Olhar Direto

Opinião

Honestidade

Autor: Licio Antonio Malheiros

04 Jul 2017 - 10:22

O país vive hoje, crise de ordem: econômica, política, social e de   identidade, resultado do elevado índice de desonestidade praticado por alguns cidadãos brasileiros, tanto   políticos, como cidadãos comuns. No último dia 30 de junho, as Centrais Sindicais realizaram um protesto, contra as reformas trabalhistas e da Previdência, que incluiu também a saída do presidente Michel Temer, nada mais justo e democrático. Em Cuiabá, a manifestação ocorreu na Praça Ipiranga, com grande concentração popular, as ruas naquelas imediações  ficaram superlotadas com grande número de carros estacionados.

Por questões pessoais, não participei da manifestação, porém naquele dia, fui obrigado a me deslocar até às imediações do referido evento, a uma farmácia, localizada na Rua Antônio Maria.

Existem dias em nossas vidas, que estamos carregados de problemas de ordem pessoal. Nessa tarde, eu estava muito nervoso de cabeça quente, em função de uma série de problemas corriqueiros. A rua estava lotada de automóveis de ambos os lados, porém à esquerda havia um espaço, eu estacionei meu carro ali.

Confesso, minha cabeça estava literalmente às nuvens, desci do   meu carro correndo, porém esqueci de puxar o freio de mão, o carro deve ter ficado em terceira marcha, andei alguns metros, e ouvi o alarme do outro carro tocando, aconteceu um pequeno choque, uma coisa insignificante na ponta do para-choque esquerdo de um carro; corri e levei meu carro até o local de origem, depois me desloquei até o carro da outra pessoa.

Assim que me aproximei dele; o flanelinha veio correndo, e disse, o senhor quer que eu passe uma massa branca no local da batida que era apenas um pontinho, o dono do carro nem irá perceber, eu disse a ele jamais, vou deixar meu nome e telefone, assim que ele chegar, peça para me ligar, irei pagar o prejuízo, e fui embora, isso aconteceu por volta das 16h.

Exatamente as 19h, recebo um zap do dono do carro, perguntando se eu havia batido no carro dele, eu respondi que sim, concomitantemente, já enviou uma foto de uma batida muito maior, e o que é pior antiga, na frente do carro.

Como eu poderia bater no carro de alguém, na parte frontal,  existindo outro carro à sua frente; só se eu conseguisse desafiar a Lei de Newton. Fiquei chateado com a postura dessa pessoa, não o conheço, e nem tão pouco quero conhecê-lo; desde então, ele literalmente se calou.  

Alguém que pressupõe, estar participando de um movimento de combate à corrupção, protestando contra as reformas trabalhistas e da Previdência e a saída de um presidente da República; venha agir de forma horrenda e vergonhosa, tentando mudar os fatos, isso causa verdadeiro espanto a qualquer um.     

Pare o mundo, quero descer!


Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo (liciomalheiros@yahoo.com.br) 
Sitevip Internet