Olhar Conceito

Sábado, 24 de outubro de 2020

Notícias / Turismo

Se o isolamento durar mais de 90 dias, metade dos hotéis não sobrevivem, lamenta presidente do sindicato

Da Redação - Isabela Mercuri

03 Abr 2020 - 10:40

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Se o isolamento durar mais de 90 dias, metade dos hotéis não sobrevivem, lamenta presidente do sindicato
O estado de Mato Grosso possui, hoje, cerca de 500 meios de hospedagem. Pelo menos 50% deles não sobreviverão caso o isolamento social e as restrições de viagem durem mais de 90 dias. Esta é a projeção do presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Mato Grosso, Luiz Carlos Nigro.

Leia também:
Empresária do Chateau Camalote dá o recado: “É hora de recolhimento”
 
Dos estabelecimentos sindicalizados, 54, apenas 24 seguem abertos. Nestes casos, com uma média de 3 a 5 hóspedes apenas.  “E outros vão fechar a partir da semana que vem pela medida do governo que deu uma segurança maior”, explicou. “É um problema gravíssimo. Dependemos da economia estar girando… recebemos muitos empresários e turista, e como está tudo parado, as cias aéreas, se não me engano, estão só com 10% da frota voando, e realmente virou um problema”.
 
Segundo o presidente, Azul e Gol já suspenderam os voos para o interior do estado, cidades como Sinop, Barra do Garças, Sorriso e Rondonópolis, o que trazia e levava uma grande parcel dos hóspedes. “Vai ser muito difíci se recuperar. Muitos que fecharam não vão conseguir reabrir. Se passar de 60 dias, muita gente não consegue voltar. 90 dias nem se fala... É o nosso medo”.

 Para o presidente, o setor de hotelaria “está na UTI, entubado. O coronavírus pegou em cheio nosso setor”, lamenta. A perspectiva para os bares e restaurantes é ainda pior. Enquanto os estabelecimentos tentam sobreviver do delivery, que antes correspondia a apenas 15% do faturamento do setor, as casas noturnas não têm perspectiva de retorno, já que são locais de aglomeração de pessoas. “Estão todos perdidos, vai ter o baque ainda mais violento”, completa.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet