Olhar Direto

Terça-feira, 21 de setembro de 2021

Notícias | Cidades

Internado em UPA

Mesmo com liminar, trabalhador rural que teve rins paralisados aguarda vaga em hospital para fazer hemodiálise

Foto: Edição/OD

Mesmo com liminar, trabalhador rural que teve rins paralisados aguarda vaga em hospital para fazer hemodiálise
Os familiares de Lázaro Mirando Mafra, de 62 anos, morador da zona rural de Cuiabá, têm enfrentado uma situação angustiante. Internado há mais de uma semana, ele, que sempre trabalhou na roça, teve os rins paralisados e precisa de uma vaga urgente para a realização de procedimento de hemodiálise. 

Leia também:
Promotoria quer saber se UPA direcionou pacientes para rede privada

Uma liminar exigindo do Município e do Estado a disponibilização do leito foi emitida no último sábado (11) pelo Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, porém, até o momento, não foi cumprida. A Prefeitura de Cuiabá, por sua vez, disse que os rins do paciente não estão mais paralisados e que se empenha para conseguir uma vaga e proceder com a transferência. 

“No dia 5 ele falou que fazia dois dias que ele não estava conseguindo ir ao banheiro urinar. Nós levamos ele na UPA [Unidade de Pronto Atendimento] lá do Pascoal Ramos, [porque] nós pensamos que fosse uma infecção de urina. Lá na UPA, o médico deu dipirona pra ele”, explica ao Olhar Direto Maria José, de 52 anos, irmã de Lázaro. 

Segundo ela, naquele dia, o médico também pediu que Lázaro fizesse uma ultrassom para verificar do que se tratava a dificuldade para urinar. No dia 9, ele fez o procedimento em uma clínica popular do Pedra 90, onde foi constatado que não havia nenhum resquício de líquidos em sua bexiga. 

“[Ela] mandou ele procurar um médico especialista em rim. Nós fomos atrás de um urologista, nós conseguimos levar ele lá no São Judas Tadeus. [Ele] passou por esse urologista [que]  falou que ele estava com os dois rins paralisados e que tinha que ser internado imediatamente para fazer hemodiálise porque não tinha nada na bexiga dele”, conta Maria José.

Como não tinham dinheiro para realizar o tratamento da doença renal crônica no hospital particular, a família, então, levou Lázaro até a UPA da Morada do Ouro. Na unidade de saúde, enquanto aguardava por uma para fazer hemodiálise, ele foi encaminhado para a ala de observação e, após pioras consecutivas, para o box de emergência. 

“Não estava tendo vaga e ele começou a piorar, a pressão dele caiu muito, ficou bem baixinha, o coração quase parando, ele tava já entrando em colapso. Pegaram e colocaram [ele] na sala vermelha, lá na no box de emergência. Lá, fizeram os acesso no pescoço dele. [É que] que tá mantendo a pressão dele estável”.

Diante do agravamento do quadro do irmão, Maria José decidiu entrar com uma ação no Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT) para obrigar o município de Cuiabá e/ou o Estado a disponibilizar vaga em um hospital de referência, com tratamento de hemodiálise, cadastrado junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). 

No sábado (11), a decisão foi acatada e o TJMT deu 24 horas para que o Estado e o Município de Cuiabá cumprissem a determinação solicitada pela família. Segundo a família, ainda no mesmo dia, uma vaga teria sido disponibilizada no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, porém, por motivos que a família desconhece, Lázaro não foi transferido. 

“A gente não conseguiu entender porque ele não foi enviado para essa vaga. Quando mudou o plantão já não tinha mais a vaga disponível. Ontem, nós fomos várias vezes lá, tamo aguardando. A gente tá indo pra lá agora pra ver de novo o que vai acontecer de agora pra tarde”, desabafa a irmã temendo o risco de morte do irmão.

O que diz a Prefeitura de Cuiabá

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Prefeitura de Cuiabá, que confirmou que a transferência de Lázaro para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) seria feita na tarde de sábado. O deslocamento da ambulância, porém, foi interrompido momentos antes, porque o HMC informou que a vaga já havia sido preenchida por outro paciente que chegou via Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em estado mais urgente. Na mesma nota, a pasta disse também que Lázaro não está mais com os rins paralisado. Destacou ainda que está se empenhando para conseguir uma vaga e fazer a transferência do pacienete.

Leia a nota na íntegra: 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que, na tarde do dia 12/09, o paciente L.M.M., que está internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, seria transferido para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), para fazer tratamento de hemodiálise. No entanto, poucos minutos antes do transporte de ambulância, a unidade cedente da vaga informou que havia acabado de chegar outro paciente via SAMU em estado mais urgente e que não havia mais vagas. Diante disso, o paciente segue internado na UPA, aguardando surgimento de nova vaga e recebendo a assistência médica necessária. A SMS destaca que não procede que o paciente está com os rins paralisados e reforça que tem se empenhado para obter a vaga e fazer a transferência do paciente.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet