Olhar Direto

Domingo, 18 de novembro de 2018

Notícias / Política MT

Transição de Mendes prepara pacote de fusões e extinção de secretarias

Da Redação - Lucas Bólico

06 Nov 2018 - 11:30

Foto: Assessoria

Transição de Mendes prepara pacote de fusões e extinção de secretarias
A equipe de transição montada pelo governador eleito Mauro Mendes (DEM) está debruçada sobre a situação econômica de Mato Grosso, analisando dados das secretarias, cargos comissionados e serviços prestados. A ideia é apresentar já em dezembro um redesenho da estrutura de governo muito mais enxuta. Atualmente, o Paiaguás tem 25 secretarias.

Leia também:
Cotado para secretariado de Mauro, Fábio Garcia destaca crescimento do DEM no Estado
 
A equipe de transição tenta encontrar uma fórmula para diminuir o tamanho do Estado sem prejudicar o serviço prestado ao cidadão. Eficiência é a palavra de ordem ditada por Mauro Mendes, que é o coordenador geral da transição.
 
"Sabemos que o Estado está passando por uma grave situação financeira e é preciso que daqui para frente possamos equilibrar receita e despesa. Por isso a importância da comissão conseguir identificar onde poderemos fazer esses cortes de cargos e secretarias, desde que não comprometam a qualidade do serviço prestado", explicou Mauro Mendes por meio da assessoria de imprensa.
 
A redução do número de secretarias e o corte do número de comissionados são duas das principais metas da comissão, que vem trabalhando desde o mês passado e visa elaborar um diagnóstico profundo da atual situação do Estado.
 
Mauro nomeou onze subcoordenadores, que foram incumbidos de trazer novos membros para colaborar nos trabalhos. São eles Otaviano Pivetta, Gilberto Figueiredo, Pascoal Santullo Neto, Mauro Carvalho Junior, Francisco Serafim de Barros, Marcelo de Oliveira e Silva (Marcelo Padeiro), Margareth Busetti, Rafael Bello Bastos, Mauren Lazaretti, Adriano Silva e Salete Morockoski.
 
 
"O trabalho da comissão também visa identificar toda e qualquer oportunidade de redução de despesas de custeio e alternativas para conseguir dinheiro novo. Não haverá espaço para gastos desnecessários. O momento é de economia e de usar cada centavo do dinheiro arrecadado em prol do cidadão", afirmou o governador eleito.
 

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Calango
    07 Nov 2018 às 00:23

    Tem que cortar adjuntos.. As secretarias não precisam de 05 secretários. Reconduza os servidores aos seus órgãos de origem... tem órgão em que a PM acha que os cargos são seus... 02 secretários.... superintendente.... coordenadas.... gerências....e a segurança pública uma beleza né???? Abre o olho Mauro.... tem gente na sua transição que ronda os governos desde Silva!!!!! Caia fora dessa turma....

  • leila
    06 Nov 2018 às 17:44

    boa tarde! Acaba com esses cargos de adjuntos pra que isso??? Sr. governador quem é funcionário não precisa ter CARGO -DGA complemento,precisa TRABALHAR PARa SUA empresa, secretarias, economizaria e muito... Ha secretarias que tem gente que nem tem cadeira e serviços e OUTRAS faltando gente para trabalhar o sr podia ver isso, até hj ninguém viu esse detalhe. Os servidores ganham para trabalhar 8 horas só que esse foi unica coisa boa da historia de trabalhar 6 horas ONDE economiza CAFE, AGUA, ENERGIA, PAPEL etc... só que sr Governador tem ser 6horas . Não adianta ir chefia deixar as luzes e ar condicionado ligado todas luzes acessa, ai nao gera economia para ESTADo. Isso ajuda e muito.

  • CELIO MACEDO
    06 Nov 2018 às 17:05

    A equipe de transição tenta encontrar uma fórmula para diminuir o tamanho do Estado.É só dividir novamente o estado pronto resolvido.

  • Marcio Pereira
    06 Nov 2018 às 17:04

    Quem trabalha no estado são os comissionados, a maioria dos funcionários públicos não fazem nada alem de ficar na internet. Sou Funcionário Publico e posso afirmar isso.

  • CELIO MACEDO
    06 Nov 2018 às 17:03

    é como se sós os comissionados fossem o grande gargalo do estado.

  • Talisia
    06 Nov 2018 às 14:30

    SENHOR GOVERNADOR ELEITO MAURO MENDES, FAÇA O QUE O ATUAL NÃO FEZ QUE É DEFENDER A FLORESTA DO ESTADO DE MATO-GROSSO QUE VEM SOFRENDO BASTANTE COM O DESMATAMENTO ILEGAL A MUITO TEMPO. A BUSCA INCESSANTE PELO LUCRO E O COMODISMO DAS NOSSAS AUTORIDADES SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TRÁGICO PROBLEMA, E TAMBÉM A PORTA DO ESTADO ESTÁ ABERTA ( SEM FISCALIZAÇÃO ) PARA O TRANSPORTE DE MADEIRAS COMO A CASTANHEIRA (PROIBIDA DE CORTE) E TANTAS OUTRAS, E AINDA MAIS A FISCALIZAÇÃO E A IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS SEMPRE INCOMODOU E INCOMODA A MAIORIA DOS DEPUTADOS E AQUELES QUE QUEREM ANDAR NA ILEGALIDADE, A FLORESTA É PARA A PRESENTE E AS FUTURAS GERAÇÕES.

  • alexandre
    06 Nov 2018 às 14:14

    Se cortar nos Poderes, a economia será imensa......lá está sobrando orçamento..

  • Levi
    06 Nov 2018 às 14:04

    É o mesmo discurso de quem ganha a eleição majoritária! Demitir os comissionados colocados pelo atual governo, para depois colocar os apaniguados do governo que irá assumir.

  • PT
    06 Nov 2018 às 13:56

    Revisar esse plano de carreira do servidor efetivo, salário sobe muito depois de 3 anos, o servidor tem que escolher aumento de nível ou rga.

  • JORGE LUIZ
    06 Nov 2018 às 13:09

    É SÓ ACABAR COM OS OITOS (8) CARGOS DE SECRETÁRIOS ADJUNTOS E SEUS BRAÇOS EM TODAS AS SECRETARIAS QUE ECONOMIZA BEM

Sitevip Internet