Olhar Direto

Segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Notícias | Política BR

QUEM VAI MANDAR?

Jayme revela tendência a apoiar fusão com PSL e defende que em MT novo partido seja comandado por democratas

20 Set 2021 - 17:00

Da Redação - Airton Marques / Do Local - Max Aguiar

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Jayme revela tendência a apoiar fusão com PSL e defende que em MT novo partido seja comandado por democratas
Membro da Executiva nacional do DEM, o senador Jayme Campos revelou que está quase totalmente convencido em apoiar a fusão do partido com o PSL. Com presença confirmada na reunião da legenda em Brasília nesta terça-feira (21), o parlamentar se adianta e defende que em Mato Grosso o comando do novo partido fique com os democratas.

Leia também:
Rumo escolhe nome de empresário Olacyr de Moraes para novo trecho da Ferronorte; governador desconhece motivo

“Particularmente, não tenho nada contra. Acho que na medida em que se fará uma fusão respeitando o ideário partidário e a proporcionalidade, como está sendo discutido e eu conversei com o nosso presidente ACM Neto, já estou definido. Se for para o bem do partido e termos um projeto para o Brasil, eu concordo”, afirmou.

Nada mais justo de o comando do partido ficar nas mãos do Democratas

Sobre a direção do diretório regional da nova legende, Jayme leva em consideração o peso do DEM em Mato Grosso, presidido pelo suplente de senador e ex-deputado federal Fabio Garcia.

“Temos aqui dois deputados estaduais (Dilmar Dal Bosco e Eduardo Botelho), o governador Mauro Mendes e um senador. Nada mais justo de o comando do partido ficar nas mãos do Democratas”, defendeu.

Já o PSL tem a maior bancada na Assembleia Legislativa, com Delegado Claudinei, Elizeu Nascimento, Gilberto Cattani e Ulysses Moraes. A legenda acabou se dividindo nos últimos meses, quando o ex-senador Cidinho Santos assumiu o comando estadual e se aproximou do Governo Mauro. Ulysses mantem postura de oposição e Claudinei segue independente.

Em relação a postura dos parlamentares do PSL, muitas vezes considerada extremista, Jayme ponderou que todas as questões podem ser resolvidas por meio do diálogo, mas relembrou a velha máxima de que os incomodados que se retirem.

“Não seis se são assim (extremistas), mas é a velha história: os insatisfeitos que se mudem. Mas, imagino que com bom diálogo, todos eles vão ganhar. Será o maior partido do Brasil, com mais de 80 deputados federais, oito senadores (...) quem ganha são aqueles que já estão do DEM e PSL”, pontuou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet