Olhar Direto

Terça-feira, 21 de setembro de 2021

Notícias | Cidades

Grampo

“Isso ainda vai sobrar pra mim”: veja trechos de conversas entre mulher que mandou matar marido e amante

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

“Isso ainda vai sobrar pra mim”: veja trechos de conversas entre mulher que mandou matar marido e amante
Interceptações telefônicas realizadas durante as investigações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) mostram as conversas que Ana Cláudia Flor, presa acusada de mandar matar o marido, o empresário Toni da Silva Flor, de 38 anos, no dia 11 de agosto de 2020, em frente a uma academia de Cuiabá, manteve com um amante antes e após a morte da vítima. Em uma delas, após o homem prestar depoimento, ela diz: “isso ainda vai sobrar pra mim”. Em outra, fala que ela está diferente e que “se alguém souber, vou presa”.

Leia mais:
Irmão de manicure foi amante de empresária que mandou matar marido na porta de academia, aponta polícia
 
Olhar Direto obteve acesso a trechos das interceptações telefônicas, que apontam um vínculo amoroso antigo entre Ana Cláudia e K.F..S.S..
 
Em uma conversa, em outubro de 2020, Ana Cláudia fala com K.F.S.S., onde se justifica dizendo que se envolveu com alguém, após a separação turbulenta, apenas para superar um momento difícil que passava, mas que na verdade sempre quis ficar com ele e que renuncia ao amor entre eles para não prejudicá-lo com sua família.
 
Ana Cláudia – Não vale a pena, é uma pessoa, não vai dar certo, sabe que não vai. Foi bom, foi um namorinho bom, mas sabia que iria passar, tanto é que, olha, vou falar de você, você falou assim, olha, estava separado, mas não senti vontade, agora com você é diferente, não estava afim, não queria. Se naquela época você quisesse, eu limpei sua barra, mulher nenhuma fazia.

K.F. – Eu sei

Ana Cláudia – Você acha que isso não é amor? Eu renunciei você para não prejudicar você, para não destruir sua família, eu renunciei. Fiquei muito tempo, tanto que minha vida virou um inferno com Toni. Toda hora jogava na minha cara, foram três anos de inferno na minha vida.

K.F. – Mas você falou a verdade, renunciou e falou a verdade

Ana Cláudia – Como assim?

K.F. – Você não falou a verdade para ele?

Ana Cláudia – Para ele?

K.F. – É!

Ana Cláudia – Eu falei para ele que eu estava atrás dele, eu queria, não ele atrás de mim

K.F. – Estava mentindo?

Ana Cláudia – Não, mas você estava atrás de mim!

K.F. – Não, você não falou nenhuma mentira

Ana Cláudia – Não, claro que não. Se tivesse falado que você tivesse vindo atrás, acho que não estava vivo naquela época. Ele estava só esperando falar, fala Ana, eu disse: não vou falar.

 
Depois, Ana Cláudia – em outra conversa com esse antigo amante – afirma que não quer ficar com ninguém e que está “de boa”.
 
Ana Cláudia – Mas porque todo mundo acha que tenho que ter alguém, pelo amor de Deus, estou de boa, pensa numa pessoa que está de boa, sou eu!

K.F. – Por isso mesmo que eu estou falando, eu sei um pouquinho da sua vida, não sei muito, mas eu sei, você tá tranquila.

 
Em junho deste ano, ainda em conversa com o K., Ana Cláudia mostra que sabe da intimação do amante para ir até a delegacia prestar um depoimento e fica surpresa ao saber que era relacionado ao caso de Toni.
 
Ana Cláudia – Está por onde?

K.F. – estou na delegacia

Ana Cláudia – O que era o negócio?

K.F. – Do Toni!

Ana Cláudia – Sério?

K.F. – Vou ver o que é, depois te falo

Ana Cláudia – Tá bom

 
No mesmo dia, só que no fim da tarde, os dois voltam a falar sobre o depoimento do antigo amante. Ele então cita que foi questionado sobre um BO de ameaça feito contra o empresário. Ana Cláudia então diz que “isso vai sobrar pra mim” e termina dizendo que K.F. continua causando problemas a ela.
 
Ana Cláudia – Eae, como que foi lá?

K.F. – Ah, embaçado esse trem aí, vote, Deus me livre guarde!

Ana Cláudia – Fez pergunta?

K.F. – Bastante. Perguntou de você e de mim, porque eu registrei o BO!

Ana Cláudia – Ah, você registrou o BO, porque eu perguntei porque iria chamar você, então levanta tudo, você tem um BO contra ele, é isso?

K.F. – Tem!

Ana Cláudia – (risos) é doido, porque fez gente?

K.F. – Porque ele falava que, perguntou porque, ela mandou mensagem. Ele pegou a mensagem, ela confirmou que ela mandou a mensagem, ai que ele não gostou mesmo.

