Olhar Direto

Segunda-feira, 20 de maio de 2019

Notícias / Política MT

Bolsonaro divulga vídeo de padre de Cuiabá defensor do armamento; “cristão não é pacifista”, diz vigário

Da Redação - Wesley Santiago

08 Jan 2019 - 11:08

Foto: Reprodução

Bolsonaro divulga vídeo de padre de Cuiabá defensor do armamento; “cristão não é pacifista”, diz vigário
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) divulgou, na última segunda-feira (07), em sua conta do twitter, um vídeo do padre Paulo Ricardo de Azevedo Junior, que é vigário em Cuiabá e defende o direito da população ao armamento. Durante a campanha, o religioso apoiou a candidatura do militar reformado e disparou críticas contra a esquerda e o Partido dos Trabalhadores (PT).

Leia mais:
​Juiz arquiva duas denúncias de propaganda eleitoral irregular de Bolsonaro em MT

No twitter, Bolsonaro compartilhou um dos vídeos do padre de Cuiabá (veja abaixo) e comentou: “Assista a reflexão do @padre_paulo sobre o assunto”. A postagem teve 23 mil curtidas, 4,3 mil retweets (compartilhamentos) e mil comentários.
 


O padre Paulo é conhecido por seus discursos contra a esquerda e o PT. Devido à sua militância, ficou conhecido como  o “Malafaia dos católicos” – referência ao pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo e aliado do presidente. “Nós cristãos buscamos a paz, mas não somos pacifistas, porque somos capazes de lutar”, diz no vídeo o padre, atribuindo a declaração ao Papa VI, cujo pontificado durou de 1963 a 1978.
 
Na gravação, publicada em 2011 após o massacre de Realengo, no Rio, no qual um jovem de 23 anos invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira e matou 12 estudantes, entre 13 e 16 anos, Paulo Ricardo chamou a defesa do desarmamento de “crise histérica” e “pura hipocrisia”. Na ocasião, um grupo de parlamentares defendeu que o Estatuto do Desarmamento, que proíbe a venda de armas de fogo no país, fosse submetido a nova consulta popular. Em 2005 o texto foi rejeitado.
 
Segundo o religioso, o direito à legítima defesa é “cristão e moral”, “uma caridade”. “É algo que existe e, mais que um direito, muitas vezes é um dever. Imagine um assaltante que entra na sua casa, agride sua esposa, violenta sua filha e dilapida seu patrimônio. Você vai ter coragem de olhar na cara delas e dizer ‘sou da sua paz, não fiz nada porque sou pacifista’?”
 
Na visão do padre, nem todo assassinato é "pecado". “Pecado é tirar a vida do inocente. O pecado do homicídio é isso. Não estamos tirando a vida de um inocente, mas a vida do agressor”, defendeu.
 
Durante a campanha eleitoral, Paulo Ricardo fez sermões em favor de Bolsonaro que viralizaram na internet. De perfil conservador, o padre classifica as discussões sobre gênero, chamadas por ele de “ideologia de gênero", como um câncer a ser combatido e diz que o país tem cada vez mais ignorantes graças à esquerda e ao “marxismo cultural.
 
Na semana passada o presidente Jair Bolsonaro disse que vai facilitar a posse de armas por meio de um decreto. Segundo ele, a ideia é acabar com a subjetividade do Estatuto do Desarmamento. “Ali, na legislação diz que você tem que comprovar efetiva necessidade. Conversando com o [ministro da Justiça] Sergio Moro, estamos definindo o que é efetiva necessidade. Isso sai em janeiro, com certeza”, disse em entrevista ao SBT. Bolsonaro adiantou que pretende tornar o acesso mais simples a moradores de localidades com altos índices de mortalidade. (Com informações do Congresso em Foco)

33 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Edgleisson Santos de Jesus
    12 Jan 2019 às 10:47

    N conhece sequer uma linha da Bíblia e querem atacar o padre Paulo q é um homem digno, sério, extremamente sábio e conhecedor da palavra. Desafio esse jornalista a ter a coragem de debater sobre qualquer assunto com o padre.

