Olhar Direto

Sábado, 21 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Temperatura chega a 42ºC em Cuiabá e previsão aponta máxima de 43ºC esta semana

Da Redação - Thaís Fávaro

09 Set 2019 - 12:05

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Temperatura chega a 42ºC em Cuiabá e previsão aponta máxima de 43ºC esta semana
O calor intenso e o tempo seco têm castigado cada vez mais os moradores de Mato Grosso. Em Cuiabá, os termômetros dispararam na última sexta-feira (6), chegando à marca dos 42ºC de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Essa é a maior temperatura do ano registrada até o momento. Para esta semana, o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) prevê a máxima de 43ºC para a próxima quinta-feira (12). Durante toda a semana os termômetros devem ficar na casa dos 40ºC e a umidade em torno de 15%.

Leia mais
Calor de 40ºC e umidade do ar a 8% marcam a sexta-feira em Cuiabá
 
Para essa segunda-feira (9), os termômetros podem chegar aos 41ºC. O dia será de sol intenso com algumas nuvens, mas não há possibilidade de chuva. A umidade fica entre 10% e 45%. Na terça e quarta-feira a temperatura varia entre 26ºC e 40ºC, também com possibilidades mínimas de chuva.

Ainda de acordo com o Cptec, na quinta-feira (12), a previsão aponta para um novo recorde na capital, com 43ºC. A previsão se estende para a sexta-feira (13). A umidade relativa do ar se mantém baixa e exige mais cuidados com a saúde.
 
Entenda o que é umidade relativa do ar

Umidade relativa do ar é a quantidade de líquido vaporizado que há na atmosfera em um determinado marco temporal comparado ao pico máximo que poderia atingir, em uma dada temperatura. Em outras palavras, a umidade relativa do ar é a relação entre a quantidade de água existente no ar 

Quando a umidade cai o ar se torna árido, atingindo às vezes um aspecto desértico, o sol brilha intensamente e as chuvas são escassas.  Muitas vezes a situação fica tão crítica que as autoridades chegam a declarar estado de emergência.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um nível considerado aceitável deve estar acima dos 30%. Abaixo desse nível é importante que as pessoas tomem uma série de medidas para evitar problemas respiratórios, ressecamento e desidratação.

Consequências para a saúde

O tempo seco pode causar diversos problemas para a nossa saúde como rinite, irritação nos olhos, asma, ressecamento da pele, problemas cardíacos, entre outros. O nível considerado adequado para a saúde humana segundo especialistas varia de 40% e 60%.

Para se prevenir durante essa época de pouca chuva é aconselhado o uso de umidificador de ar, maior consumo de líquidos, comidas leves como frutas e saladas e o uso de cremes hidratantes para evitar um maior ressecamento da pele.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pedrão
    10 Set 2019 às 07:28

    Estamos na era bozozóica - o fim das florestas. Todos vão torrar - inclusive os bozomínions.

  • Juliana
    09 Set 2019 às 18:20

    Com esse desmantamento só vai piorando com o passar dos anos, daqui 20 anos não vai dá nem pra se viver aqui. Infelizmente

  • Fulano
    09 Set 2019 às 15:36

    Furo de matéria do OD!!!

  • Celeste Flores
    09 Set 2019 às 13:50

    Calor temos sempre. Mas esse ano aumentou pois a diarréia verbal de Bozonaro estimulou produtores rurais a tocar fogo. Bolsonaro está destruindo o Brasil .

  • Mulher ma
    09 Set 2019 às 13:25

    O sao pedro meteu o mato grosso no forno. E esqueceu de tirar. Daqui uns dias vamos ficar sequinhos e crocantes .

Sitevip Internet