Olhar Direto

Notícias / Cidades

Secretária municipal publica fotos e apelo após ser agredida por companheiro

Da Redação - Isabela Mercuri

06 Jul 2020 - 11:55

Foto: Reprodução / Facebook

Secretária municipal publica fotos e apelo após ser agredida por companheiro
A secretária de administração da prefeitura de Aripuanã, Claudia Tscha, publicou duas fotos e um poema em seu Facebook, após ser agredida pelo companheiro. No texto, ela lamenta: “Quantas vezes me agrediu / sem falar o que eu fiz / eu só queria ser feliz / você não compreendeu”. Ela não divulgou o nome do agressor.

Leia também:
Homem é preso após desacatar bombeiros e jogar pedra em viatura na região do Zero KM

Nos comentários da matéria, amigos lamentam o fato, e dão a entender que as agressões, provocadas pelo companheiro de Claudia, são constantes. “Outra vez enquanto vc n tomar uma decisão de ter amor próprio vai ser assim sinto muito vc sabe o quanto gosto de vc”, disse uma amiga.

A publicação tem mais de cem comentários e 29 compartilhamentos. Muitos dos comentários, no entanto, afirmam que ela precisaria decidir sair do relacionamento. “Realmente é vc quem decide se gosta disso ou não e da um basta. Ou daki uma samana estará postando fotos piores. Só vc sabe das suas escolhas”, disse outra pessoa.

No texto, Claudia também dá a entender que o companheiro estava embreagado: “Apenas vou chorar / recuar mais uma vez / diante a tua embriaguez / nada posso recusar / tudo tenho que aceitar / calada sou agredida / escrava da própria vida”, lamenta.

Violência doméstica

Segundo o Instituto Maria da Penha, a violência doméstica acontece em ciclos. A primeira fase é a do aumento da tensão, em que o agressor mostra-se tenso e irritado com coisas insignificantes, enquanto a mulher, ao tentar acalmá-lo, passa por tristeza, angústia, ansiedade e medo.

A segunda fase é a do ato de violência, quando a tensão se materializa em agressão física, verbal, psicológica, moral ou patrimonial. “Mesmo tendo consciência de que o agressor está fora de controle e tem um poder destrutivo grande em relação à sua vida, o sentimento da mulher é de paralisia e impossibilidade de reação. Aqui, ela sofre de uma tensão psicológica severa (insônia, perda de peso, fadiga constante, ansiedade) e sente medo, ódio, solidão, pena de si mesma, vergonha, confusão e dor”, explica o instituto.

Após esta fase, a mulher geralmente busca ajuda ou faz algum tipo de denúncia. No entanto, logo vem a terceira fase: arrependimento e comportamento carinhoso, ou a “lua de mel”, quando o agressor pede desculpas. “A mulher se sente confusa e pressionada a manter o seu relacionamento diante da sociedade, sobretudo quando o casal tem filhos. Em outras palavras: ela abre mão de seus direitos e recursos, enquanto ele diz que “vai mudar”. Logo depois, a tensão geralmente volta, e é por isso que as mulheres vítimas de violência doméstica precisam de apoio e ajuda psicológica. Para denunciar qualquer tipo de violência contra a mulher, pode-se ligar para 180.

Leia a íntegra do texto publicado por Cláudia:

Quantas vezes me agrediu
sem falar o que eu fiz
eu só queria ser feliz
você não compreendeu
o meu coração sofreu
sentindo o corpo padecer
em troca de tanto amor
tive sofrimento e dor
 
É difícil de entender
porque sou tão submissa
sirvo pra tua cobiça
teu momento de prazer
porém nada vou dizer
o meu direito é se calar
se nem piso na calçada
mesmo assim fico marcada
sem ter forças pra lutar
 
Apenas vou chorar
recuar mais uma vez
diante a tua embriaguez
nada posso recusar
tudo tenho que aceitar
calada sou agredida
escrava da própria vida
 
Gostaria de gritar
para o mundo inteiro ouvir
o tanto que sofri
vivo a merce da sorte
vou me recolher tão cedo
convivendo com o medo
de escrever a própria morte.

22 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Abiloni
    08 Jul 2020 às 10:30

    Filha, fica nessa de poeminha nao, age, chuta o pau da barraca, denuncia, sai fora, faça algo pra vc, valorize a si mesmo e seja feliz. Tem muito macho covarde? Tem, mas twm muito macho que respeita as mulheres tambem. Seja forte!

  • Arigó
    07 Jul 2020 às 10:16

    Já era pra ter pulado fora na primeira agressão né minha filha!

  • Santana Cuiabano
    07 Jul 2020 às 10:07

    Só sei que eu perdi muito a fé nesta Lei. Eu fui vitima ( homem) de uma falsa denuncia de agressão por parte da minha ex mulher, e tive inumeros problemas, mesmo toda a familia dela saber que era uma mentira e serem minhas testemunhas nos processo. Nos finalmente continuo com a medida preventiva sem fazer nada de nada. Agora depois de eu ter passado por isso , vejo quantas mulheres pilantras utilizam está lei para se vingar dos ex maridos e até mesmo afastar dos filhos. Eu não acredito mais nessa conversa , me agrediu, sou uma coitadinha... As coisas não são bem assim!!!!!!!!!!!!

  • DAILSON SOARES DE OLIVEIRA
    07 Jul 2020 às 10:00

    Me passa o nome desse vagabundo que eu vou bater um pagode no beiço dele.

  • Homem BOM - Não
    07 Jul 2020 às 09:20

    Acho muito estranha esta mania das pessoas que não vivem o que a outra está vivendo, ficar julgando tudo como se fossem donos da verdade. Cada pessoa é diferente, o que para alguns pode parecer fácil, para outros não é. Além disto, a tendência é sempre colocar a culpa na mulher agredida. Este comportamento de muitos homens ESTÁ TOTALMENTE ERRADO, NÃO SEJAM CONIVENTES, A CULPA NÃO É DA VÍTIMA! Há muitos homens que não podem se relacionar com ninguém, até que se tratem e tenham condições de viver em sociedade, isto é o que deve ficar claro a vocês. Vamos criar iniciativas de grupos de ajuda aos homens agressivos, que ficaram assim por conta de transtornos psíquicos e pelo modo como foram "educados", pq precisam ser reeducados.

  • OBSERVADOR
    07 Jul 2020 às 08:56

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • oziel vieira da silva
    06 Jul 2020 às 19:49

    faltou um pai macho.....q ele nao ia mais te surrar

  • Paolo
    06 Jul 2020 às 18:41

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • rodrigo
    06 Jul 2020 às 17:23

    E, pelo jeito, ela não vai dar queixa e vai continuar sendo agredida!!! Só publicar foto não vai parar esse monstro! Já deveria ter chamado a policia faz tempo...

  • Elson
    06 Jul 2020 às 17:00

    O tal poema foi a forma que ela encontrou pra dar um basta, tornando público seu sofrimento. Agora precisa de apoio urgente pra sair do convívio do babaca, caso contrário, já sabemos o resultado que a situação terá. Quero dar ideia pros homens de Aripuanã não, mas, cadê o valentão?

Sitevip Internet