Olhar Direto

Segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Notícias | Política MT

sessão na AL

Com imbróglio sobre aumentos de salário, votação da LDO pode ser adiada novamente por ‘acordo’ entre deputados

09 Set 2021 - 10:33

Da Redação - Isabela Mercuri / Do local - Max Aguiar

Foto: Olhar Direto

Com imbróglio sobre aumentos de salário, votação da LDO pode ser adiada novamente por ‘acordo’ entre deputados
A votação do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que estava prevista para esta quinta-feira (9), pode não acontecer mais uma vez. Isso porque os parlamentares tentam entrar num acordo para conseguir articular melhor a votação de suas emendas, principalmente as de aumento salarial para algumas categorias.

Leia também:
Governo reúne parte da base para tratar da LDO, discute RGA e não libera voto para aumento salarial da polícia penal

O deputado João Batista (PROS), por exemplo, é um dos que tentam aprovar o aumento, em seu caso dos policiais penais, categoria que representa. Segundo o parlamentar, a base do governo foi orientada pelo governador Mauro Mendes (DEM) a não aceitar esta emenda e nenhuma outra que trate de aumento real a categorias.

“Segundo o próprio governo, algumas categorias, inclusive, estão com salário lá em cima e outros lá embaixo, então ficaria injusto com aquelas que ganham menos, mas quem sabe a partir do ano que vem possa ter espaço sim para discutir ganho real com aquelas que estiverem mais defasadas”, contou o deputado nesta quinta-feira (9), antes da sessão.

Segundo João, a PLDO estava na pauta para ser votada nesta quinta-feira, mas uma conversa entre os deputados pode adiá-la. Representantes classistas estão no auditório da Assembleia Legislativa aguardando esta votação, mas Batista acredita que é necessário mais diálogo.

“Essa não votação hoje nem é uma questão do governo, foi um combinado dos próprios parlamentares, porque nem todos vão estar na casa, alguns querem, inclusive, tentar trabalhar algumas emendas que não podem ser mais individuais, mas devem ser feitas com lideranças, então eu, particularmente, não vejo prejuízo, vejo como espaço maior para que os parlamentares possam articular mais coisas”, explicou Batista.

Segundo João, se as emendas fossem votadas nesta quinta-feira (9), o aumento salarial aos policiais penais não seria aprovado. “Se não tivermos os votos da base do governo, não tem como aprovar. A oposição são apenas seis deputados, e a gente precisa de maioria simples. Então por exemplo, se tiver 24 deputados na casa a gente vai precisar de 13 votos”, explicou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet