Olhar Conceito

Quinta-feira, 02 de julho de 2020

Notícias / Comportamento

Grupo de apoio arrecada cestas básicas para prostitutas que não podem trabalhar na quarentena

Da Redação - Isabela Mercuri

31 Mar 2020 - 15:30

Foto: Reprodução

Grupo de apoio arrecada cestas básicas para prostitutas que não podem trabalhar na quarentena
O Grupo de Apoio a Travestis e Transexuais de Rondonópolis (GATTRS) precisa de ajuda para manter cerca de vinte e cinco prostitutas que vivem na casa de acolhimento. A presidente, Kelly Resende, pede doações principalmente de cestas básicas.

Leia também:
Ação arrecada dinheiro para doar equipamentos de proteção a trabalhadores da saúde
 
Segundo Kelly, a decisão de parar o trabalho nas ruas aconteceu após uma reunião na última sexta-feira (28), no entanto, desde que a imprensa começou a noticiar o surto de coronavírus, o movimento de clientes diminuiu muito.
 
“Estou correndo atrás de cestas básicas. Graças a Deus muitos estão ajudando... a Prefeitura ajudou, mas pouco. Quem está ajudando mesmo são os empresários”, contou ao Olhar Conceito. “Aqui é uma casa, um pensionado normalmente, onde as meninas moram juntas e se ajudam. Mas como elas pararam, o dinheiro tamém parou”, lamenta.
 
Em publicação no Facebook, Kelly ainda lembrou que o grupo presta serviços relevantes à sociedade como aquisição e doação de fraldas para o lar dos idosos, limpeza e corte de cabelo dos idosos e participa ativamente de muitas das atividades do município.
 
“Que isso seja um pontapé para que nós possamos discutir melhor e rever conceitos de empregabilidade para as travestis e transexuais em nossa cidade, estado e país. Contamos com o apoio e solidariedade de todas/os companheiras/os, amigos e combatentes”, finaliza.
 
Quem quiser fazer doações, pode entrar em contato com Kelly pelo telefone (66) 99678-8146.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Marcinho
    02 Abr 2020 às 20:22

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Alguém
    01 Abr 2020 às 11:46

    Parabéns! N sejamos hipócritas! Essas pessoas trabalham com isso, não fazem mal a ninguém. Enquanto criminosos estão tendo "liberdade" e todo o cuidado dos DHs, essas pessoas n tem ninguém! Muito legal!!!

  • Gonçalo Poconé
    01 Abr 2020 às 11:28

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Paolo
    01 Abr 2020 às 09:45

    KKKKKKKK KKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKK...

  • joana
    31 Mar 2020 às 19:16

    porque não aproveitam agora para fazer curso de manicure, confeiteira e outros? o proprio de apoio grupo poderia propor

  • Pedro
    31 Mar 2020 às 18:30

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Dudu Mendes
    31 Mar 2020 às 18:12

    Por mim não recebem nem um centavo...Damares está certa. O mundo está perdido.

  • Tércio Andrade Lopes
    31 Mar 2020 às 18:12

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Dudu
    31 Mar 2020 às 17:42

    Pronto, não falta mais nada!

  • Leandro Lopes
    31 Mar 2020 às 17:23

    Qual a necessidade de usar o termo "prostitutas"? Me soa um tanto preconceituoso! Existe outros termos menos agressivos. Cuidado em perderem a credibilidade nas reportagens.

Redes Sociais

Sitevip Internet