Olhar Direto

Segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Notícias / Política MT

Russi diz que AL fez sua parte e cobra proposta do Governo para encerrar greve

Da Redação - Érika Oliveira

08 Jun 2019 - 17:07

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Russi diz que AL fez sua parte e cobra proposta do Governo para encerrar greve
O deputado estadual Max Russi (PSB) cobrou que o Governo do Estado apresente algum tipo de proposta aos servidores da Educação, em greve desde o dia 27 de maio. A fala do parlamentar é uma reação a nota divulgada pelo Executivo esta semana, na qual afirma não ter condições de atender aos pedidos de aumento de salário. Para Max, o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep) entende o momento dificil pelo qual passam as contas públicas, mas ainda assim é possivel construir uma alternativa que seja viável para ambas as partes.

Leia mais:
Após negativa do Governo, profissionais da educação deliberam sobre greve

“A Assembleia deu sua colaboração marcando a audiência, fazendo as trativas. Esse é o nosso dever. Mas eu acho que o Governo tem que trabalhar uma proposta e encaminhar ao Sindicato. O Governo mostrou a situação, mostrou a realidade, mostrou a problemática e eu acredito em uma construção entre o Sintep e o Governo do Estado, para que a gente possa fazer uma proposta dentro daqulo que é possivel para o Governo. E que a gente possa com isso acabar com a greve, porque ela não acrescenta em nada pra ninguem”, considerou Max Russi.

Na terça-feira (04), em nota, o governador Mauro Mendes (DEM) defendeu que, caso atenda as exigências do movimento grevista, faltará dinheiro para merenda e investimentos nas escolas.

No documento, o governo demonstra que é essencial o retorno aos limites de gastos com pessoal de acordo com o que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal (49%), para que seja possível que os reajustes possam ser novamente concedidos.

O governo ainda apresentou vários cenários que evidenciam a possibilidade ou não da concessão do reajuste, conforme o comportamento da receita e da despesa com pessoal para os próximos anos.

Nesta quinta-feira (06), o Sintep convocou uma nova assembléia para analisar a resposta do Governo e decidir os novos rumos do movimento. Até lá a greve continua. Na avaliação geral do sindicato, o documento traz uma justificativa ampliada dos argumentos apresentados pelo Executivo, mas não trouxe nada de novo, conforme esclareceu o secretário de finanças do SIntep/MT, Orlando Francisco. “O Governo apenas reafirma a impossibilidade de cumprir o direito dos servidores devido o limite prudencial, e a Lei de Responsabilidade Fiscal”, disse.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • valda
    10 Jun 2019 às 11:37

    a assembleia fez a parte dela aprovando todo o pacote de maldades enviado por mauro mentes no inicio do ano. parabens pela parte que os deputados fizeram.

  • O ATALAIA
    09 Jun 2019 às 13:46

    A reação arrogante e inapropriada de Mauro Mendes contribuiu para o recrudecimento do movimento que parece ir bem mais longe do que se espera....

  • Carlos
    09 Jun 2019 às 12:10

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Felisbrino
    09 Jun 2019 às 12:09

    O CORRETO SERIA O SALARIO DOS DEPUTADOS PARA OS PROFESSORES E DOS PROFESSORES PARA OS DEPUTADOS.

  • Luiz
    09 Jun 2019 às 07:12

    todos querem lavar as mãos, mas quando é MP e Judiciário todos correm atender o mais breve possível. Vergonha desses políticos...

  • Inhanna
    08 Jun 2019 às 21:13

    meus amigos enquanto o governo não rever a formo como está apurando a receita corrente líquida e estiver computando o pagamento de 3 terceirizados como despesa de pessoal não devolver os aposentados dos poderes e não rever incentivos não terá dinheiro para recomposição e cumprir a lei. Pronto falei

  • O ATALAIA
    08 Jun 2019 às 20:50

    É isso ai, a AL é a intermediária e o professores confiam numa negociação razoavel. MM ameaçou e reagiu cortando o.ponto dos grevistas e reafirmando sempre que nao pode fazer nenhuma proposta. Parece que ele quer guerra...

  • Pedro Mota
    08 Jun 2019 às 18:49

    Deputado Max , o acordo que interessa aos funcionários da educação, nada mais é, que um aumento de salário. Agora, o Senhor vem dizer que a câmara vez sua parte, agora cabe ao governador a sua proposta, é jogar a classe contra o executivo e ficar numa boa. Entendo, esta é a política que vivenciamos. Deputado, para que este jogo de empurra acabasse, abastava acabar com a tal de reeleição em todos os cargos públicos. Olha a situação que está o país. Tudo por causa da tal reeleição. Políticos não se expõem perante seus eleitores. Qual político que passa dificuldade financeira? Que não aumentou e muito seu patrimônio, ano a ano? A maioria dos eleitores ganham um salário mínimo. Agora, o valor do voto é igual para todos. Os professores também não estão nem aí para os alunos. Esta categoria é titular das greves.

  • joao
    08 Jun 2019 às 18:03

    O governador não resolve o problema com os servidores e acaba com a greve porque não quer. Basta fazer os repasses aos poderes, incluindo o MP com 30 a 35% menor por um período de 6 meses. Mas cadê a coragem?

  • Descrente
    08 Jun 2019 às 17:42

    Mas que o governador MAURO MENTE nao apresentou proposta não apresentou,e o mínimo que ele deveria fazer era apresentar e dai voces vejam como ele está preocupado com a educação desse estado

Sitevip Internet