Olhar Direto

Quinta-feira, 05 de agosto de 2021

Notícias | Política MT

segunda dose

Governo Federal não prevê entrega de Coronavac a MT e Mauro diz que critério é técnico

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Governo Federal não prevê entrega de Coronavac a MT e Mauro diz que critério é técnico
O Ministério da Saúde definiu, em sua 20ª pauta de distribuição do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, que nenhuma dose de Coronavac, do Instituto Butatan, será entregue a Mato Grosso para cobertura de segunda dose. No total, serão 1.084.850 milhões de doses distribuídas a outros estados.

Leia também:
Prefeitura abre pré-cadastro para pessoas de 30 a 39 anos com comorbidades e avançará em vacinação por idade

Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), o critério do Ministério é técnico. “Isso é um critério técnico, eu não posso responder aqui baseado em achismo, existe um critério, uma métrica nacional pelo PNI de distribuição dessas doses, houve uma orientação passada pelo Ministério de aplicar a primeira dose, então você tem que fazer as contas com diversas planilhas, para saber se tem alguma coisa errada ou não”, afirmou o governador na tarde desta segunda-feira (17).

A assessoria de imprens do Governo do Estado divulgou que Mato Grosso receberá nesta terça-feira (18) 90.800 doses da AstraZeneca, que devem chegar no período da manhã, e 9.360 doses da vacina Pfizer, que chegarão à tarde. Realmente não estão previstas entregas de Coronavac.

Segundo a nota do Ministério, “Todo o residual pendente de D2, apresentado por 12 Estados, foi atendido nesta Pauta 20” e “Os 15 estados que não possuíam mais pendências para conclusão do esquema foram atendidos com percentual de D1 da AstraZeneca/Fiocruz para compensação”. Ou seja, quinze estados não estariam com déficit na aplicação da segunda dose da Coronavac, incluindo Mato Grosso.

“Esclarece-se que o Ministério da Saúde, cumprindo com seu compromisso com a população brasileira, atendeu o quantitativo total de D2 [dose 2] solicitadas pelos estados, independentemente do planejamento proposto e cumprido por esse Ministério da Saúde (MS). Informa-se que é responsabilidade dos gestores as manifestações exaradas nas [Comissão Intergestores Bipartite] CIB. Ações de descumprimento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO) NÃO SERÃO REPARADAS PELO MS, uma vez que prejudicam a ordem nacional voltada à interrupção da pandemia”, conclui a nota. Acesse o documento AQUI

Comentários no Facebook

Sitevip Internet