Olhar Direto

Terça-feira, 25 de julho de 2017

Notícias / Política MT

Fagundes diz que partidos estão se unindo para derrotar Pedro Taques em 2018

Da Redação - Érika Oliveira

16 Abr 2017 - 11:48

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Fagundes  diz que partidos estão se unindo para derrotar Pedro Taques em 2018
O caminho para o projeto de reeleição do governador Pedro Taques (PSDB) não deverá ser dos mais tranquilos. Crítico ferrenho do atual Governo, o senador Wellington Fagundes (PR), presidente regional do Partido da República, afirmou que a gestão Taques “não se dispõe a ouvir” e, por conta da maneira como conduz a administração do Estado, estaria atraindo opositores. Segundo Fagundes, vários partidos – incluindo alguns da base governista – estão se unindo em um projeto para tentar derrotar o tucano nas eleições de 2018.

Leia mais:
Fagundes ensaia apoio a Mauro Mendes em 2018 e recorda: “Ele me deve muito”

“O PR pretende desenvolver um projeto que seja melhor do que esse aí, que não seja individual. Mato Grosso precisa de uma administração melhor, que seja mais aberta a ouvir, que não demore tanto para tomar decisões e que não fique com essa situação que temos hoje, com muito dinheiro parado na conta e os hospitais praticamente fechando as portas”, criticou o senador em entrevista ao Olhar Direto.

Fagundes, que já havia admitido a possibilidade de encabeçar a disputa pelo Governo do Estado em 2018, articula nos bastidores um palanque com os principais partidos que fazem oposição ao atual governador: PMDB, PP, PTB e até alguns setores do PT.

Recentemente, o senador participou de um encontro do PSB em Cuiabá – partido que, por sua vez, integra a base de Taques – e assumiu que apoiaria uma eventual candidatura do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB).

“Mauro me deve muito, porque eu o apoiei muitas vezes. Claro que é uma opção ao governo. Eu já o apoiei várias vezes e quem apoiou pode apoiar novamente. Não tem nada que nos afaste. Tem muito que nos converge”, disse, durante o evento.

O PSB tem sido cauteloso e mantido o discurso de que ainda é cedo para articular as próximas eleições. As eleições serão em outubro de 2018, para eleger presidente da República, governador, senador, deputados federais e deputados estaduais.

Embora as alianças ainda estejam sendo costuradas, é certo que, pelo menos da parte dos republicanos, há um grupo engajado em dificultar a vida de Pedro Taques.

“Hoje o PR tem uma posição muito clara de oposição ao atual Governo. Nós estamos construindo um projeto com todos os partidos que não concordam com a forma administrativa que está sendo colocada, que entendem que nós podemos fazer uma administração melhor para Mato Grosso”, pontuou Fagundes.

59 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Hugo
    18 Abr 2017 às 16:27

    Que em 2018, Deus livre MT de Wellington Fagundes, nunca vi politico tão ruim quanto esse. Chega de sustentar esse homem e não ter um pingo de reciprocidade. Chega!

  • Gugu
    18 Abr 2017 às 16:14

    Senador o senhor e muito blá blá e pouco trabalho.

  • Marcelo
    18 Abr 2017 às 16:13

    Foca em trabalho senador não em eleição.

  • Sara
    18 Abr 2017 às 15:39

    tenho até medo do Wellington Fagundes no governo, suas indicações sempre trouxeram problemas para nosso estado, imagina ele com todo esse poder na mão? acorda povo ele apoiou Silval Barbosa, compactua com toda essa corrupção que acabou com nosso estado na gestão passada.

  • Ketllyn Silveira
    18 Abr 2017 às 15:34

    ainda é muito cedo para discutirmos eleições, temos que focar no futuro e trabalhar para a sociedade senhor senador deveria parar de fazer essa oposição meia boca e focar em alguns projetos que possam trazer algo de boa para nosso estado.

  • Paola oliveira
    18 Abr 2017 às 13:33

    Taques ainda tem muito para fazer pelo estado, vamos confiar. Em 2018 teremos tempo para pensar nisso.

  • Ardonil
    18 Abr 2017 às 11:28

    Pablo e Juninho a discussão eleitoral foi antecipada pelo Taques por causa de movimentos internos do PSDB que sente a rejeição do governador nas ruas em parte pela má administração e em parte em razão da fraude na seduc que desmontou o discurso anti-corrupção do governador na sua primeira disputa. Se Fagundes realmente sair candidato será um massacre, pois tem Rondonópolis, Cuiabá e Sinop, além de outros grandes pólos de apoio e não possui o desgaste e rejeição deste desgoverno que tem como apoio na assembleia deputados reeleitos que receberam mensalinhos de Riva e recursos desviados das obras da Copa.

  • Valdir
    18 Abr 2017 às 11:27

    Votei em Pedro Taques, mas sinceramente NÃO acredito que ele terá a capacidade de sair candidato a reeleição depois deste FIASCO de DESgoverno. Não fez nada, teve corrupção de 56 milhões na seduc, deixou de fazer o repasse obrigatório para a previdência estadual no aporte de 1,8 BILHÃO (depois alegou que o sistema previdenciário estava deficitário), repasses da Saúde atrasados, obras paralisadas, contratação de um consórcio réu por desvios no vlt para conclusão da obra (ao invés de abrir nova licitação). ERROS EM CIMA DE ERROS!

  • Adalto
    17 Abr 2017 às 23:17

    Pelos comentários dos puxas do Taques estão com medo, muito medo, sabem o governo pífio que estão fazendo e da força política de Wellington Fagundes. É hora da mudança, chega de GOVERNO DE EMBROMAÇÃO!

  • Pabllo
    17 Abr 2017 às 19:12

    Deveria estar assinando contra o foro privilegiado, trabalhando à favor da população, é pra isso que ele é pago.

Sitevip Internet