Olhar Direto

Quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Sindicalista toma posse e AL limpa pauta de vetos com expressiva vitória do governo

Da Redação - Max Aguiar

30 Set 2020 - 16:25

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Sindicalista toma posse e AL limpa pauta de vetos com expressiva vitória do governo
A sessão plenária desta quarta-feira (30), na Assembleia Legislativa, foi marcada pela limpeza da pauta dos vetos do governador Mauro Mendes (DEM), votação de projetos que permitem a reeleição no Tribunal de Contas e posse de um novo deputado estadual. 

Leia mais:
PEC que permite reeleição no TCE é aprovada com todas as emendas

O que mais chama atenção é a liderança do governo em cima do parlamento, pois apesar de os deputados um dia antes terem reclamado que o governo não atendia aos anseios da sociedade, especialmente com relação aos mais vulneráveis, apenas um veto foi derrubado e outros 15 mantidos, em uma expressiva vitória do governo.

Por problemas na internet da Casa de Leis e no aplicativo dos deputados, o presidente teve que ligar de um por um para que alguns projetos fossem votados. 

Entre eles, houve uma pauta que chamou atenção, que acabou sendo a única cujo veto foi derrubado, que é a permanência de fisioterapeutas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). 

O autor do projeto, deputado Paulo Araújo (Progressistas), não tinha conseguido discutir o veto do governador e por pouco a pauta não passa batida. Por conta disso, Botelho voltou a proposta, deu oportunidade que Paulo queria de discutir e tentar cativar o voto contrário ao veto, e por último ela acabou sendo aprovada. 

O parlamentar agradeceu aos deputados pela derrubada do veto. “Estou muito feliz pela aprovação deste projeto tão importante para o estado, é um projeto de vida, só quem já passou por um leito de UTI sabe da importância desse profissional estar desenvolvendo seu trabalho para a reabilitação, sem dúvida, isso poderá impactar a redução dos gastos e custos de manutenção dos leitos de UTI, vai diminuir o número de dias de permanência de pacientes nos leitos, e principalmente neste momento de pandemia, onde os pacientes de Covid-19, por exemplo, que precisam indispensavelmente do trabalho desse profissional”, pontuou Araújo.

Pela proposta aprovada, todo paciente em situação crítica ou potencialmente crítica deve ser monitorado continuamente, demandando a participação conjunta da equipe médica e de enfermagem e de fisioterapia. Atualmente, conforme a resolução da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é estabelecido que as UTIs devem dispor de pelo menos um fisioterapeuta por dez leitos, nos turnos matutino, vespertino e noturno, perfazendo um total de 18h.

Reeleição no TCE

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) número 17, de 2020, foi aprovada em primeira votação na manhã desta quarta-feira (30) na Assembleia Legislativa (ALMT) com 18 votos favoráveis. A PEC é de autoria de lideranças partidárias e, originalmente, permitia a reeleição somente de Procuradores de Contas, de carreira própria, dirigido pelo Procurador-Geral de Contas.

Com uma emenda – que também foi contemplada – no entanto, passa a ser permitida também a recondução do Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso. A PEC agora será discutida nas comissões, para só depois ir à segunda votação e, por fim, passar pela sanção (ou veto) do governador Mauro Mendes.

Posse de novo deputado


Foto: Fablício Rodrigues

O primeiro suplente de deputado estadual, Henrique Lopes (PT) tomou posse nesta quarta-feira (30), na Assembleia Legislativa, no lugar do também petista Valdir Barranco, que vai se afastar do cargo para disputar a eleição suplementar como candidato ao Senado.

Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso (Sintep), Henrique Lopes, no discurso de posse, conciso como sempre, deixou transparecer que a sua postura será de uma oposição mais dura contra o governo Mendes e citou, como exemplo, a luta pela RGA dos servidores públicos e a questão de vetar, de uma vez por toda, a cobrança de 14% da alíquosta previdenciária para aposentados e pensionistas até R$ 6,1 mil. 

Henrique obteve na eleição passada 18,3 mil votos, mais sufrágios do que muitos dos deputados que compõem o Legislativo, mas por força da quoeficiente eleitoral ficou de fora. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet