Olhar Direto

Terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Notícias / Política MT

“Ratifico tudo o que eu disse na live”, diz Selma Arruda sobre suposta extorsão

Da Redação - Érika Oliveira

19 Dez 2018 - 14:05

Foto: Rogerio Florentino/Olhar Direto

“Ratifico tudo o que eu disse na live”, diz Selma Arruda sobre suposta extorsão
Ainda que com um discurso mais ameno, a senadora diplomada Selma Arruda (PSL) ratificou, na última segunda-feira (17), as acusações que fez sobre uma suposta extorsão que teria sofrido para que fosse absolvida no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) das acusações de caixa 2 em sua campanha. Por determinação do desembargador Márcio Vidal, presidente do TRE, a Polícia Federal e o Ministério Público Eleitoral investigam a veracidade das informações.

Leia mais:
- Após denúncia de extorsão, Selma afirma procurou MPF e que dará "nome aos bois"
- No dia da cerimônia, desembargador nega pedido de Fávaro para suspender diplomação de Selma


“Duas dessas ocasiões eu já havia inclusive relatado e já havia documentado uma delas com boletim de ocorrências. A última eu vou explicar apenas ao Ministério Público Federal. Por determinação da Justiça Eleitoral, é a Polícia Federal quem vai investigar esse caso. Eu estou absolutamente tranquila e ratifico tudo o que eu disse na live. Daqui para frente a gente precisa caminhar no sentido de que a política se livre desse tipo de conduta. A gente precisa que esse tipo de estratégia, que eu não diria que é só ilícita, é imoral”, declarou Selma Arruda, minutos antes da cerimônia que a diplomou senadora.

O presidente do TRE, também na cerimônia de diplomação, chamou mais uma vez a atenção para a gravidade das acusações feitas por Selma Arruda e destacou empenho do Tribunal em esclarecer o caso.

No mesmo dia, um pedido de liminar feito pelos advogados do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) para barrar a diplomação da pesselista foi negado pelo desembargador Pedro Sakamoto, que é relator do processo que apura se houve caixa 2 na campanha da juíza aposentada. Em sua decisão, o juiz explicou que a fase de instrução probatória ainda não se encerrou e que a suposta prática de abuso econômico ainda não foi comprovada.

Denúncia de extorsão

Durante transmissão ao vivo em sua página do Facebook, na semana passada, Selma Arruda fez uma grave revelação. "Eu já fui extorquida três vezes por causa desta bagunça [acusação de caixa 2]. Na primeira vez me pediram R$ 360 mil, na segunda R$ 600 mil e na terceira cargos, para me absolver neste processo no TRE. Não cedo a chantagem, extorsão. Vou continuar lutando de cabeça erguida. Se a gente ceder uma vez para a corrupção, ela entranha".

Após a repercussão do caso entre membros da Justiça Eleitoral, a senadora diplomada afirmou - através de nota – que o suposto assédio ou extorsão que sofreu não partiu do Tribunal. ““Eu quero esclarecer que jamais falei que as chantagens que fui vítima partiram de membros do TRE. Antes de falar sobre os assédios que sofri eu elogiei o TRE e disse que confio no trabalho daquele Tribunal. Sei que as investigações realizadas nas AIJEs em trâmite no TRE são demoradas e a instrução realizada vai demonstrar toda a lisura do processo”, esclareceu.

Caixa 2

Conforme divulgado em primeira mão pelo Olhar Direto, no final de setembro, Selma foi acusada por suposta prática de ‘caixa 2’. A denúncia foi feita com base na ação monitória proposta por Júnior Brasa, ex-marqueteiro da juíza aposentada, que revela pagamentos desde abril deste ano, no valor de R$ 700 mil, utilizando cheques de sua conta pessoal, conduta que é vedada pela Justiça Eleitoral.

A primeira ação contra a juíza aposentada, sobre estes mesmos fatos e acusações, foi movida pelo advogado Sebastião Carlos (Rede). Depois, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou sua inclusão no processo, que até então mostrava apenas os pagamentos efetuados com cheques emitidos pela própria Selma Arruda.

À época, a senadora eleita afirmou, em sua defesa, que os valores pagos a Júnior Brasa seriam para serviços pessoais e não para a campanha. Selma argumentou, ainda, que se tivesse a intenção de promover ‘caixa 2’ jamais o faria com cheques nominais.
 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Fato
    19 Dez 2018 às 17:16

    Mas é os cheques q estao nos autos, não são prova suficiente p provar abuso de poder econômico e cx dois? Dois pesos e duas medidas. Nunca poderia ter sido diplomada. Iguais protegendo os seus. Nao tenho mais esperanca

  • Daniel
    19 Dez 2018 às 16:28

    Parabéns a Doutora Selma por ter a coragem de vir a publico revelar a Extorsão que sofreu, essas historias de corrupção no judiciário são pouco divulgada porque sempre que alguém diz alguma coisa ameaçam com toda a força do judiciário. Os próprios juízes, alguns no cargo por indicações, deveriam ter se julgado impedidos por terem sido advogados em ações jugadas pela doutora Selma. "É preciso valer a vontade do povo que elegeu a doutora Selma com uma votação expressiva, por entender que ela é a mudança e não colocar outro no lugar, no grito ou tapetão".

  • Juracy Ady
    19 Dez 2018 às 15:09

    Selma, senhora de idade avançada , não tem plano de governo. Não tem nada. Não sabe falar direito. Só entende de direito. Péssima escolha do MT.

  • Joaquim Teixeira
    19 Dez 2018 às 14:16

    Eleição novamente para disputar a vaga da senhora, essa é a minha opinião.

Sitevip Internet