Imprimir

Notícias / Copa 2014

Jornalista do Mídia Ninja é espancado pela polícia fora do estádio no Rio de Janeiro

Da Redação - Isabela Mercuri

O jornalista independente Felipe Peçanha foi agredido pela Polícia Militar enquanto fazia transmissão ao vivo do movimento de protesto organizado “Fifa Go Home”, que acontece na Praça Saens Peña, no Rio de Janeiro.

Segundo informações, o jornalista foi espancado no chão por um grupo de policiais (de oito a dez). Ele alegou que levou chutes na canela e socos. Além disso, seu óculos foi quebrado dentro do bolso. O jornalista foi colocado dentro de um cordão de isolamento e transmitiu tudo ao vivo.

"Eu fui ajudar um jornalista canadense que levou uma bomba no pé. Estava prestando auxílio a ele, e quando saí tinham vários PMs rindo e passando cantando pneu. Eu filmei isso, e um deles veio ao meu lado com uma algema e disse que ia me prender. Então ele me jogou no chão, e a partir daí chegaram vários outros para me bater", contou. 

Leia mais
Brasileiros aproveitam a final para secar a Argentina na final da Copa

“Isso é um playground da Polícia Militar, eles estão se divertindo ao fazer isso”, afirmou ao vivo o jornalista.

Segundo informações dele, uma garota de 16 anos foi presa no local enquanto protestava. Ela foi levada para a delegacia por um grupo de policiais homens, sem que nenhuma mulher estivesse acompanhando.

Manifestantes

Segundo informações da Mídia Ninja, o documentarista canadense Jason O'hara teve sua câmera apreendida por um policial militar, sofreu agressões nos braços e está ferido na perna.

Além dele, a documentarista Aloyana Lemos, MIC, foi detida enquanto registrava as agressões à manifestantes no ato até então pacífico na praça Saens Peña, Tijuca. Aloyana está sendo encaminhada para a 21º DP.

O fotógrafo Bernardo Guerreiro, Mídia Ninja, também teve sua lente quebrada e foi agredido com spray de pimenta no olho de curta distância.

Os manifestantes que estavam na praça Saens Peña também apanharam da PM. A estação do metrô mais próxima ficou infestada de gás lacrimogênio e qualquer pessoa que tentasse registrar os acontecimentos era agredida. Assistam ao vídeo
AQUI.

Um fotógrafo do portal Terra foi atingido no rosto e nas pernas por cacetetes de 3 policiais. Ele foi jogado no chão e teve a máscara de gás e a lente quebradas.

SOS 

Um grupo de manifestantes fez um pedido de ajuda com o próprio corpo nos arredores do Maracanã. Eles deitaram na Rua Desembargador Isidro, próximo à Praça Saens Peña, formando SOS. 

Dezenas de pessoas foram feridas, algumas foram presas e os policiais tentam impedir os manifestantes de sairem do local. 






Veja a galeria de fotos de  Leo Correa/AP Photo, publicadas pela Revista Época.

 
Foto: Camila Nobrega / Canal Ibase / Reprodução
Imprimir