Olhar Direto

Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Notícias | Política MT

INVESTIGAÇÃO DA CGE

Deputado nega que onda de fugas de presidiários tenha ocorrido por conta da greve de agentes prisionais

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Deputado nega que onda de fugas de presidiários tenha ocorrido por conta da greve de agentes prisionais
O deputado estadual João Batista (PROS) afirmou em entrevista ao Olhar Direto, que as fugas de presidiários em Mato Grosso não tem qualquer ligação com a greve dos agentes prisionais iniciada em dezembro para cobrar melhores condições salariais e de trabalho. 

Leia mais: 
PM captura em Nova Olímpia dois presidiários que fugiram da penitenciária de Nobres

Segundo Batista, outros eventos facilitaram a fuga dos detentos. Até o momento 26 pessoas fugiram de presídios em Mato Grosso desde que os agentes prisionais iniciaram a grave. A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) informou que pelo menos 10 suspeitos foram capturados e um foi morto em confronto com a polícia. 

“Eu estive em Nobres ontem, lá nós temos um problema de reforma, a unidade está passando por adequação e não havia proteção para o banho de sol, dois homens se esconderam e quando os agentes mandaram os presos retornaram para suas celas eles conseguiram fugir”, afirmou Batista. 

O deputado classificou como normal a investigação aberta pela Controladoria Geral do Estado (CGE) para verificar se houve alguma negligência por parte dos agentes prisionais grevistas. Evitando tecer críticas ao governo, apoiado por Batista até começar a greve, o deputado disse que a apuração verificará que a responsabilidade pelas fugas não é dos agentes. 

“Quando um policial militar age em legítima defesa e mata um bandido que tenta assaltá-lo é normal que exista uma investigação, que a Polícia Civil apure o caso, então também é normal que a CGE investigue, não vejo nenhum problema”, comentou. 

“Eu particularmente não acredito que as fugas sejam reflexo da greve, apesar da insatisfação o pessoal continua trabalhando e acreditando que serão valorizados pelo governo em algum momento”, concluiu o parlamentar, que já foi presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso (Sindispen-MT). 

João Batista pertencia a base do governador Mauro Mendes (DEM) antes da nova gestão do Sindispen decretar greve. Com o movimento paradista deflagrado, o parlamentar comunicou sua saída do governo. Apesar disso, Batista afirma que ainda possui uma boa relação com o governador. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet