Olhar Direto

Sábado, 14 de dezembro de 2019

Notícias / Cidades

Autor de chacina em MT abusou de bebê de 5 meses e é apontado como maior estuprador em série de GO

Da Redação - Wesley Santiago

21 Set 2019 - 08:25

Foto: Cristiano Araújo (Assessoria de Imprensa / SSP)

Autor de chacina em MT abusou de bebê de 5 meses e é apontado como maior estuprador em série de GO
Wellington Ribeiro da Silva, 52 anos, preso em Goiás na última quinta-feira (19) acusado de estuprar mais de 20 pessoas em Goiás e autor de uma chacina ocorrida em 1997, na cidade de Rondonópolis (215 quilômetros de Cuiabá), quando matou a esposa e os dois filhos dela, tem um bebê de cinco meses entre suas vítimas. Ele é considerado como o maior estuprador em série do Estado e um dos maiores do país.

Leia mais:
Envolvido em chacina de esposa e filhos em MT e estupro de 20 pessoas é preso
 
No dia 07 de maio de 2011, Wellington foi preso em flagrante por ter estuprado uma mulher e sua filha de apenas cinco meses, no Jardim Ipanema, em Goiânia (GO).
 
Wellington é apontado como o autor de 47 estupros ocorridos em Goiás. Exames periciais de DNA já confirmaram ser ele o autor dos crimes sexuais contra 22 vítimas, ocorridos entre os anos de 2008 e 2019.
 
Wellington Ribeiro anunciava um assalto, obrigava as vítimas a subirem na moto, e as levava para lugar hermo, onde praticava o crime, valendo-se de grave ameaça (uso de arma de fogo) e sem retirar o capacete, a fim de ocultar sua identidade. Ele tem antecedentes criminais por roubo, estupro e homicídio.
 
O suspeito é apontado como autor do crime de grande repercussão, ocorrido em 1997 em Rondonópolis (215 quilômetros de Cuiabá), conhecido como “Chacina do Monte Líbano”, em que assassinou a sua companheira e os dois filhos dela, de dez e três anos.
 
Na época dos fatos, Wellington comandava uma quadrilha envolvida em diversos roubos e homicídios e tinha um relacionamento com a vítima, Luzia Pereira da Cruz, que tinha dois filhos de outros relacionamentos. Depois de desconfiar que a companheira estava passando informações para a Polícia, o suspeito decidiu matá-la.
 
Pelos crimes praticados, Wellington foi condenado a mais de 50 anos de prisão em regime fechado. Ele chegou a ser preso, mas fugiu do Presídio Major PM Eldo Sá Correa (Mata Grande) em 2013 e desde então seu paradeiro era desconhecido.
 
A prisão do suspeito ocorreu após a troca de informações entre o Núcleo de Inteligência Operacional da Gepol e policiais civis da Superintendência de Combate a Corrupção e ao Crime Organizado, órgão integrante da Secretária Estadual de Segurança de Goiás. A equipe da Polinter fez o encaminhamento dos mandados de prisão que estavam pendentes de cumprimento expedidos pela Justiça de Mato Grosso totalizando nove ordens judiciais.
 
O delegado, Carlos Levergger, um dos responsáveis, pela força tarefa nas investigações dos estupros praticados no Estado de Goiás, disse que no momento da prisão, Wellington, fazia uso de documento falso, sendo também autuado em flagrante pelo crime.

O operação que prendeu o acusado foi batizada de 'Impius', em  razão do nome em latim significar perverso.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maurílio de Almeida
    22 Set 2019 às 08:02

    É por isso que eu sou a favor de pena de morte para alguns crimes e esse é um deles.

  • Kleywersson
    21 Set 2019 às 16:48

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Mário Salve Salve
    21 Set 2019 às 15:46

    Castração . Um 200 tão desse é gravíssimo. Cadeia ou Presídio algum no Brasil. Deve aturar 1 homem desse ( inteiro ) " Agora CASTRADO sim "

  • Mário Salve Salve
    21 Set 2019 às 15:46

    Castração . Um 200 tão desse é gravíssimo. Cadeia ou Presídio algum no Brasil. Deve aturar 1 homem desse ( inteiro ) " Agora CASTRADO sim "

  • Juinense
    21 Set 2019 às 13:47

    E como não tem pena de morte no Brasil, nós (população) vamos ter que ficar sustentando este vagabundo enquanto ele está preso.

  • Alguém
    21 Set 2019 às 12:15

    Agora ele vai provar do próprio veneno.

  • Altaides Consalter
    21 Set 2019 às 09:06

    Não é possível que esse animal ta vivo ainda?

  • Liz
    21 Set 2019 às 09:02

    Acho linda essa farda camuflada. Eu queria trabalhar com balaclava também, só para não cumprimentar ninguém na rua. TKS!!!

Sitevip Internet