Olhar Direto

Terça-feira, 30 de maio de 2017

Opinião

Credibilidade em jogo

Autor: José Arimatéia

05 Mai 2017 - 15:03

Muito se discute nos meios políticos e na mídia as acusações feitas pela Procuradoria Geral da República, Ministério Publico Federal e Polícia Federal, com relação a apresentação de provas que incriminam os acusados de corrupção na operação “Lava Jato” e “Caixa dois”.

Todos os que tiveram seus nomes envolvidos tem o mesmo discurso: “Eu sou inocente. Não sei de nada, não vi nada. Recebi doações amparadas na lei”. Mas todos sabem que houve propinas, houve, quem acusou se não provar que paguem pelo que afirmou.

Aí entra a credibilidade dos órgãos acusadores e dos delatores. Depois de tantas “escaramuças” patrocinadas pelo MPF, divulgadas diariamente por toda imprensa escrita, falada, televisada e pelas redes sociais, será uma frustração para toda a sociedade se as provas não aparecerem.

Imaginem vocês leitores, depois de todo este barulho que execrou a figura dos acusados perante a opinião pública, especialmente o “show” pirotécnico-midiático contra o ex Presidente Lula.

Lula é acusado de ser o chefe da quadrilha que dilapidou os cofres da nação. Foi mostrado na televisão, gráficos indicando segundo os Procuradores, o Organograma que define a pessoa do Ex–presidente como corruptor-mor.

Com todo este barulho Lula continua a desafiar os acusadores a provarem a sua culpa. Ele (Lula) se diz candidato a Presidência da República e segundo suas declarações é o único brasileiro que tem condições de salvar a pátria do caos em que se encontra. De “criminoso-mor” a “salvador da pátria”. Eu mereço! Sassá Mutema está querendo voltar.

Será arrogância, presunção, ou ele é realmente inocente como o Sassá? Ninguém em sã consciência acredita nessa bravata.

Está em jogo a credibilidade, e a ética do MPF, da PF e respingos para todo o poder judiciário inclusive o STF.

Se propuseram todas estas ações sem as provas que levem os acusados a prisão, ninguém irá mais ter respeito a estas autoridades. Será sem dúvida o maior mal causado às instituições e a Nação.

Acusados livres. Lula candidato a presidente, prevalecendo a impunidade pela falta de provas. O que pensará o cidadão comum? Penso eu que não acreditarão mais no que falará os membros do MP e da Justiça.

Serão acusados de faltarem com a verdade colocando em risco a credibilidade das instituições.

Otimista que sou mas desconfiado, ainda acredito na justiça. As provas espero eu, irão aparecer, e os culpados serão trancafiados na prisão.

Em tempo: Repercutiu negativamente o pedido de adiamento do depoimento de Lula ao Juiz Sérgio Moro.
Alegação para preparar melhor o sistema de segurança. Será?.

*José Arimatéia é Ex-Deputado Estadual
Sitevip Internet