Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Notícias / Esportes

Dátolo se despede do Galo e explica dinheiro apreendido: "Foi inocência"

Elton Novais/TV Globo Minas

15 Nov 2016 - 21:57

A parceria de mais de três anos está chegando ao fim. Com os olhos marejados, o meia Dátolo, de 32 anos, fala dos últimos dias na Cidade do Galo. Clube e empresário do jogador não chegaram a um acordo para renovar o vínculo do argentino, que estará livre no mercado a partir de 15 de dezembro.

- Eu falei com meu empresário. Ele se comunicou com o presidente, que falou que eu não vou ficar aqui no Atlético. Queria ficar, mas no futebol tem isso. Não fico aqui e vou ter que procurar meu destino, mas todo mundo sabe que eu não me guardei. E dei a vida por esse clube - disse o jogador, em entrevista ao Globo Esporte MG.

Além das quatro lesões musculares que prejudicaram a sequência de jogos durante o ano, Dátolo também foi alvo de investigação da Polícia Federal. Em setembro, dois colegas do jogador tentaram embarcar para a Argentina levando cerca de R$ 150 mil em dinheiro. A dupla foi detida no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. O crime de evasão de divisas tem  pena máxima de seis anos de prisão. Posteriormente, o meio-campo admitiu que houve um mal-entendido com dois amigos de infância que lhe prestam serviços. 

Dátolo negou que estaria lavando dinheiro e garantiu que a origem do montante é lícita, proveniente do salário que ele recebe do Atlético-MG. Segundo o jogador, o caso, que ainda corre na Justiça, ocorreu por "inocência" dele.
- Falaram que eu lavava dinheiro e isso ou aquilo. Nem sei o que é isso. Foi inocência minha. Lavar dinheiro? Não passou pela cabeça que ia ver isso, né? E que eu estava envolvido em uma coisa dessa? Nada a ver! Aconteceu isso dos meus amigos, mas são coisas que acontecem. Não foi querendo fazer uma coisa por mal. Me senti um pouco mal, mas que já passou. Não tenho rancor. Já passou.

Contratado em 2013, sem custos, após a conquista da Libertadores pelo Atlético-MG, Dátolo ficou fora do Mundial de Clubes, no Marrocos, devido ao término do prazo de inscrições. No ano seguinte, o jogador viveu uma das temporadas mais intensas pelo Galo, conquistando os títulos da Recopa Sul-Americana e da Copa do Brasil, inclusive dando passe para o gol de Diego Tardelli, na decisão diante do Cruzeiro. Em 2015, o argentino comemorou o Campeonato Mineiro e foi vice-campeão do Brasileiro. 

Apesar da chance de conquistar mais uma Copa do Brasil neste mês, a temporada atual não deixa boas lembranças ao meio-campo. Por causa das lesões, Dátolo disputou apenas 21 partidas, incluindo um amistoso, pelo Atlético-MG - o time vai fechar 2016 com 74 jogos oficiais. O jogador fez somente um gol e anotou três assistências ao longo do ano. Os 180 dias no departamento médico do Galo incomodaram o meia.

- A minha tristeza era não poder estar em campo. Isso me atrapalhou muito. Eu amo jogar bola, jogar futebol. Foi esse o fator de ficar mais triste esse ano. Não foi um ano normal. 

Mesmo assim, o argentino esteve na mira de outros clubes. Dátolo foi monitorado pela diretoria do Fluminense, chegou a ter o nome cotado no Grêmio, como forma de pagamento da dívida do Atlético-MG com o Tricolor gaúcho, e ficou perto de se transferir para o São Paulo, no segundo semestre.

Dátolo sabe que tem mercado no futebol brasileiro e sul-americano e nunca escondeu que tem o desejo de retornar à Argentina para encerrar a carreira. No início do ano, a imprensa do país vizinho destacou o interesse do Boca Juniors de contar com o retorno do meia, que foi campeão  da Libertadores pelo clube xeneize, em 2007. Entre amistosos e partidas oficiais, Dátolo disputou 127 jogos pelo Atlético-MG e marcou 18 gols com a camisa alvinegra.
Sitevip Internet