Olhar Direto

Notícias / Cidades

PF cumpre mandados em secretaria e contra médico que teria recebido quase R$ 1 milhão indevidamente

Da Redação - Wesley Santiago

13 Mar 2019 - 07:26

Foto: Reprodução

PF cumpre mandados em secretaria e contra médico que teria recebido quase R$ 1 milhão indevidamente
A Polícia Federal deflagrou a 'Operação Onipresente', na manhã desta quarta-feira (13), com o objetivo de apreender provas relacionadas à contratação ilegal de um médico em Salto do Céu (348 quilômetros de Cuiabá). Esta é a segunda fase das investigações que visam combater desvios de recursos públicos federais no município.

Leia mais:
Gaeco combate esquema de lavagem de dinheiro e cumpre mandados em MT; R$ 35 mi bloqueados

O profissional estaria desempenhando serviços em Mato Grosso e também em Rondônia, mesmo sendo fisicamente impossível devido à distância entre as duas localidades. Ao todo, o acusado teria recebido R$ 1 milhão em contratos.

Três mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz federal Rodrigo Bahia Accioly Lins, da 1ª Vara da Justiça Federal de Cáceres/MT, e estão sendo cumpridos em operação conjunta com a Controladoria-Geral da União (CGU).

A Polícia Federal faz buscas em uma residência, um consultório médico e uma secretaria municipal em Salto do Céu.

As investigações indicam que de 2014 a 2017 um médico teria recebido salários vultosos da prefeitura de Salto do Céu. Porém, ele trabalhou durante dois anos na Delegacia Regional da Políica Civil de Ariquemes (RO), o que tornava impossível a prestação de serviço nas duas localidades.

Diante dos fatos, concluiu-se que os cerca de R$ 780 mil pagos ao médico pela prefeitura foram indevidos, devendo ser restituídos aos cofres públicos.

O nome da operação é uma referência a seres dotados de poder especial, que detêm o poder de estarem presentes ao mesmo tempo em diferentes locais.

Operação Trapaça

No dia 26 de fevereiro, a Polícia Federal cumpriu 13 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências de quatro cidades em Mato Grosso. As ações fizeram parte da 'Operação Trapaça', que tem o objetivo de combater fraudes a licitações e desvio de recursos públicos. Em alguns meses de atuação, uma suposta empresa de fachada já teria lucrado mais de R$ 2 milhões. O prefeito de Salto do Céu, Wemerson Adão Prata (PP), foi um dos alvos.

As ordens foram cumpridas em Salto do Céu, Cáceres, Curvelândia e Nova Lacerda. Todos estes municípios mato-grossenses.

A operação, que iniciou a partir de encaminhamento de documentos da Controladoria Geral da União (CGU),  visa angariar mais provas relacionadas aos crimes de fraude a licitações e desvio de recursos públicos praticados por suposta organização criminosa atuante no município de Salto do Céu e outros da região. 

Uma das supostas fraudes constatadas durante as investigações foi a identificação de uma empresa fantasma criada em nome de "laranja" para participar, em conluio com outras empresas de pequeno porte, de processos licitatórios realizados pela prefeitura de Salto do Céu.

Em poucos meses de atuação a empresa de fachada já ganhou mais de R$ 2 milhões em contratos de licitações possivelmente fraudadas, enquanto foi identificado que o seu sócio principal possuía um salário de apenas R$ 1,2 mil como tratorista.

Atualizada às 07h36 e às 07h51.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • LUNETA
    15 Mar 2019 às 00:47

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Anaoa Rajab
    14 Mar 2019 às 06:25

    Imagine o que se passa com a merenda escolar das crianças desses municípios.

  • Carol
    13 Mar 2019 às 14:41

    Tem muito rato comendo pelas “ beradas” aí. Uma cidade tão pequena com tanta corrupção, quem perde é a população. Parabéns à Polícia Federal e a CGU, que continue as investigações e coloque esses bandidos na cadeia. Bandidos, isso mesmo, quem rouba da população não pode ter outro nome, senão BANDIDO.

  • Caleb
    13 Mar 2019 às 09:40

    Tem que ir atrás dos que assinavam o ponto dele!

Sitevip Internet