Olhar Direto

Notícias / Política MT

Mendes diz que calamidade em MT é verdadeira e lamenta “descarte” de decreto pela União

Da Reportagem Local - Érika Oliveira/ Da Redação - Lucas Bólico

22 Abr 2019 - 18:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Mendes diz que calamidade em MT é verdadeira e lamenta “descarte” de decreto pela União
O governador Mauro Mendes (DEM) lamentou que o governo Jair Bolsonaro (PSL) não tenha reconhecido o decreto de calamidade financeira de Mato Grosso do começo deste  ano. A estratégia do governo era que com isso o Estado conseguisse acessar com mais facilidade recursos e renegociasse dívidas.

Leia também:
Mendes apresenta ao MP e TJ evolução das dívidas dos últimos 15 anos até atual estado de calamidade

“[Encaro a postura do governo federal] Com naturalidade. São seis estados que decretaram, o governo não reconheceu, mas isso não muda nada da realidade lamentável que nós temos no Estado de Mato Grosso”, reclamou Mendes.
 
“O governo não reconheceu. Seus estados decretaram e isso não muda nada. Gostaria que se ele não reconhecesse tudo aquilo que existe em Mato Grosso não fosse verdade, mas lamentavelmente é tudo verdade”, completou, ao citar as condições financeiras que encontrou quando assumiu o Paiaguás.
 
Apesar de o decreto ter sido praticamente descartado pelo governo Bolsonaro, Mendes afirmou que a medida teve sua importância. “Está ajudando em outras coisas. Por exemplo, já renegociamos com o Bank of America. Existem várias ações que foram decorrentes daquela, não o decreto em si, mas decorrente da lamentável situação que o estado se encontra”.
 
Nós temos feito insistentes rodadas em Brasília. Até agora nós não temos nada de prático. O que nós temos feito é se virado com os recursos que nós temos no estado de mato grosso e graças a deus já conseguimos perceber que o estado está começando a dar sinais de que vai se recuperar. Tenho certeza que ele vai se recuperar.
 
O Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, afirmou por meio de nota que o entendimento do Tesouro é que a decretação de calamidade financeira não abre aos governadores a possibilidade de parcelar ou atrasar dívidas, nem suspender gastos, nem descumprir os limites da lei.
 
“O termo ‘calamidade’ (sem especificar se é financeira) é mencionado na LRF no artigo 65: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LCP/Lcp101.htm. A legislação federal referente a calamidade pública, regra à qual a União está vinculada, por sua vez, encontra-se em arquivo anexo. Os grifos são nossos; repare que o decreto tampouco fala em calamidade financeira”, diz trecho do comunicado do ministério.
 
De acordo com o Governo Federal, é possível que o Tribunal de Contas Estadual tenha entendimento diferente em torno dessa questão.
 
Mauro ainda afirmou que está cuidando dos interesses de Mato Grosso enquanto Jair Bolsonaro está cuidando do Brasil. “A gente sempre espera mais, como acho que qualquer prefeito espera mais do governador também. Mas tem que ver se é possível fazer. O meu papel de pedir e solicitar eu estou fazendo. E agora vamos construir junto à bancada federal que essas ajudas possam acontecer ao estado de Mato Grosso”.

20 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • curimbatá
    23 Abr 2019 às 10:29

    acertou quem disse Gambá. diz que ele mora la naquele prédio que tem um boi pintado. Voote!

  • João Souza
    23 Abr 2019 às 09:37

    Desta vez a mentira não colou. Vai trabalhar governador e para de enrolação!

  • Francisco
    23 Abr 2019 às 09:16

    Essa "estória" de DECRETO DE CALAMIDADE, é conversa pra boi dormir. Deram uma no governo federal pra ver se colava e não colou, parece até que dessa reunião participou um antigo dono do poder em MT. (Vai que cola)

  • Bobó Cheira Cheira
    23 Abr 2019 às 09:07

    ACHOU QUE IA PASSAR A CONVERSA NA GALERA NÁ MAURO? O POVO LÁ NÃO É BOBÓ. VIU QUE TUDO ISSO NÃO PASSA DE INCENAÇÃO. AINDA MAIS AGORA QUE O SENHOR SANCIONOU TODAS AS REPOSIÇÕES INFLACIONÁRIAS DOS PODERES (RGA) MENOS A DO EXECUTIVO SENDO QUE A FONTE DE RECURSO PARA PAGAMENTO DAS MESMAS VEM DE UM LUGAR SÓ QUE É A ARRECADAÇÃO DO ESTADO. KKKK FICOU FEIO PRA VOCÊ ISSO EM EXCELENTÍSSIMO.

  • Eleitor
    23 Abr 2019 às 08:28

    Governo de mentiras, de enganações, de truculências. Agora ta ai primeira desmoralização, a UNIAO não reconheceu a mentira de Mauro Mendes. DITADOR.

  • Chico Bento
    23 Abr 2019 às 08:16

    Senhor governador, o país também está arrebentado financeiramente, mas o presidente e seus ministros estão lutando, criando alternativas de resolver a situação, não estão falando mal dos governos anteriores não! Olhe para frente, unidades federativas não contam com dispositivo de "recuperação judicial" não.

  • CURIMBATÁ
    23 Abr 2019 às 07:35

    TCHÁS CRENÇA SE OCÊ PRESTA BEM ATENÇÃO NA FOTO TEM GENTE QUE PARECE UM MARSUPIAL QUE DÁ BASTANTE NO MATAGAL...TEM ATÉ UM RASQUEADO. FE....DE PRA DANÁ MAIS É GOSTOSO.... ADVINHEM O BICHO!

  • Vanderlene Silva
    23 Abr 2019 às 06:35

    Professor Onofre Ribeiro disse que Brasília só não reconhece decreto de calamidade por MT ser insignificante no contexto nacional. Vejo boa intenção em Mauro Mendes. Já Bolsonaro é o pior presidente que já tivemos e olha que seu mandato iniciou agora..

  • Dr Ricardo
    22 Abr 2019 às 21:11

    A sua fake News foi desmascarada governador. Se recolha à sua insignificância, evite o assunto para não ficar mais feio.

  • Davi
    22 Abr 2019 às 21:09

    A crise de Mato Grosso é tão verdadeira quanto à decretação de falência das empresas do ilustre governador.

Sitevip Internet