrada pela Delegacia de Comodoro em parceria com a Sema conta com a participação das equipes da Delegacia Especializada de Meio Ambiente (Dema), Gerência de Operações Especiais (GOE), policiais das Delegacias de Pontes e Lacerda, Vila Bela da Santíssima Trindade, Campos de Júlio, além do apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPaer).
 
As investigações iniciaram após a Polícia Civil de Comodoro receber informações de que algumas pessoas estavam utilizando uma licença de exploração falsa, que deveria ser emitida pela Sema, para iniciar a exploração do solo de uma região na zona rural de Nova Lacerda.
 
Em posse da licença falsa, os suspeitos chegaram a fechar um contrato com o proprietário da terra e já estavam atuando com a exploração da vegetação, modificação do solo, jogando detritos e fazendo a exploração de minérios, através da atividade de garimpo ilegal.
 
Com base nas informações, as equipes da Polícia Civil de Comodoro e Vila Bela da Santíssima Trindade iniciaram as investigações, conseguindo junto a Sema um despacho da secretaria com elementos que identificam que a licença de operação apresentada pelos suspeitos é falsa. Entre os ítens apontados estão data, assinatura e alguns elementos específicos que comprovam a falsificação do documento.
 
Dando continuidade as investigações, os policiais iniciaram os trabalhos de campo, sendo determinado que as equipes fizessem o levantamento de área, sendo identificado três principais pontos em que o grupo mais se concentra. Nos locais de atuação dos suspeitos, foi identificada a presença de maquinários, pás carregadeiras, caminhonetes, bombas d’água e ferramentas.
 
O delegado responsável pela investigação, João Paulo Berté, em consulta junto ao setor específico da Sema que mexe com a parte mineral, foi novamente confirmado que não existe licença para exploração do local onde foi feito o levantamento.
 
“Desta forma fica caracterizado que todas as pessoas que estão na área, atuando com a exploração mineral e vegetal, estão em situação de flagrante de crime ambiental que está ocorrendo na região”, destacou.
 
Mais de 30 pessoas foram conduzidas para a Delegacia de Comodoro para prestar esclarecimentos sobre os fatos e responderão por crime ambiental.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet