Olhar Direto

Notícias / Política MT

Janaina critica Seduc por tratar escolas como ‘pacote fechado’ e lançar mudanças em período eleitoral

Da Redação - Isabela Mercuri / Do local - Max Aguiar

08 Dez 2020 - 15:18

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Janaina critica Seduc por tratar escolas como ‘pacote fechado’ e lançar mudanças em período eleitoral
A deputada estadual Janaina Riva (MDB) criticou as ações do novo secretário de Estado de Educação, Alan Porto, em relação ao fechamento de escolas. Segundo ela, cada caso deve ser analisado individualmente, e não como um ‘pacote fechado’. A parlamentar também não concordou com a decisão ter sido tomada durante o período eleitoral, quando os prefeitos não conseguiam vir para Cuiabá participar das discussões.

Leia também:
Professores afirmam que receberam comunicação informal de fechamento de Escola e se mobilizam

“Eu conversei com o Alan. O que eu falei para ele é o seguinte, a gente não pode tratar das escolas como se fosse um pacote fechado. A gente tem que analisar a realidade de cada uma delas. Por exemplo, eu sei de uma escola em Nortelândia, que ela atende muito a zona rural, e se ela for fechada os alunos têm que ir para o outro lado da cidade, e muitos deles vão até a pé. Como a gente vai fazer numa situação como essa? Então a gente vai ter que analisar caso a caso, e outra, com os prefeitos, porque tem prefeito que está dizendo que não tem condição de absorver. Então quer dizer, como eu vou passar essa responsabilidade que é minha para outro, sem nem dialogar?”, afirmou a deputada na última semana.

Alan participou de uma audiência pública sobre o assunto na última semana, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Na ocasião, ele afirmou que nenhuma escola seria fechada, mas elas seriam reordenadas e algumas passariam para o comando dos municípios. O deputado estadual Lúdio Cabral (PT), um dos principais opositores a esta ação da Seduc, criticou o fato de o secretário ter tomado as decisões sem discuti-las com os servidores das escolas.

“Eu acho que tem que pontuar uma por uma, porque de fato alguns prefeitos já me disseram que algumas escolas realmente estão inviabilizadas pelo número de alunos”, afirmou Janaina. “E eles podem, inclusive, usar a estrutura da escola estadual para absorver municipal. Quer dizer, tem prefeito que tem esse interesse, inclusive, de pegar estadual para ele, e colocar os alunos dele lá, se livrar de um prédio, de um aluguel que ele tem ali. Mas para isso ele precisa conversar um por um. E isso foi lançado no período eleitoral. Horrível, os prefeitos nem podiam sair de lá para vir aqui discutir. Aí a gente pediu para eles, olha, a gente suspende isso aí, espera passar a eleição, para vir prefeito a prefeito, como comitiva de vereadores, vamos ouvir cada um deles, e depois se adotar e tomar uma decisão. Não é todas que estão erradas, mas não todas também estão certas em ser fechadas”, completou.

Janaina, agora, pretende realizar uma conversa com prefeitos e vereadores e, em suas palavras, “colocar na ponta do lápis” qual seria a real economia de cada decisão. “E levar em consideração também o impacto social, porque eu acho que é isso que a Seduc não está levando em consideração. O impacto social muitas vezes é muito mais importante do que o impacto financeiro. Porque se você tem uma realidade de alunos que não conseguem ser atendidos por outra escola, você tem que rever esse posicionamento”, afirmou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet