Olhar Direto

Notícias / Educação

Professores protestam na porta da Seduc e aprovam paralisação das atividades

Da Redação - Thaís Fávaro

24 Abr 2019 - 18:17

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Professores protestam na porta da Seduc e aprovam paralisação das atividades
O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) realizou manifestação em frente à Secretária de Educação Estadual (Seduc), na tarde desta quarta-feira (24), no Centro Político Administrativo, em Cuiabá. A categoria optou por parar as atividades por 24 horas, podendo deflagrar greve geral na assembleia marcada para o próximo dia 20 de maio. O sindicato pede melhores salários e a convocação dos aprovados em concurso público. Cerca de 400 mil alunos da rede estadual poderão ficar sem aula.

Leia mais
Professores aprovam paralisação de 24 horas e podem entrar em greve a qualquer momento
 
Um dos diretores do Sintep, Henrique Lopes Nascimento, contou ao Olhar Direto que a categoria cobra os direitos assegurados por lei e que a paralisação e uma possível greve geral são uma forma de advertir o governo. “Essa é uma paralisação de 24h de advertência ao Governo do Estado do que pode vir a acontecer no dia 20 de maio, que é quando a categoria terá uma nova Assembleia Geral, com indicativo de greve geral das atividades. Caso o governo do Estado não respeite os trabalhadores e não assegure a política da dobra do salário e não resolva a questão dos aprovados no concurso público, iremos parar as atividades”, afirma.


 
Henrique afirma que não cabe aos servidores a culpa pela situação financeira do Estado de Mato Grosso. “Não da pro governo falar em calamidade em um Estado que concede de iniciativa fiscal. Só aqui no Estado quase R$ 4 bilhões de reais, não dá para falar em calamidade em um Estado que só de Lei Kandir por exemplo, para esse ano, está previsto quase R$ 7 bilhões de reais. Somada essas duas da praticamente 50% daquilo que é o orçamento do Estado. O governo não nega que houve crescimento econômico no Estado, mas ao mesmo tempo ele quer colocar na conta do servidor o problema do Estado, dizendo que a folha de pagamento cresceu quase 700%, mas ele não fala que o Estado está deixando de arrecadar pra poder assegurar as políticas públicas. Então o vilão dessa história não é o servidor público. Esse governo precisa ter coragem, ele precisa saber exatamente onde ele precisa atacar. As coisas estão claras, mas ele não quer enxergar porque ele prefere governar para essa pequena minoria. Mato grosso tem perfeitas condições de valorizar seus servidores, basta que o governo entenda o que que é prioridade.”.


 
O deputado estadual Ludio Cabral (PT), participou da mobilização e apontou a importância do movimento para que a classe consiga o que lhe foi assegurado por Lei. “Nós temos um governo que tem outro compromisso. O compromisso do governador é com os bilionários, com os muitos ricos, é por isso que é essencial mobilizações como essa hoje. Paralisando a educação no Estado para denunciar as precárias condições de trabalho, para denunciar as ameaças que sofrem as duras penas e com muita luta”, afirmou.
 
O deputado ainda pontou algumas reinvindicações da categoria. “Pelo respeito a legislação eu assegura a Revisão Geral Anual (RGA) no Estado, para acabar com escalonamento nos pagamentos de salário, para acabar com os atrasos e pagar os salários em dia, para segurar o cumprimento da legislação que garante aos trabalhadores da educação a dobra do valor real da remuneração até 2023, que é uma Lei que foi aprovada depois de muita mobilização em 2013 e contra essas propostas que estão transitando no congresso nacional como a reforma da previdência, ameaça da estabilidade do serviço público. Tudo isso são pautas que levaram a essa mobilização e a aprovação da paralisação”, diz.

