Olhar Direto

Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Notícias | Política MT

foto ridícula

Emanuel diz que presença de Neri em reunião com ministro do TCU coloca ambos a “quilômetros de distância”

13 Mai 2022 - 17:18

Da Redação - Isabela Mercuri / Do Local - Érika Oliveira

Foto: Assessoria / Prefeitura de Cuiabá

Emanuel diz que presença de Neri em reunião com ministro do TCU coloca ambos a “quilômetros de distância”
O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) não gostou de ver o deputado federal Neri Geller (PP) na foto da reunião em Brasília com o ministro Aroldo Cedraz do Tribunal de Contas da União (TCU). Para Emanuel, a presença de Neri no encontro mostra que ele quer “boicotar Cuiabá” e, com isso, está a “quilômetros de distância” da gestão da capital.

Leia também:
Emanuel pediu inspeção in loco de ministros do TCU nos vagões do VLT

“O Neri está se distanciando muito de mim, porque ele está se distanciando de Cuiabá. A presença dele ao lado do governador Mauro Mendes, de forma atabalhoada, de forma ridícula, porque não me consultou, e o prefeito da capital sou eu. Ele deveria consultar Cuiabá. Para tentar boicotar Cuiabá com o VLT já coloca Neri quilômetros de distancia de mim, como o Wellington já está”, afirmou, na tarde desta sexta-feira (13).

Como o governador Mauro Mendes (UNIÃO) ainda não decidiu quem irá apoiar ao Senado, havia a conversa, nos bastidores, de que o deputado federal Neri Geller (PP) poderia estar no grupo da federação PT, PV e PCdoB e ser o candidato do grupo ao Senado.

Para Emanuel, no entanto, essa possibilidade foi por água abaixo depois da reunião. “A presença do Neri ali... ele que é candidato ao Senado da República e é coordenador da bancada, falando em nome de Emanuelzinho, de Medeiros - ele não fala em nome de Emanuelzinho e de Medeiros - com relação ao modal em Cuiabá e Várzea Grande, o distanciou demais de mim. Então quem joga contra Cuiabá, joga contra Emanuel Pinheiro”, completou.

O prefeito criticou a reunião em si e afirmou que quem estava lá deveria ter tido vergonha de aparecer na foto. No entanto, disse que a exceção foi o senador Jayme Campos (UNIÃO), que foi a convite do governador, mas ligou antes para Emanuel.

“Quem boicota Cuiabá compra briga com Emanuel Pinheiro e com a gestão. A ida lá - à exceção do Jayme que foi como senador, atendendo convite do governador, a gente se falou e ele já se manifestou a favor do VLT - Os demais deveriam evitar a foto. Foi uma foto ridícula, até porque a resposta que o TCU deu foi avassaladora. O governador devia colocar a cabeça [na terra] igual avestruz”.

Na última sexta-feira (6), por meio de decisão do ministro Aroldo Cedraz, o Tribunal de Contas da União acatou o pedido de cautelar movido pela Prefeitura de Cuiabá, determinando a suspensão do processo de substituição do VLT pelo Ônibus de Rápido Transporte (BRT). Entre as justificativas para o ato, o órgão de controle apontou a “inexistência, por exemplo, do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental – EVTEA”.

Depois disso, o governador Mauro Mendes (UNIÃO) afirmou que o TCU foi “induzido ao erro” pelo Município de Cuiabá. Ele apresentou um pedido de reconsideração e se reuniu, junto à bancada federal e alguns secretários, com o ministro Cedraz. O ministro tinha até três dias para decidir se iria cassar a liminar ou apresentá-la ao pleno, e decidiu pela segunda opção. Na quinta-feira (12) o pleno do TCU decidiu manter a decisão do ministro por deferimento unânime.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet