Olhar Direto

Domingo, 23 de janeiro de 2022

Notícias | Cidades

Airbus voou após 3 dias

Aeronave da Azul estava a 168 km/h quando piloto abortou decolagem por pane

Foto: Reprodução

Aeronave da Azul estava a 168 km/h quando piloto abortou decolagem por pane
O Airbus A320 (prefixo PR-YRH) da Azul Linhas Aéreas estava a 168 quilômetros por hora, quando o piloto decidiu abortar a decolagem, ao perceber uma pane no equipamento durante o procedimento, na madrugada de quinta-feira (25). Após a freada brusca, os 132 passageiros foram evacuados rapidamente, sendo que alguns acabaram se ferindo.

Leia mais:
Avião da Azul tem pane antes da decolagem em Cuiabá e passageiros são evacuados por saída de emergência; vídeo
 
A informação consta no site Flight Radar, especializado em acompanhar voos por todo o mundo em tempo real. (Clique AQUI para ver)
 
Os dados do voo AD 2751, que seguia de Cuiabá com destino a Guarulhos (SP), mostram que a aeronave saiu do terminal de passageiros e recebeu autorização para seguir pela taxiway A, entrar na pista e seguir até a cabeceira da pista 35, onde alinhou com a pista e iniciou o procedimento de decolagem.
 
Ainda de acordo com os dados, a aeronave chegou a 88 nós de velocidade (aproximadamente 168 km/h) até que o piloto abortou a decolagem, que caiu drasticamente para 44 nós (81,4 km/h) e, por fim, zero.
 
Apesar da velocidade ser alta, para fins de aviação, o piloto estava ainda bem abaixo da chamada V1, que é a velocidade escolhida pelo operador da aeronave, considerando suas características operacionais.
 
Ela determina o procedimento a ser adotado no caso de falha de um motor, por exemplo. Caso ocorra antes de ser alcançada, a decolagem pode ser abortada. Se for após isto, deve-se continuar, mesmo no caso de um motor inoperante.
 
Em geral, a velocidade de decolagem de um Airbus A320 é de quase 290 km/h.
 
A aeronave parou no meio da pista ás 02h04, quando os passageiros foram evacuados pela saída de emergência, sendo que alguns se machucaram no desespero para deixar o Airbus. Outros acabaram sendo jogados no chão, pela força do vento da turbina. Uma criança quebrou a perna e uma grávida foi levada para o hospital, por precaução.
 
Uma hora e quarenta minutos depois, a aeronave saiu da pista pela taxiway B e foi deixada no pátio. Depois de três dias, em 28 de novembro, o Airbus voltou a entrar em operação, seguindo de Cuiabá para Campinas (SP), de lá para Belo Horizonte (MG) e da cidade mineira para Belém (PA).
 
A Azul informou que a aeronave teve sua decolagem abortada após a identificação de uma pane na aeronave, tendo o comandante do voo realizado o procedimento padrão previsto para esse tipo de situação. Os Clientes evacuaram a aeronave por meio das saídas de emergência do avião.
 
"A Azul destaca que está prestando todo o apoio necessário aos Clientes, lamenta o ocorrido e reforça que ações como essa são necessárias para garantir a segurança de suas operações", finaliza a nota.
 
A Centro-Oeste Airport (COA), responsável pela administração do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, informou que uma luz de alerta no painel fez com que o piloto do Airbus A320, com 132 passageiros, abortasse a decolagem.

Outro problema

No dia 20 de setembro, uma aeronave da Azul - que seguiria para Campinas (SP), precisou retornar ao Aeroporto Internacional Marechal Rondon, após o piloto perceber no painel um aviso de que um dos compartimentos estaria aberto (Door Bulk Cargo Open). O pouso aconteceu de forma tranquila.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet