Olhar Direto

Segunda-feira, 17 de junho de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Fazendeiro acusado de matar Dorothy Stang é denunciado por grilagem de terras

ABr

10 Mar 2009 - 17:32

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou, no último dia 06, denúncia contra o fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão por grilagem de terras e estelionato. Galvão é acusado de ser o mandante do assassinato da missionária americana Dorothy Stang.

Galvão foi acusado pelos crimes de invasão de terras públicas, utilização de documentos do Incra para proveito próprio e tentativa de estelionato de terras públicas. O fazendeiro ocupou a terra do Incra em 1999, segundo o procurador Rodrigo Timóteo. O fazendeiro utilizava um documento do Incra de 1977, que já tinha perdido os efeitos jurídicos, como prova de proprietário da área. Ele tentou utilizar o documento para obter a regularização fundiária no próprio Incra.

Galvão foi preso preventivamente por grilagem no dia 26 de dezembro de 2008. O fazendeiro tentou grilar as terras do lote 55, uma área de 3 mil hectares (30 quilômetros quadrados) em Anapu, no Pará. Galvão recebeu um habeas corpus do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) no dia 18 de fevereiro de 2009.

“Essa terra foi o motivo por trás do homicídio [de Dorothy Stang], pelo menos esse é o indício que tem o processo. Ao que tudo indica, em virtude dessa apropriação indevida da terra pelo Regivaldo é que gerou todo o conflito agrário na região” afirmou Timóteo.

Galvão vai responder ao processo perante a Justiça Federal em Altamira e pode ser condenado a penas que variam entre seis meses e 15 anos de prisão, segundo o MPF.

Há também uma acusação que tramita na Justiça Federal, em Altamira, que acusa Galvão e Vitalmiro Bastos de Moura (também suspeito no assassinato de Dorothy) de manter trabalhadores em situação análoga à escravos.
A missionária Dorothy Stang foi morta com seis tiros em Anapu, a 300 quilômetros da capital paraense, em fevereiro de 2005. Ela participava da Comissão Pastoral da Terra e trabalhava em constante diálogo com lideranças camponesas, políticas e religiosas, na busca de soluções para conflitos relacionados à posse e à exploração da terra na região.
Sitevip Internet