Olhar Direto

Domingo, 19 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

discussão no plenário

Cattani apresenta moção contra Rosa Neide, mas é rechaçado por deputados; Lúdio lembra morte de Fávero: ‘honre seu mandato’

Foto: Assessoria

Cattani apresenta moção contra Rosa Neide, mas é rechaçado por deputados; Lúdio lembra morte de Fávero: ‘honre seu mandato’
Moção de repúdio proposta pelo deputado Gilberto Cattani (PSL) contra a deputada federal Rosa Neide (PT) causou revolta e duras criticas de parlamentares, durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa (ALMT), nesta quarta-feira (04). O pedido acabou sendo reprovado por 11 votos – apenas três deputados foram favoráveis.

Leia também:
Max afirma que meta é enviar projetos sobre desconto de aposentados para sanção já na segunda-feira: “nem que precise realizar sessão sábado e domingo”

O pedido da moção de repúdio foi motivado por discurso feito pela petista, no Plenário da Câmara Federal, nesta semana. Durante a sessão, Rosa Neide criticou duramente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que estaria divulgando fake news contra as urnas eletrônicas e denunciando, mesmo sem qualquer prova, a existência de fraudes nas eleições. Ressaltando a abertura de inquérito contra o presidente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a parlamentar criticou a Câmara e disse que o Senado, com a CPI da Covid, e o Poder Judiciário, estão tentando frear as “loucuras do presidente”.

Ao apresentar o ato contra a deputada, Cattani, que foi acionado no Conselho de Ética por publicação homofóbica em suas redes sociais, citou as manifestações de apoiadores do presidente realizadas em Cuiabá e diversas outras cidades no domingo (01).

Honre a memória do deputado Silvio Fávero e pare de ficar apresentando essas moções ridículas que o senhor apresenta

“Dizer que nosso presidente está mentindo ou que seja um louco por defender isso, faz com que a nobre deputada esteja equivocada. Gostaríamos muito de ouvir da deputada federal, como uma representante feminina, defendendo, por exemplo, agressões a mulheres no nosso estado, o que vem acontecendo veementemente, inclusive por grandes autoridades. Defender aqui a questão da mulher. Esperamos isso. Não fazendo ilações no Congresso, mas defendendo a sua classe”, disse, durante a tribuna.

Antes da votação, no entanto, vários deputados criticaram a proposta e saíram em defesa da parlamentar. Lúdio Cabral (PT) foi o mais duro em suas palavras. Começou dizendo que concorda com o posicionamento da correligionária.

“Pare de ocupar o tempo do senhor com algo que não é produtivo, por favor. Em relação ao que a deputada disse, ela está coberta de razão. O atual presidente da República é mitomaniaco, mentiroso compulsivo, patológico. É assim que ele se comporta. E ai o senhor vai apresentar moção de repúdio aqui na Assembleia contra o que estou dizendo? É antiproducente fazer esse tipo de debate. Nós nos esforçamos para ocupar nosso tempo para debater os problemas de Mato Grosso. É para isso que fomos eleitos”, afirmou.

“Não fomos eleitos para ficar produzindo fake news, criar fatos que não tem sentido nenhum, apenas para alimentar a base do bolsonarismo no estado. Eles vivem de grupos de WhatsApp, espalhando mentiras. Vivem praticando o ódio, contra a diversidade, em especial a de gênero e raça. Essa live do presidente foi mentira do começo ao fim, requentado fake news e teorias da conspiração, tudo para alimentar a base deles”, completou.
 
Por fim, o petista lembrou que Cattani assumiu a vaga deixada por Sílvio Fávero, que faleceu em março, por complicações da Covid-19. “Aproveite a oportunidade que Deus te deu, infelizmente depois de termos perdido nosso colega Sílvio Fávero, para fazer o que presta. Nós perdemos um colega que tinha a mesma posição ideológica que você, mas tínhamos uma relação de respeito. Honre a memória do deputado Silvio Fávero e pare de ficar apresentando essas moções ridículas que o senhor apresenta. Gostaria de não estar dizendo isso aqui, mas chega uma hora que a paciência esgota. Honre com o mandato que o senhor tem. Não com esse tipo de maldade, com esse tipo de coisa pequena”.


Presidente regional do PT, Valdir Barranco destacou a trajetória da parlamentar e questionou quem defende o voto impresso. “A deputada chegou ao Mato Grosso vindo da Bahia com muita dificuldade. E com 17 anos de idade já era professora da atenção básica. É professora e autoridade da educação reconhecida no Brasil toda. Ela tem uma história que nos permite respeitá-la. Essa história do voto impresso não dá pra acreditar. Como alguém tem coragem de dizer que voto impresso é mais seguro que a urna eletrônica?!”.

Presidente regional do PDT, Allan Kardec também criticou a propositura e questionou o fato de moções similares não terem sido apresentadas contra deputados que fizeram ataques ao Bispo Emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), Dom Pedro Casaldáliga, e a petistas.

“Hoje é uma das que mais investe recursos federais dentro da Secretaria de Agricultura Familiar. Aprovar uma moção de repúdio contra uma mulher da envergadura de Rosa Neide, a única eleita nesse estado conservador é uma vergonha para o Parlamento. A gente ouve deputado federal Nelson Barbudo (PSL), no dia da morte de Dom Pedro Casaldáliga, dizer que ele vai amanhecer no inferno, um criminoso desse, e nenhum deputado veio aqui pedir moção de repudio contra Barbudo. A gente ouve o deputado federal José Medeiros (Podemos) falar que deveria ter morrido alguns petistas na pandemia, ninguém apresenta moção de repúdio. Temos que respeitar, inclusive quando falam besteira. A deputada não faz isso, é uma guerreira”, disparou.

O primeiro-secretário, Eduardo Botelho (DEM), também subiu na tribuna para comentar a proposta, também avaliou discussão como perda de tempo e pediu que os colegas reprovassem a propositura. No mesmo sentido, Wilson Santos (PSDB) voltou a destacar a importância do trabalho de Rosa Neide.

“Tenho todo o respeito ao colega Cattani, que veio de setores populares, mas quero deixar meu testemunho em relação a vida de Rosa Neide, professorinha do interiorzinho de Mato Grosso. Nem ela imaginava que um dia sairia lá do chão da escola, como uma professorinha e fosse secretária de estado de Educação e deputada federal. Então, Cattani, darei meu voto contrário. Conheço a deputada, uma lutadora. Se o senhor ouvir a Voz do Brasil, ela é a parlamentar do Centro-Oeste que mais utiliza a tribuna da Câmara Federal. Todos os dias ouço a Rosa Neide. Representa bem a mulher brasileira e vi algumas pesquisas, vai ser reeleito com certa facilidade, vai ter mais votos do que quando foi eleita”, pontuou.

Alguns deputados, como Delegado Claudinei (PSL) e Xuxu Dal Molin (PSC) saíram em defesa de Cattani. No entanto, a proposta acabou recebendo apenas três votos favoráveis. No fim do debate, o deputado rebateu as críticas e disse que a moção não era contra a deputada, mas um repúdio a fala específica de Rosa Neide.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet