Olhar Direto

Quarta-feira, 23 de junho de 2021

Notícias | Política MT

OVERPRICED

Delegado que cumpriu mandados em operação diz que investigação aponta compra de medicamento com até 90% de sobrepreço

Foto: Rogério Florentino Pereira - Olhar Direto

Delegado que cumpriu mandados em operação diz que investigação aponta compra de medicamento com até 90% de sobrepreço
O delegado de Polícia Civil Eduardo Botelho, que cumpriu as ordens judiciais nesta quinta-feira (10) durante a segunda fase da Operação Overpriced, comentou que após auditoria do Departamento Nacional de Auditoria do SUS, foi descoberto que alguns medicamentos eram comprados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) com até 90% de sobrepreço. 

Leia mais:
Operação da Deccor e Gaeco mira servidores e empresas investigadas em compra de medicamentos durante a pandemia

A Polícia Civil com auxílio do Ministério Público e o Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) também descobriu que medicamentos eram comprados em grandes proporções, o que poderia fazer com que o estoque vencesse antes de ser utilizado e que a dispensa de licitação era feita nos mesmos moldes utilizados para compra de medicamentos para a Covid-19. Mas estes não tinham a mesma finalidade.
 
"O trabalho foi feito após a auditoria do Denasus. Ficou constatado através dela que a SMS adquiriu medicação além da necessária, possibilitando vencimento da medicação antes da utilização, aquisição de medicação com sobrepreço de até 90% e medicamento não utilizada no combate a pandemia baseada em dispensa publicada para aquisição da medicação de combate a Covid. Por conta da investigação estar sob sigilo eu não posso nominar qual medicação foi comprada com sobrepreço", disse o delegado ao Olhar Direto.

Questionado se essa operação tem alguma ligação com a CPI dos medicamentos que está em curso na Câmara Municipal de Cuiabá, o delegado acredita que não. "Não há uma ligação direta, mas quando você adquire um medicamento maior, isso acarreta em grave caso de uso de dinheiro público em vão. A auditoria não constatou um direcionamento de licitação para algumas empresas", pontuou. 

O delegado também explica que novos depoimentos serão tomados e que hoje, na segunda fase da operação, houve novas notificações. "A prefeitura foi notificada para que ela imediatamente suspenda o pagamento para as empresas envolvidas. Houve uma indicação cautelar para que elas fossem afastadas.  Algumas oitivas estão pendentes e após essas oitivas a investigação será concluída. O trabalho de hoje é para ratificar o que já foi descoberto. prejuízo mínimo é de pouco mais de R$ 2 milhões, mas nada impede que nas oitivas pendentes sejam descobertas mais desvios. Não podemos dizer quantas e quais empresas são", concluiu o delegado que atuou pela Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor).  

Outro lado

A prefeitura de Cuiabá esclareceu nesta quinta-feira (10) que pagamentos a empresa V.P. medicamentos, alvo da Operação Overpriced, estão suspensos desde 2020. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou ainda que segue contribuindo com os órgãos investigadores e da Justiça. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet