Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Notícias / Cidades

Mulher acusada de torturar e espancar enteado está grávida de cinco meses

Da Redação - Fabiana Mendes

19 Abr 2019 - 17:30

Foto: Reprodução

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Presa acusada de torturar e agredir o enteado de cinco anos, Mariluce Castro de Oliveira, de 32 anos, está grávida de cinco meses. A informação consta na decisão do juiz Geraldo Fernandes Fidelis Neto, que converteu a prisão em flagrante em preventiva no último dia 16. 
 
O pai da criança, Alexandre Max Nunes da Silva também está preso pelos mesmos crimes. A vítima foi encontrada com o pênis em carne viva e bastante debilitada, já que passava fome. Eles residiam no bairro Pedra 90, em Cuiabá.

Leia mais:
Juiz mantém prisão de pai e madrasta que torturaram menino de cinco anos

Na decisão é citada a possibilidade da concessão de liberdade provisória ou ainda, da conversão da prisão em medidas cautelares diversas. No entanto, ela é descartada por apresentar riscos à investigação, já que, uma vez em liberdade, Mariluce pode fugir da Capital e coagir a criança e testemunhas.
 
“Desta forma, muito embora reconheça que a segregação provisória tenha natureza de verdadeira punição antecipada, tratando-se de medida drástica e indesejada, não vislumbro outra alternativa, à luz da legislação vigente, senão a manutenção da prisão, máxime pela natureza do crime perpetrado.  Logo, a sua mantença no cárcere também se faz necessária para garantir a aplicação da lei penal”, consta no termo de audiência de custódia.  
 
O caso

A criança de cinco anos, resgatada na última segunda-feira (15), por policiais da Delegacia Especializada de Defesa dos Diretos da Criança e do Adolescente (Deddica) de Cuiabá e que era torturada pelo pai e a madrasta, foi encontrada com o pênis em carne viva. Além disto, o menino estava bastante debilitado e precisou ser encaminhado para uma unidade de saúde. 

Conforme as investigações, as agressões eram frequentes, sendo que o pai batia no filho com socos e a madrasta usava um pedaço de pau e fivela de cinto para agredir a criança, que residia no bairro Pedra 90.
 
Entre as agressões, os suspeitos colocavam um elástico no pênis da vítima, como punição pelo fato da criança fazer as necessidades fisiológicas na calça. O casal também colocava o menino por horas de castigo de joelhos sobre caroços de arroz e sobre concreto quente.
 
Com base nos relatos, os policiais da Deddica foram até a residência dos suspeitos, no bairro Pedra 90, onde foi constatada a veracidade da denúncia, sendo o menino encontrado com várias lesões por todo corpo, não conseguindo nem ficar em pé.
 
Diante da situação, foi dada voz de prisão a madrasta da criança. Em continuidade as diligências, os policiais foram até o trabalho do pai do menino, na Avenida Beira Rio, onde foi realizada a prisão do suspeito.
 
A criança passava fome, estava muito fraca e foi encaminhada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde ficou sob observação.
 
A prisão do casal aconteceu depois de uma testemunha relatar ao Conselho Tutelar que o menor reclamava de dores e estava com marcas de queimadura de cigarro pelo corpo, machucados nos joelhos, além de estar com o órgão genital em carne viva.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Darci
    20 Abr 2019 às 15:39

    E daí?

  • Cidadã
    20 Abr 2019 às 14:06

    Valeria você só pode ser parente dessas Bestas do Apocalipse. Assim como ela você não demonstrou nem uma vírgula de pena dessa criança. Raça do Mal.

  • Willian
    20 Abr 2019 às 08:21

    A criança que irá nascer, já devia ser automaticamente colocada para adoção. Se eu fosse juiz, já determinaria isso, além de na mesa de cirurgia, já ser feito a laqueadura para que um monstro desses nunca mais pudesse ter filhos. Quer filhos para quê? Para espancar? Sou a favor de umas palmadinhas para educar, daí a distância entre palmada e espancar, está muito distante. Aliás, essa história de laqueadura e vasectomia, devia ser lei. Espancou filho, o homem devia ser obrigado a fazer vasectomia e a mulher laqueadura.

  • Valeria Ribeiro
    20 Abr 2019 às 08:13

    Injustiça. Está grávida. Mas como não tem advogado poderoso, o magistrado para se promover (como a condenada Selma Arruda) , mantém a pobre mulher grávida presa. Oremos para Deus amolecer o coração do magistrado.

  • Fabiana
    20 Abr 2019 às 07:52

    Grande Dr Fidélis!!

  • Pedro
    20 Abr 2019 às 01:54

    Canalhas

  • FABIANA
    19 Abr 2019 às 23:03

    AINDA ESTA GRAVIDA E MELIANTE. SÓ SABE FAZER FILHO PRA DEIXAR NA RUA. TEM QUE DEIXAR ELA TRANCAFIADA, ATÉ MESMO PARA NÃO VOLTAR A PRATICA DO CRIME. ELA É MA MARGINAL.ESTA ESCRITO NA TESTA DELA.

  • Eujatedisse
    19 Abr 2019 às 21:26

    O que aconteceu com o menino? Ele está internado no hospital? Foi para algum abrigo? Vai ser colocado para adoção? Onde está a mãe da criança? Não tem avós?

  • Celina
    19 Abr 2019 às 20:24

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • JOANA LIDER
    19 Abr 2019 às 18:23

    que o CCC PCE e MATA GRANDE determina o castigo desse 02 MONSTROS

Sitevip Internet