Olhar Direto

Sábado, 25 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

ALIMENTAÇÃO AOS ALUNOS

Botelho diz que governador foi orientado a judicializar lei da merenda escolar mas garante que AL vai recorrer

03 Ago 2021 - 08:42

Do Local - Airton Marques / Da Redação - Max Aguiar

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Botelho diz que governador foi orientado a judicializar lei da merenda escolar mas garante que AL vai recorrer
O deputado Eduardo Botelho (DEM), primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, disse que conversou com o governador Mauro Mendes (DEM) sobre ele ter judicializado a questão do fornecimento de lanches para alunos da rede pública estadual antes do início das aulas em escolas estaduais. Segundo Botelho, o governador foi orientado pela Procuradoria Geral do Estado e também pelo secretário Alan Porto a entrar na justiça, para evitar problemas nas unidades. 

Leia mais:
Desembargador defere liminar e livra Governo de obrigatoriedade de fornecer lanches nas escolas

"Conversei com ele [Mauro Mendes] sobre isso. Ele está sendo pautado pela Procuradoria que orientou ele a recorrer disso e também do secretário de Educação [Alan Porto] que acha que terá muita dificuldade nas escolas. Então é um direito dele entrar e vamos colocar a Procuradoria da AL para defender e vamos aguardar a decisão da Justiça", disse o deputado nesta segunda-feira (2), antes de reunião do Democratas, em Cuiabá. 

O projeto foi derrubado em decisão judicial proferida pelo desembargador José Zuquim Nogueira, do Tribunal de Justiça, que deferiu, na última sexta-feira (30), a liminar proposta pelo Governo do Estado de Mato Grosso, para suspender os efeitos da Lei Estadual nº 11.415/2021, que obrigava o Estado a fornecer lanches nas escolas estaduais após o retorno das aulas presenciais, agendadas para a próxima terça-feira (3).

O Governo do Estado entrou com Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) após a lei ter sido aprovada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). O desembargador entendeu que a lei é inconstitucional, conforme decisão. Para Botelho, o governador usou o Tribunal de Justiça porque se ele vetasse, o veto seria derrubado pelo Plenário da Assembleia Legislativa.

"Ele sancionou para não voltar para a AL porque se voltasse, a AL derrubaria o veto. É uma questão lógica essa questão de dar o lanche para as crianças que vão pra escola passando fome e que não têm o que comer em casa, eu acho que é uma questão social. Pode ser que tenha dificuldade, mas é uma ação necessária dentro do estado, pois quem estuda em escola pública a maioria é pessoa carente, então é de muita valia esse lanche", comentou.

Por último, Botelho garantiu que apesar das dificuldades, o governador poderia ter conversado com a Casa de Leis antes de judicializar a pauta. Por isso, eles vão lutar até a última instância para garantir o direito do lanche aos alunos.

"Além da questão legal, o governador alegou essa questão da dificuldade de operacionalizar o lanche ou almoço nas escolas que não estão preparadas. Poderíamos discutir e alinhar isso, mas acredito que vamos ganhar isso na Justiça. Temos recurso para discutir isso no STF, na Câmara. Vamos recorrer em todas as instâncias", concluiu. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet