Olhar Direto

Sábado, 15 de dezembro de 2018

Notícias / Educação

Cerca de 3,5 mil alunos não iniciaram ano letivo em creches e CME’IS de Cuiabá

Da Redação - Fabiana Mendes

21 Fev 2018 - 10:14

Foto: Da assessoria / Jorge Pinho

Cerca de 3,5 mil alunos não iniciaram ano letivo em creches e CME’IS de Cuiabá
A demora no processo de atribuição dos novos profissionais deixou cerca de 3,5 mil alunos sem aula nas creches e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI), de Cuiabá. Segundo informações da Secretaria Municipal de Educação (SME), 10% das unidades escolares não iniciaram o ano letivo nesta segunda-feira (19). A assessoria da pasta garante que não haverá prejuízo pedagógico.

Leia Mais:
Cuiabá divulga nomes dos pais das crianças classificadas para vagas nas creches e CMEI
 
Em alguns centros educacionais, as aulas não retornaram em decorrência de percalços no processo de atribuição dos novos profissionais de educação, provenientes do processo seletivo de 2018, realizado no final do ano passado.
 
A secretária Adjunta de Educação, Edilene Machado, responsável pela parte educacional do município, assegura que os estudantes não terão prejuízo pedagógico.
 
"Não haverá nenhum prejuízo porque as aulas serão repostas em um outro momento, até porque ainda é o início do ano letivo. Os alunos devem receber 200 dias de aulas, ao longo do ano, e a prefeitura vai garantir o processo educacional delas", afirmou ela, que também garantiu que  todas as 162 unidades retornam as atividades, em 100%, ainda nesta quarta-feira (21).
 
A atual administração da Prefeitura de Cuiabá, implantou o novo sistema de contratação  com a efetivação do processo seletivo 2018. A seletiva seria para suprir a necessidade da SME, inclusive de substituição de servidores efetivos durante o ano letivo, profissionais de carreira que são afastados por diversos motivos como, por exemplo, as licenças médicas e prêmio; falecimento; aposentadoria entre outros.  
 
Até o momento, a necessidade atual da Secretaria é de entorno de 2.672 profissionais, os quais vem sendo convocados, desde o dia 06 de fevereiro, via editais publicados no portal da prefeitura. Entre os dias 09 e 17 de fevereiro, todos os cargos previsto no processo seletivo, dentro da necessidade do município, foram atribuídos com a Carta de Apresentação às unidades, porém ocorre que grande parte não compareceu, dentro do prazo de 24 horas, o que inibe o preenchimento da vaga na unidade, em específico, e protela o início das atividades nas mesmas por falta de profissionais.
 
Deste modo, a prefeitura convoca novos candidatos, a partir de hoje, dia 20 de fevereiro, até que a necessidade dos 10% das unidades sejam totalmente atendidas. 
 
Segundo o gestor da pasta de Educação, Rafael Cotrim, Cuiabá terminou o ano de 2017 com mais de 4.300 profissionais temporários, o que resultava numa folha de mais de R$ 9,5 milhões, somente em contratos temporários.
 
Diante do novo modelo de gestão, a mudança dos critérios para a contratação dos temporários totalizou, até o momento, em 2.672 contratos temporários, sendo número de profissionais suficiente para atender a mesma quantidade de alunos do ano anterior.
 
A mudança vai implicar numa folha próxima a R$ 4,9 milhões, gerar uma economia de 51% em relação ao modelo anterior, o que representa cerca de R$ 4 a R$ 4,5 milhões, ao mês, e R$ 48 a R$ 54 milhões, ao ano, a menos aos cofres públicos.
 

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dá area
    21 Fev 2018 às 14:54

    E ainda as creches q iniciaram foram reduzidas as vagas para matrícula, tudo isso pra reduzir o quadro de funcionários, uma vergonha.

  • EDIR ALBUQUERQUE
    21 Fev 2018 às 11:57

    SÓ FALTA MERENDA PRAS CRIANÇAS...

  • Mulher ma
    21 Fev 2018 às 10:45

    Cadê o conselho tutelar pra cobrar do prefeito solução imediata dessas crianças? Se o pai ou mãe não leva um dia é um deus nos acuda. Vão cobrar dos gestores Afinal isso envolve o estatuto da criança e adolescente que não podem ficar sem escola e sem direito a educação.