Ana Cláudia – Isso vai sobrar pra mim!

K.F. – No mínimo

Ana Cláudia – Você causando problema de novo!

K.F. – eu? Sai fora

Ana Cláudia – Você que registrou o boletim uai

K.F. – Eu registrei. Ele ficava enchendo o saco lá, uai... hoje em dia não tem mais nada não!

Ana Cláudia – Só o que me faltava...

 
Em agosto, K.F. liga para Ana Cláudia, com intuito de visitá-la em sua casa, no condomínio onde mora. O encontro aconteceu, como mostram imagens da câmera de segurança do residencial, que flagraram a entrada do antigo amante.
 
K.F. – Já saiu?

Ana Cláudia – Não, estou te esperando

K.F. – Quer que eu leve o que?

Ana Cláudia – Nada, só você!

K.F. – pão de queijo?

Ana Cláudia – Não, só você ta bom (risos)

 
Três dias depois, Ana Cláudia paquera com o antigo amante no telefone, que se demonstra verdadeiramente apaixonado por ela, mesmo estando casado. Ela ainda diz a ele que está diferente e que “se alguém souber, eu vou presa”.
 
K.F. – Eu quero você, cada dia mais apaixonado, você acha que eu vou ficar como?

Ana Cláudia – ual, adorei ouvir isso

K.F. – Como você quer que eu fique?

Ana Cláudia – Han?

K.F. – cada dia mais apaixonado

Ana Cláudia – Maravilha, que bom, não vai se arrepender

K.F. – Assim espero

Ana Cláudia – Está apaixonado pela pessoa certa

K.F. – Eu não duvido

Ana Cláudia – Eu sou diferente, você sabe que eu sou diferente

K.F. – Eu sei

Ana Cláudia – Você que sabe (risos). Se mais alguém souber, eu vou presa. Se mais alguém souber eu vou presa.

K.F. – Eu falo não é por isso

Ana Cláudia – Eu falo por tudo. Não por nada específico. Falando que sou diferente, amando, brigando e até gemendo.

K.F. – Brigando principalmente...


Amantes

As investigações da Polícia Civil apontam que Ana Cláudia Flor teria dois motivos para encomendar a execução dele. 

O primeiro deles o fato de ter muitos amantes e o segundo a intenção de ficar com a herança, uma vez que a vítima possuía uma representação comercial muito forte, abastecendo vários supermercados da cidade, ser financeiramente estável e possuir casa, carro, moto, dinheiro na poupança. O empresário ganhava de R$ 15 a 25 mil por mês.

A manicure Ediane Aprecida Cruz, 21 anos, presa na manhã desta sexta-feira (27) pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) declarou que seu irmão foi amante da mandante do assassinato.

Ao delegado, durante acareação feita na DHPP, a manicure disse que foi responsável por passar o telefone de Wellington Honorio Albino, que teria feito a ponte entre Ana e Igor, Dessa dupla, Igor foi o responsável pelo tiro que matou Toni Flor e Wellington jogou a arma fora, nas imediações do Rio Manso, em Chapada dos Guimarães. 

O crime

Segundo consta, Ana e Toni estavam casados há 15 anos, tendo inclusive três filhas fruto deste relacionamento. Porém, a relação estava deteriorando, por conta de relacionamentos extraconjugais da acusada. Antes de morrer, inclusive, a vítima teria dito para a mulher que queria o divórcio.
 
Inconformada com a separação e querendo ficar com todos os bens do empresário, Ana então começou a bolar um plano para matar o marido. Para tanto, pediu ajuda a sua manicure, Ediane Aparecida da Cruz Silva, que auxiliou na procura por um “matador”.

“Oportunidade em que esta acedeu à macabra solicitação e contactou Wellington Honorio Albino que, por sua vez, com o auxílio de seu amigo Dieliton Mota Da Silva, “terceirizou” o serviço homicida, propondo que a execução do crime fosse perpetrada por Igor Espinosa, que aceitou a tarefa”, diz trecho da denúncia.
 
“Quanto à acusada Ana Cláudia, há que se destacar que o desvalor de sua conduta é flagrantemente grave, já que ordenou a morte do pai de suas três filhas menores, jamais revelando qualquer arrependimento. Neste aspecto, é evidentemente macabra sua conduta de, após o delito por ela mesma planejada em todos os detalhes, ter promovido campanhas em mídias sociais e até eventos públicos onde cobrava justiça pela morte de seu marido”, pontua o promotor na denúncia.
 
O promotor ainda lembra que, durante o andamento do inquérito, foi revelado que Ana Cláudia ainda teria intenção de contratar alguém para matar Igor Espina, com evidente objetivo de evitar que fosse delatada pelo mesmo.
 
Na semana passada, foram decretadas as prisões preventivas de Ana Claudia de Souza Oliveira Flor, Igor Espinosa, Wellington Honorio Albino e Dieliton Mota da Silva.
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet