Olhar Direto

Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Notícias | Política MT

MAIS UMA NO PÁREO

Natasha quer PSB com Mauro Mendes e entra na disputa para ser candidata ao Senado do grupo governista

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Natasha quer PSB com Mauro Mendes e entra na disputa para ser candidata ao Senado do grupo governista
Enquanto o governador Mauro Mendes (UNIÃO) resiste em bater o martelo sobre sua candidatura, seu eventual palanque segue no centro da disputa entre os pré-candidatos ao Senado que desejam fazer campanha junto do atual chefe do Executivo. Lembrada pelo senador Jayme Campos (UNIÃO) na última semana, a médica Natasha Slhessarenko (PSB) confirmou que está no páreo em busca da aliança com Mendes, a quem fez elogios na condução do Governo do Estado.

Leia mais:
Parecer permite que governador tenha Neri e Wellington no mesmo palanque

“Com certeza [pretender estar no palanque do Mauro]. É um governador que está aí com excelentes índices de aprovação, eu acredito muito que ele deva ser reeleito. E, obviamente, como se diz na política: a gente tem que ciscar para dentro. Quanto mais apoio, muito melhor. Mas isso é uma decisão partidária que só vai se definir mesmo nas convenções. Embora eu acredite que o PSB vá continuar com o Mauro”, afirmou.

Conforme divulgado pelo Olhar Direto, um parecer assinado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gustavo Gonet Branco, abre caminho para que Mauro Mendes possa ter mais de um candidato em seu palanque, desde que os partidos lancem candidatos ao senado sem coligações, mas componham o arco de aliança Mendes ao Governo.

O vice-procurador explicou em seu parecer que caso determinados partidos façam uma coligação para governador, essa mesma coligação deveria lançar um nome para o Senado. A exceção seria se partidos que formam a coligação para Governo lançassem de forma isolada candidatos para o Senado, sem realizar coligação. Segundo Paulo Gonet Branco, as condições respeitam o princípio de que não podem existir mais de uma coligação nas candidaturas majoritárias (Senado e Governo).

Se for ratificado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, caso o União Brasil coligue com PP, PL e PSB para Governo, o parecer permite que Mauro Mendes possa ter Neri Geller, Wellington Fagundes e Natasha em seu palanque, desde que os pré-candidatos ao Senado lancem suas candidaturas somente de forma isolada, sem outros partidos da coligação.

A ideia é defendida pelo senador Jayme Campos, que embora tenha assumido compromisso com a reeleição de Wellington Fagundes, sustenta que não há impeditivos legais para que Mauro agregue outras candidaturas. “Poderia subir três candidatos, quatro candidatos, não teria nenhum impeditivo”, afirmou em entrevista ao Olhar Direto na última terça-feira (10).

O PSB, partido de Natasha, é base de Mauro Mendes e o presidente da sigla no Estado, deputado Max Russi mantém relação bastante próxima do chefe do Executivo. Porém, a médica pondera que não pretende furar a bolha do conflito entre Neri e Wellington, que atualmente figuram no centro da disputa pelo apoio do governador.

“Meu propósito é ser uma opção para o meu Estado. As pessoas reclamam tanto que a política está horrível, que ninguém aguenta, que não confia nos políticos... Então, o que eu estou tentando é oferecer para as pessoas um novo nome. Eu sou a única mulher até o momento na disputa. E eu sinto que esse é o meu momento de devolver para Mato Grosso tudo aquilo que esse estado me deu”, afirmou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet