Imprimir

Notícias / Cidades

PMs se indignam com o tamanho do fardamento recebido; Secretaria diz que não recebeu reclamações

Da Redação - Fabiana Mendes e Pedro Coutinho Bertolini

Policiais Militares estão indignados com o tamanho do fardamento entregue pelo Governo do Estado. No início deste mês, o governador Mauro Mendes e o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, fizeram a aquisição de 12.270, fardas, 6.137 coturnos, 14.254 camisetas e 6.616 gorros. A Secretaria de Segurança Pública, no entanto, disse que não recebeu reclamação formal.

Leia também:
Empresária de 52 anos desaparece após sair para trabalhar em Cuiabá

Os militares estavam há cinco anos sem receber fardamento. Porém, para surpresa dos profissionais, as roupas vieram com tamanho grande e desregulado. O preço para ajustar o tamanho das fardas erradas, com recursos próprios, seria oneroso e prejudicial para a categoria. 

A disponibilização e fornecimento do fardamento é obrigação do Estado. O fardamento completo com coturno, cinto, camiseta, camisa e calça sai em torno de R$ 500. Já o cinto de guarnição, colete, porta algemas custa mais de R$ 2 mil. 

Ao Olhar Direto, uma militar disse que quase todas as mulheres da PM receberam a farda em um tamanho impossível de usar. “As fardas são imensas e não serviram para praticamente ninguém. Com isso teremos que gastar com costureira, que praticamente terá que refazer toda a roupa, e ainda assim corre o risco de não ficar bom. Em alguns casos a costureira disse que não tem como refazer, pois teria que cortar toda a farda”, pontuou. 

Outro policial também reclama. “Na ânsia de adquirir os uniformes, o setor de logística possivelmente demandou a toque de caixa, somente pedindo o preenchimento de numerações sem os parâmetros ou modelos que serviria para o preenchimento dos dados e adequação do manequim do policial militar, fato este que desencadeou a confecção equivocada e incerta do produto entregue”. 

“As fardas são imensas e não estão servindo. O policial militar tem que gastar com reparos e praticamente refazer todo o uniforme, ficando na incerteza de ser ajustado ao corpo”, acrescentou.

Procurada pela reportagem, a pasta emitiu posicionamento por meio de nota alegando que até o momento não recebeu notificação sobre a questão dos uniformes:

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) esclarece que não recebeu reclamação formal a respeito dos uniformes que foram entregues aos policiais militares. A Sesp ressalta ainda que os profissionais que tiverem problemas com o uniforme devem entrar em contato com seu superior, em cada unidade, para que, posteriormente, sejam buscadas soluções para as queixas.
Imprimir