Olhar Direto

Quinta-feira, 25 de maio de 2017

Notícias / Política MT

Projeto de combate às drogas da Fiocruz é colocado em prática em Várzea Grande

Da Redação - Ronaldo Pacheco

13 Abr 2017 - 14:35

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Projeto de combate às drogas da Fiocruz é colocado em prática em Várzea Grande
Considerado ponto nevrálgico de Várzea Grande, nos últimos anos, o enfrentamento às drogas terá um foco ousado e, do ponto de vista pedagógico, bem diferenciado. É que a Prefeitura de Várza Grande implantou no bairro São Matheus, um dos mais críticos da Região Metropolitana de Cuiabá, o projeto piloto do ‘programa Redes’ da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça. É a única do Centro-Oeste a assumir tal tarefa.
 
Diante da urgência, a prefeita Lucimar Sacre de Campos (DEM) determinou que as Secretarias de Assistência Social, Saúde e Educação, assumissem projetos diversificados,  no bairro. A secretaria de Assistência Social de Várzea Grande, Kathe Martins, vai coordenadr o projeto Redes.

Leia Mais:
- Lucimar Campos percorre ruas e avenidas que serão "repaginadas" em Várzea Grande  

- Várzea Grande implanta projeto incentiva crianças a cuidarem do meio ambiente em escolas

“O bairro São Mateus foi escolhido por estar localizado à margem de uma rodovia por isso sofre com os fatores externos da vulnerabilidade social, e é importante a presença do Poder Público com projetos e programas de enfrentamento às drogas, a  exploração sexual de jovens e crianças e combate a violência”, argumentou ela.
 
“Outro aspecto que foi levado em consideração foi o crescimento do bairro nos últimos anos e, com o crescimento populacional fez –se o levantamento dos Equipamentos Comunitários de uso público de Saúde, Educação, Segurança, Cultura, Lazer e Esporte. Em contrapartida, identificamos que o município possui uma boa estrutura para base de trabalho na localidade”, ponderou a secretária de Assistência Social.
 
“Estão  instaladas no bairro unidades públicas como o Centro de Referência de Assistência Social, o Cras;  Unidade de Saúde, escolas públicas  municipal  e estadual , ou seja, uma rede socioassistencial que permite a junção das ações da comunidade com o Poder Público”, jutificou Kathe Martins.
 
Na prática, a  ideia é executar um trabalho de prevenção integrado entre as secretarias de Saúde, Assistência Social e Educação na prevenção do uso de drogas tanto na abordagem para jovens quanto para  famílias e outras políticas socioassitenciais que visam melhorar e interferir na melhoria da qualidade da comunidade.
 
 “Várias pesquisas indicam que as pessoas que hoje vivem nas ruas ou alcoolizadas, ou drogadas ou mesmo as que cometem delitos, é por que tiveram problemas na juventude ou dentro de casa. Então esse é o nosso público”, avaliou a secretária.
 
“Precisamos trabalhar com esses jovens e evitar que eles se envolvam com drogas bem como suas famílias; vamos atuar de forma preventiva e evitar problemas futuros, porém tudo com a supervisão e orientação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)”, afirmou Kathe Martins.
 
Várzea Grande é um dos 30 municípios brasileiros que executam o “projeto Redes” e o único na região Centro-Oeste do Brasil que coloca em prática os cursos de capacitação oferecidos pela Fiocruz aos professores e agentes de saúde. A professora Márcia Tortugui, interlocutora da região Centro Oeste do projeto Redes na Fiocruz/Fenad/MJC, crê ser um avanço significativo.
 
“Estamos muito felizes com os resultados do município de Várzea Grande que é o único atualmente que coloca em prática o aprendizado da capacitação e isso significa dizer que será o primeiro a obter resultados no enfrentamento preventivo contra as drogas. Estamos todos aptos para ação, mas sabemos que ainda temos muito trabalho pela frente”, disse Tortugui.
 
O trabalho desenvolvido pelo comitê gestor anti-drogas de Várzea Grande também tem chamado a atenção de municípios vizinhos como Pedra Preta e Rondonópolis.
 
“Alguns municípios de Mato Grosso que não integram o projeto, e que necessitam de ação e intervenção integrada,  têm nos procurado no Ministério da Justiça para participar. Solidariamente Várzea Grande abriu espaço para  agentes públicos dessas cidades para participarem das capacitações presenciais e via internet e posteriormente aplicarem ações nos seus municípios de origem”, assegurou a interlocutora do projeto Redes.
 
“Ao todo foram 120 inscrições para a última turma que termina em setembro e temos certeza que mudará a cultura desses professores. Foi muito nobre da prefeitura permitir a participação desses municípios”, completou Nara Vieira, coordenadora da plataforma Redes Intersetoriais do projeto Redes Fiocruz/Senad.
 
Os representantes oficiais do “Programa Redes” do Ministério da Justiça estiveram em Várzea Grande de 7 até 9 deste mês, participando da aula inaugural do curso de ensino à distância e conhecendo o bairro São Mateus com o objetivo de aproximar especialistas de saúde, segurança, assistência social e educadores para a implantação e desenvolvimento do projeto.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Aderbal Siqueira
    13 Abr 2017 às 21:13

    Lucas Pedro: Entendo seu ponto de vista. Mas também só passou figuraça por lá... Até eu seria melhor que os outros... E sobre as drogas: Querem cortar pela metade a lotação das penitenciárias, acelerar enormemente a justiça penal (corrupção sendo apurada e julgada mais rapidamente) e aumentar a arrecadação de impostos? LEGALIZEM (dar amparo legal) a venda de maconha. Estamos queimando o erário há anos teimando em um sistema que NÃO FUNCIONA.

  • Lucas Pedro
    13 Abr 2017 às 17:42

    Uma coisa que me deixa ouriçado é o fato dos anti-Campos terem de engulir e aceitar que os Campos além de trabalhadores, foram, são e sempre serão os melhores governantede para VG.

Sitevip Internet