Olhar Direto

Terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Notícias / Política MT

Empresas estatais diminuem 175 comissionados e reduzem em 45% gasto com pessoal; veja órgãos com mais cortes

Da Redação - Wesley Santiago

06 Fev 2019 - 08:35

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Empresas estatais diminuem 175 comissionados e reduzem em 45% gasto com pessoal;  veja órgãos com mais cortes
As oito empresas estatais do governo continuam a tentar formas de evitar extinções. A reestruturação administrativa delas conseguiu reduzir drasticamente diversos cargos, o que deve gerar uma economia de R$ 13,3 milhões anuais aos cofres públicos. Dos atuais 398 cargos comissionados existentes nas oito empresas, 175 serão suprimidos, o que representa 45% de redução com gasto de pessoal.

Leia mais:
Decisão no STF pode permitir que Mauro reduza carga horária e salário de servidores em MT

O trabalho de reestruturação e redução de custos está sendo coordenado pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e começou a ser efetivado. A redução de gastos atende ao Decreto nº 8/2019, que estabelece diretrizes para controle, reavaliação e contenção das despesas em toda a administração direta e indireta.

Entre os órgãos que sofrerão maior corte estão a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), que reduzirá 54% e a Empresa Mato-grossense de Mineração (Metamat), com 52%.

Elas são seguidas pela Companhia de Abastecimento do Estado (Ceasa), com 45%, a extinta Empresa de Saneamento de Mato Grosso (Sanemat), que está em fase de liquidação, com 43%, a Desenvolve MT, com 38%, a Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás), com 33%, a Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), com 30%, e a Mato Grosso Participações (MT Par), com 26%.

O titular da Seplag, Basílio Bezerra, explica que essas reestruturações já estão sendo implementadas. “Toda essa diminuição de cargos já foi aprovada pelos respectivos conselhos administrativos das empresas e já está sendo implementada. Nossa maior preocupação é fazer a redução de custo sem perder a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos. Além disso, estamos trabalhando outras medidas de redução de despesa”.

O secretário acrescenta que, mesmo com a Lei 612/2019, que implementou a reforma administrativa, autorizar o Governo a extinguir algumas dessas estatais, dando um prazo de 180 dias para que se mostrem viáveis, a intenção do Estado é diminuir os custos dessas empresas imediatamente.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Vinicius Tenuta
    06 Fev 2019 às 15:37

    Tem que passar a foice e acabar com serviço público, só assim a mão invisível do mercado o regulará (Adam Smith). Mantém apenas saúde e segurança pública via terceirizados, pois, nós, sociedade civil, estamos fartos de pagar impostos para comprar caminhonete importada para servidores públicos.

  • 06 Fev 2019 às 14:07

    Policiais e saúde também é publico, alias aquele professor que educou algum leitor deste post também é. Servidor cuida daquilo que é de comum a todos, resguardo oque é de direito seu e de outrem na forma da lei, então bora trabalhar.

  • João Capile
    06 Fev 2019 às 11:57

    Não basta. Tem que privatizar tudo e mandar embora servidores públicos que só pensam em greve política nesse momento de união e reconstrução do MT. Investimento deve ser só em saúde e segurança pública. Sociedade farta de impostos para sustentar os funcionários públicos.

  • paulo
    06 Fev 2019 às 11:14

    Engraçado, porque só as empesas publicas e não também TODOS OS ÓRGÃOS DO ESTADO? e cancelar esses contratos com essas empresas de T.I. que só mamam o dinheiro do estado e não prestam serviços de qualidades

  • Juca
    06 Fev 2019 às 10:46

    Agora com esse enxugamento só falta por os servidores públicos para trabalhar. Pedir novas avaliações médicas para quem está no auxilio doença há tempos para que eles voltem ao seu trabalho.

  • paradadura
    06 Fev 2019 às 10:39

    Não tenho tido muito tempo para ler o noticiário sobre o que está acontecendo na política pois estou lendo o livro "As raposas e o Galinheiro".

  • servidor
    06 Fev 2019 às 10:37

    Deveria retirar toda a estabilidade no setor público, exonerar aqueles que ficam encostados nos outros. Aí sim faria o Estado andar.

  • Servidora
    06 Fev 2019 às 10:17

    Isso tem que acontecer em todos os órgãos públicos... exoneração de tantos comissionados... que fiquem os servidores de carreira, aprovados nos concursos públicos.

  • Roberto
    06 Fev 2019 às 10:14

    Não somos iludidos facilmente. No governo anterior plantaram uma informação dessa. Vocês tem que provarem com mais detalhes e com o passar do tempo. Não caímos mais nessa.

  • pedalada
    06 Fev 2019 às 10:10

    Pra vc ver como dá pra trabalhar com menos gente, devia ter pessoas que não faziam nada, só recebiam. Na iniciativa privada você tem que fazer duas, três funções diferentes e consegue.

Sitevip Internet