Olhar Direto

Quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Notícias / Cidades

Defaz vê contradição em depoimento de deputada; compra de materiais teria servido para desvio

Da Redação - Patrícia Neves

19 Ago 2019 - 08:50

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Defaz vê contradição em depoimento de deputada; compra de materiais teria servido para desvio
As investigações da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Administração Pública (Defaz) apontam contradições no depoimento da ex-secretária de Estado de Educação, Rosa Neide Sandes de Almeida (PT), quanto à aquisição de materiais escolares destinados à educação indígena. A Polícia Civil apura o destino de mais de R$1,1 milhão e materiais supostamente entregues durante a gestão da hoje deputada federal.

Leia mais:
Defaz apura fraude de R$1 milhão na Seduc, cumpre mandado na casa de deputada e prende ex-secretário

A casa da atual parlamentar, no condomínio Alphavile, foi alvo de cumprimento de mandado de busca a apreensão na manhã desta segunda (19), durante a operação batizada de ‘Fake Delivery’. Para a Polícia, existem indicativos de que os materiais foram adquiridos já com o propósito criminoso de desviar o patrimônio público em benefício particular.

Conforme a Polícia Civil, elementos iniciais da análise dos processos apontam que parte dos materiais escolares foram entregues no setor de patrimônio da Seduc, correspondente ao valor de R$ 884.956,48 (direcionados à comunidades indígenas, campo e quilombola) e que o montante de R$ 1.134.836,76 em material foi “supostamente” entregue diretamente na sede da SEDUC, ao Secretário Adjunto de Administração Sistêmica, à época, Francisvaldo Pereira de Assunção, sem que restasse evidenciado o destino desse volume expressivo de mercadoria. Pereira, que atualmente trabalha como assessor parlamentar do deputado Valdir Barranco (PT) foi preso nesta manhã.

Ainda conforme a Polícia, o recebimento das mercadorias diretamente por Francisvaldo Pereira de Assunção, sem a identificação de entrega no setor de patrimônio, foi ratificado por provas testemunhais e documentais.

Na investigação, há ainda outro indicativo de que os materiais foram adquiridos já com o propósito criminoso de desviar o patrimônio público em benefício particular, vez que o próprio coordenador da Coordenadoria de Educação Escolar Indígena (2010/2016) declarou que não lhe foi solicitado qualquer tipo de informação.

“Destaca-se a gravidade dos eventos criminosos, vez que cada recebimento irregular teria consumado um crime de peculato, ocorrendo, assim, 28 atos que indicam o delito em continuidade delitiva”, diz a polícia que irá dar seguimento a apuração por meio de autos complementares.

As testemunhas ouvidas indicaram que a aquisição seria uma determinação da então secretária, a deputada federal Rosa Neide Sandes de Almeida.

Procurada na manhã de hoje, a parlamentar negou que sua residência fosse alvo de mandado de busca. 

A assessoria da parlamentar se manifestou por meio de nota e declarou que não é investigada e que sempre estará à disposição para prestar esclarecimentos sobre o período em que ficou à frente da pasta.

Veja a íntegra: 

"A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) acompanha pela imprensa os desdobramentos da Operação Fake Delivery. Embora não seja investigada, a parlamentar informa que segue, como sempre, à disposição dos Órgãos de Investigação para quaisquer esclarecimentos, referentes ao período que atuou como secretária de Estado de Educação".

24 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Silva
    19 Ago 2019 às 19:47

    Creio eu que a maioria dos brasileiros não teria condições de administrar recursos públicos, porque inclusive este é um problema cultural de querer levar vantagem em tudo... não são todos, mas poucos são 100% honestos. Você vê isto no trânsito td dia, por exemplo, cada um quer passar na frente do outro e estar sempre com a razão. Querer tirar vantagem, não é então questão de partido. O PT não me representa, mas o PSL também não, eu não fecho os meus olhos para o óbvio e nem fico adorando humano falho = eu. Bolsonaro pode não ter o dedo neste caso, mas acoberta erros graves dos filhos, faz nepotismo e só dá mancada... eu não coloco a minha mão no fogo por nenhum político, seja Lula, Bolsonaro, etc, são todos incompetentes e em alguma parte do caminho se tornaram desonestos... pra lidar com poder e dinheiro, só rígida disciplina de caráter resolve e isto é raridade aqui!

  • Juca
    19 Ago 2019 às 15:44

    E ela apoiou a greve ilegal dos professores, lembra?

  • Rico
    19 Ago 2019 às 15:13

    Pode demorar o tempo que for, mas um dia a conta chega, e chegou!

  • Milkão
    19 Ago 2019 às 13:17

    É absurdo e desconexo certas opiniões, ao se posicionarem em defesa daqueles que ao ocuparem cargos majoritários e de relevância, se valem dos mesmos para beneficiar-se a si próprio, partidos e instaurar a banalização com os gastos públicos, valores esses pelo cidadão ordeiro e de bem. Seria apropriado, defender sim aquilo que é certo e de acordo com os princípios da honestidade e lisura pela coisa pública e em benefício da sociedade. Ninguém aqui e se não perceberam ainda defende direita ou esquerda, e sim o que é correto, com transparência, do povo e para o povo. Vamos deixar de demagogias....

  • Fábio
    19 Ago 2019 às 13:11

    Claro que teve Maria. Roubaram mais de um milhão. Como dizer que não ouve abuso de autoridade... Por isso a polícia tá na Rua

  • Mariana
    19 Ago 2019 às 13:01

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Lei
    19 Ago 2019 às 12:30

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Marcelo Pedroso
    19 Ago 2019 às 11:49

    Até que enfim chegou no PT estadual, demorou mais chegou.

  • Jaimão da cohab nova
    19 Ago 2019 às 11:47

    É GÓPI É GÓPI ??????

  • Maria
    19 Ago 2019 às 11:45

    Uma deputada federal com prerrogativa de foro no STF foi alvo de busca e apreensão decretada por juiz de piso? Tem ou não tem abuso de autoridade no Brasil?

Sitevip Internet