  • Weslley
    11 Jan 2019 às 07:09

    Padre Paulo Ricardo NUNCA fez campanha para Bolsonaro. Até porque isso não compete à ele enquanto padre. As coisas que ele diz -em forma de ensinamento- são todas baseadas no riquíssimo conhecimento que tem da Santa Igreja Católica. Talvez não haja, no Brasil, católico com um conhecimento acima do nível de Padre Paulo Ricardo. Quem é Cristão Católico de verdade sabe muito bem que aquilo que ele prega e defende por meio de exemplos condiz com toda a lei e moral Cristã. Qualquer tentativa de descontextualizar o trabalho de evangelização e ensinamento do Padre em nome de ideologias que semeiam ódio e inverdades contra o Cristianismo é de uma canalhice e injustiça sem precedentes, como o faz o artigo acima. Viva a Santa Igreja Católica!

  • Camila
    10 Jan 2019 às 21:01

    Se vc não concorda com o que o padre Paulo Ricardo diz, não se diga catolico

  • Elisa
    10 Jan 2019 às 13:22

    Antes de criticarem o padre Paulo Ricardo, deveriam estudar, em especial o catecismo da Igreja Católica: àqueles q se dizem católicos. Outros ainda até conhecem a existência dos 10 mandamentos, mas nunca os estudaram de verdade. E pra vcs o cidadão de bem não pode ter posse de arma pra se defender e os ladrões e baderneiros nos fazer de reféns, matar, roubar, estuprar, etc... é normal né. Deveriam lavar suas bocas pra falar desse padre, q não está fazendo nada além de proclamar a verdade, nós cristãos devemos pregar o amor com atitudes princialmente mas não precisamos ser tontos, ver um bandido entrar em nossos lares, assaltar, roubar, matar nossos familiares e ficarmos apenas olhando ou tentando convertê-lo. Vão se informar direito antes de sair julgando e criticando a torta e a direita como bem entendem.

  • Ilze
    09 Jan 2019 às 14:32

    Se é pra todo mundo andar armado com o objetivo de defender-se, então não há necessidade de gastos extremos com as policias e por conseguinte da justiça. No caso é cada um guardar a si mesmo e aos seus e fazer justiça com as próprias mãos e assim o estado faria uma grande economia com os recursos empregados para a manutenção desses onerosos sistemas. KKKkk. SQN. A melhor segurança vem da prevenção, que somente a educação básica de abrangência universal em tempo integral pode conseguir. Quanto a esse sacerdote, tenho um pé atras com o mesmo. Parece que ele é fixado no tempo da Inquisição. Li um livro que ele escreveu e fiquei impressionada com tanto radicalismo ali exposto só comparável ao que se praticava nos tempos que mandavam os hereges para queimarem vivos na fogueira inquisitória. Ele é totalmente anacrônico. E ademais, religião e estado juntos só traz tragédia. Sou pela permanência do estado laico como indica a CF/ 88!

  • Exorcista
    09 Jan 2019 às 12:48

    Sou católico praticante... E o mandamento que fala não matará se revere aos filhos de Deus..aqueles que não segue suas leis não são filhos de Deus e sim criaturas de Deus... A BÍBLIA É CLARA A ARVORE QUE NÃO DER BONS FRUTOS CORTAIS ...

  • Paula
    09 Jan 2019 às 12:00

    Esquerdistas miseráveis aqueles que não apoiam o armamento do CIDADÃO DE BEM, certamente aqueles que estão insultando o Padre, desconhecem seu histórico. Fácil desqualificar quando não se conhece ou não o acompanha. Vão assistir aos vídeos dele, junto com o catecismo da igreja católica, sabem o que é isso? Ele é o apêndice da Bíblia.

  • Gilmar
    09 Jan 2019 às 09:51

    Padre você está na função errada.

  • marcos vinicius paes de barros
    09 Jan 2019 às 09:14

    Realmente. A hipocrisia dos politicamente correto é de "matar". Bandido pode e vai continuar armado e matando. O cidadão de bem que espere a ajuda divina. Sou católico "praticante" e sei que a máxima "Deus ajuda a quem se ajuda" faz parte da mensagem católica.

  • Antônio Rodrigues
    09 Jan 2019 às 07:51

    A vaidade é o pior dos pecados. A sede de poder e vingança também. Este padre deveria saber que que Cristo falou em Amar e não armar.

Sitevip Internet