Olhar Direto

Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Notícias / Cidades

Secretário cita "massa de manobra" em industria do grilo de Cuiabá

Da Redação - Fabiana Mendes

17 Nov 2019 - 08:16

Foto: Olhar Direto

Secretário cita
Nesta semana, cerca de 400 famílias tiveram que sair de um residencial ocupado no bairro Jardim Glória, região do CPA, em Cuiabá. A reintegração de posse aconteceu após pedido da construtora Lúmen. Somente 20 famílias foram beneficiadas com aluguel social da Prefeitura de Cuiabá, com base em uma pesquisa socioeconômica, realizada por assistentes sociais do Município de Cuiabá e do Poder Judiciário. 

Com mais de sete anos como defensor público na Vara de Regularização Fundiária e atualmente como secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Air Praeiro Alves disse em entrevista ao Olhar Direto que acredita na indústria do grilo em Cuiabá. "Existe sim. Na verdade, há uma massa de manobra por parte de algumas pessoas que querem obter recursos ilícitos, e que orientam o processo de invasão".

Leia mais:
Mães desempregadas se desesperam em reintegração de posse em residencial de Cuiabá

Atualmente, o déficit habitacional na Capital é de 50 mil pessoas. "Não tenha dúvida que a deficiência da política habitacional é responsável por essa situação. Nós estamos entregando no Nico Baracat  uma média de 1,2 mil casas. Eu não consegui alcançar 10% da demanda reprimida. Nós entendemos a necessidade populacional, mas é uma obra de tamanho investimento que há necessidade de um cuidado, uma transferência maior por parte do Governo Federal, que detém a maior parcela do bolo fazendário", disse.

O residencial Jonas Pinheiro III havia sido invadido há quase dois anos. O projeto faz parte do PAC 2. As moradias seriam destinadas aos moradores de Área de Preservação Permanente no Córrego Gumitá, no bairro Doutor Fábio. Entretanto, houve contingenciamento financeiro do Governo Federal e  empresa responsável pela obra entrou em processo de recuperação judicial. " O município não guarda razão com responsabilidade com a edificação da obra", ponderou o secretário.

Foto: Olhar Direto

As famílias beneficiadas pelo aluguel social da Secretaria de Habitação foram realocadas para o bairro Pedro 90. Todas são mulheres, que possuem de três a 13 filhos. Apenas duas são casadas. A renda per capita varia de R$ 18 a R$ 91. Entretanto, conforme o titula da Pasta, apenas 12 pessoas das contempladas aceitaram a moradia. As demais decidiram ir para outros locais não informados.

Air Praeiro pontuou a que a responsabilidade pela fiscalização da edificação não é do Município. "Ainda que você coloque uma fiscalização armada, você consegue bloquear uma invasão? Não tem como. Ela ocorre em massa. Dificilmente você conseguiria controlar uma nova invasão. Você vai atirar? Não vai resolver o problema. É capaz de ser linchado".
 
 

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pelé
    17 Nov 2019 às 14:35

    Quando ganham casa, essas pessoas vendem.Então faz loteamento para baixa renda, prefeitura! Quem sabe construindo com esforço próprio essas pessoas dão valor.

  • Rogerio Delgado
    17 Nov 2019 às 14:08

    Sou servidor Estadual, moro na região cpa, conheco de perto esses residenciais populares na regiao, desde decada 90, o que tem de gente que ganha e nao precisa e demais...e so fazer vistoria periodica ...pra ver o tanto de casa alugada e vendida.....

  • Manuel
    17 Nov 2019 às 13:27

    A prefeitura deveria implantar um loteamento igual foi o Pedra 90. Já resolveria muito o deficit de habitação em Cuiabá e seria uma medida contra a máfia da grilagem.

  • Lorivaldo
    17 Nov 2019 às 13:07

    Uai secretário Ari, o senhor e o Emanuelzinho não ficam prometendo que vai regularizar as invasões nas áreas publicas de APPs ou verdes para as pessoas dos grilos em Cuiabá? Estamos só de olho em vcs.

  • Maria
    17 Nov 2019 às 12:59

    Cade os lideres da mafia da grilagem para abrigar essas pessoas que foram despejadas? Tem que acabar com essa mafia em Cuiabá: políticos, servidores da prefeitura, advogados, lideres. Porque esses não são investigados? Essa máfia só engana as pessoas que precisam. Cade eles agora para ajudar os despejados?

  • Maria
    17 Nov 2019 às 12:59

    Cade os lideres da mafia da grilagem para abrigar essas pessoas que foram despejadas? Tem que acabar com essa mafia em Cuiabá: políticos, servidores da prefeitura, advogados, lideres. Porque esses não são investigados? Essa máfia só engana as pessoas que precisam. Cade eles agora para ajudar os despejados?

  • Manoel
    17 Nov 2019 às 11:34

    Quem mandou acreditar no Emanuelzinho!

  • Nascimento
    17 Nov 2019 às 11:33

    Quando a gente visita um bairro popular, recém entregue é visível os sinais de falhas na seleção. Diversos sinais de riqueza acima da permitida é visto nas reformas, carros na garagem entre outros.

  • Raimundo
    17 Nov 2019 às 10:15

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Luana pedrita de Campos Barreto
    17 Nov 2019 às 09:20

    Isso é uma palhaçada com agente que tamos precisando de moradia eu mesma tenho 4filhos não trabalho tô morando de favor na casa do outros

Sitevip Internet