Olhar Direto

Terça-feira, 30 de maio de 2017

Opinião

O agente do agronegócio

Autor: Antonio Wagner Oliveira

06 Mai 2017 - 08:41

O agente do agronegócio mostrou sua cara e garras de uma vez por todas. Salvemos com palmas a coragem que sobrepujou a desfaçatez com que se conquistava votos populares e no mesmo dia, tramava contra os trabalhadores, retirando seus direitos, os mais básicos, como receber em dinheiro pelo trabalho que desenvolve. Até isso, tramaram contra os trabalhadores.

Parabéns ao deputado Nilson Leitão, pela ousadia de se auto expor como menino de recados do mundo agropop.

O PL 6442/16 de sua "autoria", muda por completo a relação do trabalhador do campo com o patrão.

Existem dois tipos de trabalhadores rurais, os que produzem para consumo próprio, familiar, em regime de economia de subsistência, e o trabalhador assalariado rural. Esse trabalhador, simples, de mãos calejadas, produz em sua maioria para o empresário do campo, em geral, grandes produtores e latifundiários, ou seja, produzem para o mundo agro, esse mundo pop, o quase "papal" mundo do agro negócio.

Esses mesmos empresários já têm isenção do INSS de seus trabalhadores. Isso mesmo, o agro pop é isento de pagar previdência de seus trabalhadores. Não é mesmo um grande negócio?!

Mas além disso, querem através de seu garoto de recados institucionalizado deputado, aplicar o golpe do PL 6442, que visa acabar, entre outras atrocidades e verdadeiros crimes contra a dignidade humana, com o salário em dinheiro para o trabalhador, o devolvendo quase a condição de "boia fria", extingue ainda o descanso remunerado (escravidão?!) em jornada de 12 horas?  etc..

Os absurdos não param, permite além do trabalho aos fins de semana e feriado, até a venda integral das férias desses trabalhadores. Tudo ao gosto e jeitinho do patrão.

A mais valia, a exploração do homem pelo homem chega ao seu grau mais espúrio, mais dantesco.

Mas o melhor disso tudo é ver os "bichos" que nos devoram há tempos às escondidas, saírem das sombras, dos becos, das salas pomposas das negociatas institucionais.

É tempo de clareza dos fatos e intenções, a sociedade há de saber distinguir . Vamos passar o BRASIL E LIMPO e fazer um 'limpa' no Congresso Nacional. É chegada a hora!
 
*Antonio Wagner Oliveira é Analista Jurídico do Governo de MT, Coordenador da CSB MT, Membro da Direção Nacional da CSB e Diretor Jurídico do SINPAIG MT
Sitevip Internet