Olhar Direto

Notícias / Cidades

Cuiabá tem taxa de incidência de coronavírus maior que a média nacional, mostra Informe Epidemiológico

Da Redação - Isabela Mercuri

09 Abr 2020 - 09:41

Foto: Reprodução

Cuiabá tem taxa de incidência de coronavírus maior que a média nacional, mostra Informe Epidemiológico
A taxa de incidência do novo coronavírus (COVID-19) de Cuiabá é maior que a média nacional, revela o primeiro Informe Epidemiológico divulgado pela Diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá em parceria com o Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso. Na capital, são 5,4 casos por cem mil habitantes, contra 4,9 casos por cem mil em todo o país.

Leia também:
Idoso que faleceu em Cáceres estava em SP para tratamento de saúde e veio de avião, diz advogada

De acordo com a assessoria, o informe será divulgado semanalmente, e tem o objetivo de monitorar o padrão de morbidade e mortalidade e descrever as características clínicas e epidemiológicas dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave pelo Coronavírus. Ele foi elaborado tendo como base casos até o dia 4 de abril  de residentes em Cuiabá.

Resultados

Até o dia 4 de abril foram notificados 185 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em Cuiabá. Desses, 32,4% (60 casos) aguardam o resultado do exame para COVID-19. Entre aqueles que se conhecia o resultado (125), 70,4% (88) foram descartados e 29,6% (37) resultou positivo para COVID-19, sendo 33 residentes em Cuiabá, 02 em Várzea Grande e 02 em Poconé.

Entre os casos notificados, 84,9% (157) eram residentes no município. A maioria das notificações foi proveniente de hospitais privados (60,5%), seguidos pelas unidades públicas - Adauto Botelho/Policlínicas/UPA/HMC/HPSC/HUJM (31,4%) - e Vigilância Epidemiológica (8,1%).

Dos 157 casos suspeitos, residentes em Cuiabá, 33,1% (52) aguardam o resultado do exame. Entre os que se conhece o resultado (105), 31,4% (33) foram confirmados para COVID-19 e 68,6% (72) foram descartados.

Apesar da alta taxa de incidência, a letalidade é zero na capital, já que não houve óbito até esta data. Entre os casos confirmados (33) 57,6% (19) foram no sexo feminino. A idade média 44 anos, sendo o mais novo com quatro anos e o mais velho com 63 anos. A maioria dos casos se concentra no grupo de 30 a 59 anos (29; 87,8%) especialmente entre 40 e 49 anos (14). Há somente dois casos em idosos.

Os primeiros sintomas ocorreram em 12 de março, sendo o primeiro caso notificado no dia 14 de março. O intervalo médio entre os primeiros sintomas e a notificação foi de 5,23 dias. Entre os sintomas, destacaram-se febre, referida por 77,8% (14) dos casos e tosse, citada por 72,2% (13). Dispneia (5), cefaleia (1), dor de garganta (1), dor orbital (1) e mialgia (1) foram outros sintomas presentes. Somente cinco indivíduos referiram comorbidades isoladas ou associadas, entre elas prevaleceram diabetes (2) e hipertensão (2), sendo citadas ainda cardiopatias (1), hepatopatia (1), leucemia (1), imunodeficiência (1).

A taxa de internação foi de 57,6% (19 casos) e entre os que se conhece a evolução (23), pouco mais da metade (12) recebeu alta e/ou foi curado e os demais (11) continuam hospitalizados. 

De acordo com Flavia Guimarães, Gerente de Vigilância em Doenças e Agravos Transmissíveis esse é um trabalho importante, que será divulgado semanalmente para construírem uma base de dados sobre a doença e como ela afeta a população de Cuiabá.

“A doença ainda é muito nova e não temos dados suficientes para respondermos todas as questões sobre o vírus. Esses dados que estamos compilando serão muito úteis para começarmos a construir estudos que possam nos nortear acerca do melhor caminho a ser tomado para o controle desta pandemia”, comentou.

32 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Edenil
    13 Abr 2020 às 09:27

    Gostaria wue fizesse uma matéria comparando o covid-19 com a dengue no estado..com os números de infectados e mortes..dai a população ficaria mais alerta com a dengue pois este ano ja matou muito mais e tem mais de 12 mil infectados que esse coronavirus..se é que vocês reporters conseguem fazer isso!

  • Pedro
    11 Abr 2020 às 09:46

    Acredita quem quiser...

  • franciscadaviddeandrade
    10 Abr 2020 às 20:22

    Muito boa reportagem

  • ivete ferreira de souza souza
    10 Abr 2020 às 19:45

    sinto muito por voce, falando de polica, agora é so vida ou morte

  • Vânia Cista
    10 Abr 2020 às 07:53

    Isso pq na rede pública em Cuiabá não se está realizando as notificações e nem os testes. Pq a realidade é mais alarmante.

  • nelson maciel da costa
    09 Abr 2020 às 20:57

    Totalmente furado essa sua publicação, tem que pesquisarem mas, para poder publicar noticias. Kkkkkkkkkolhar furado.

  • Leonardo
    09 Abr 2020 às 20:57

    Título sensacionalista e caça cliques. Falta de idoneidade jornalística Maior que a média significa 70 casos de corona com zero mortes em 800 MIL PESSOAS. Completamente IRRISÓRIO. RIDÍCULO.

  • Ademir
    09 Abr 2020 às 18:47

    Olha como a materia podia ser outra!!! De todos casos do coronavirus , mais de 80% não era nada!!! Agora imaginem Paletó com a comunista UFMT jintos, nada pode ser pior!!!!!

  • Paulo Lemmos
    09 Abr 2020 às 18:01

    Já esperava por isso!! Tudo o que não presta no mundo, os "especialista" em colocar cuiabá a frente de tudo o que não presta no mundo. Daqui a pouco, irão dizer que aqui tá morrendo mais gente que nos EUA. De há muito venho observando isso. Temos que estar a frente de tudo o que não presta. Façam- me o favor!! Parem por favor de alarmar a população. Essa ipedemia(Covid-19) ainda é bem baixa em Cuiabá. Temos uma população de mais de 600.000 mil hab. Portanto esse indice de infectados,e mortos,é baixissimo.Menor que morte por infarte,por exemplo. Mas vale apenas tomar certos cuidados.

  • VARZEAGRANDENSE
    09 Abr 2020 às 17:39

    TO VENDO MUITA GENTE FAZENDO FESTA DE ANIVERSARIO INFANTIL E DIZ SÓ COM A PARENTAIADA E OS AMIGOS ,DAR FESTA NESSA ÉPOCA E AINDA CONVIDA ??

Sitevip Internet