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gheraldo Dhorte.
    26 Abr 2019 às 14:59

    Ao meu ver,se os Professores querem ter o respeito,e o apoio da população! Tem que se afastar de partidos politico, pois a maioria acham, que o Seduc, se transformou em um grande comitê do Pt. Ainda mas vendo a frente,como mostra a foto: O dep. Lúdio,e o ex. candidato a dep. Henrique. Ptistas de carteirinha. Os professores nesse momento tem que se desvincilhar,dessas,"ajudas". Até mesmo para mostrar aos país de alunos,que a greve não é politica. Os professores merecem sim ganhar bem! merecem assim como os médicos. Mas, não deixem os politicos profissionais, tirarem proveitos,isso só irá atrapalhar o movimento. Os professores precisam serem: Apardidários.

  • Bugre
    25 Abr 2019 às 21:14

    Só comunistas! Vôte!

  • A favor
    25 Abr 2019 às 16:08

    A imagem clara do caos brasileiro e do nosso Estado está descrito nos comentários feitos aqui. Enquanto Governadores, deputados, vereadores, juristas, nadam de braçada no dinheiro público sem trazer nenhum retorno à sociedade na saúde, educação, segurança, mobilidade, ou qualquer outro tipo de assistência básica, e ruaralistas destroem todos os recursos naturais e sociais para transformar nossas riquezas em ração pra gado da China, EUA e outras potencias, e investindo em paraísos fiscais fora do país, ou por aqui através de dividendos que não pagam um centavo de impostos, nosso povo que votou num absoluto acéfalo, resolve que a culpa da crise pela qual passamos é dos PROFESSORES! Com o menor salário dentro das carreiras do serviço público com a mesma diplomação, em condições absurdas em que estão nossas escolas no Estado, e sem recursos mínimos para produzir aulas de qualidade, só podem ser eles mesmos os culpados de tudo isso que acontece. Ingenuidade, estupidez ou maldade de quem tem esse olhar? Vamos saber.

  • CURIOSO
    25 Abr 2019 às 11:07

    JÁ ESTAMOS CHEGANDO PERTO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS COMEÇOU APARECER AS MESMOS MODELITOS DE SEMPRE

  • alexandre
    25 Abr 2019 às 09:43

    petismo com camisa de Grasmi, gramicismo cultural, perde a credibilidade...no movimento.

  • Mulher ma
    25 Abr 2019 às 09:35

    Mais uma vez quem serao prejudicados sao os alunos e pais. Como sempre so pensam no umbigo deles. Se eu fosse governadora faria o seguinte Cada dia parado eu descontava no salario. Ai queria ver se vao ter coragem de continuar a greve.nao gosta de emprego Saiam.

  • Prof
    25 Abr 2019 às 08:28

    Toda vez que eu vejo um politico de braços dados com um sindicalista, que tambem posta uma camisa que apoia o mesmo partido do político, essa manifestação perde o sentido....os professores nap sao burros, sao professores e estao vendo tudo isso, essa velha politica tem que acabar.. .....i sintep precisa de pessoas que realmente militem a favor dos professores e nao de pertidos qhe estiveram no podem e nao fizeram nada pra melhorar e agora querem tumultuar

  • Clovis Ali
    25 Abr 2019 às 08:25

    Não estão satisfeitos? Peçam demissão e vem ver o que é trabalho na iniciativa privada.

  • AVANÇA LOGO MT
    25 Abr 2019 às 08:16

    O PT E O PMDB DE SILVAL AFUNDOU O BRASIL 50 ANOS PRO BURACO, QUEM OS APOIOU ESTÃO AMARGANDO AS DERROTAS TAMBÉM , E NÃO HÁ RECURSOS TEM QUE TRIBUTAR O AGRONEGÓCIO UM POUCO TAMBÉM !

  • Willian
    25 Abr 2019 às 07:55

    Deveria haver uma greve geral, aí eu queria ver de onde o governador iria arrumar dinheiro para ficar dando RGA e outras regalias só para o legislativo e judiciário. Mas infelizmente, já sabemos, qualquer greve será declarada ilegal pelos senhores "DEUSES".

Sitevip Internet