Olhar Direto

Notícias / Cidades

PRISÃO PREVENTIVA

Empresário que assediou jovem de 18 anos e outras vítimas em entrevista de emprego é preso

Da Redação - José Lucas Salvani

27 Fev 2021 - 14:36

Foto: Reprodução

Empresário que assediou jovem de 18 anos e outras vítimas em entrevista de emprego é preso
O empresário Claudinei Panta da Silva, de 45 anos, acusado de assediar uma jovem de 18 anos e outras três mulheres durante entrevista de emprego, foi preso na tarde desta sexta-feira (26), em ação para cumprimento de mandado de prisão preventiva. O homem foi preso  pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DDM), após ser visto saindo de um estabelecimento comercial em Cuiabá.

Leia mais:
Por conta de som alto de vizinhos, jovem com síndrome rara faz vaquinha para conseguir isolamento acústico do quarto

Segundo o delegado responsável pelas diligências, Cley Celestino Batista, a equipe da Delegacia da Mulher já estava em investigações e serviços de campana há alguns dias, quando na sexta-feira (26) uma policial civil avistou o empresário saindo de um comércio na Capital. "De imediato a investigadora solicitou apoio de uma equipe da Delegacia Fazendária (Defaz), que prontamente auxiliou no cumprimento do mandado de prisão e condução do autor", destacou o delegado.

O caso aconteceu em outubro de 2020. Segundo informações da Polícia Judiciária Civil (PJC), a vítima de 18 anos levou o currículo na loja, no bairro Jardim Leblon, após visualizar o anúncio de emprego com vaga para atendente de assistência técnica, na rede social da empresa.

No local, a jovem foi recebida pelo proprietário do estabelecimento que pediu para que a vítima retornasse no final da tarde com roupa mais adequada para que ele e a gerente da loja visualizassem melhor sua aparência.

Quando a jovem retornou à loja, o suspeito estava sozinho e começou a fechar o estabelecimento, dizendo que a gerente tinha saído, mas que logo retornaria. A partir desse momento, o suspeito passou a assediar a vítima, falando sobre as tatuagens que ela tinha pelo corpo, pedindo para que ela trocasse de roupa e colocasse o uniforme da empresa e em seguida andasse pela loja para ele avaliá-la.

Durante a entrevista, o proprietário disse que faria um teste com ela e que cada pergunta que ela errasse teria que tirar uma peça de roupa, momento em que também começou a tocar o corpo da jovem para ver suas tatuagens. Muito nervosa e chorando, a vítima conseguiu se desvencilhar do suspeito que ainda tentou convencê-la a voltar na loja no dia seguinte.

Ela saiu da empresa e procurou o Plantão de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual para registrar a ocorrência. Imediatamente, a equipe policial de plantão coordenada pela delegada Jannira Laranjeira Siqueira Campos iniciou as diligências para identificar e localizar o suspeito, que foi preso em flagrante em uma residência no bairro Ribeirão do Lipa em Cuiabá.

Além da vitima em questão, outras três mulheres registraram ocorrência da mesma natureza, também em 2020, imputando ao autor o crime de importunação sexual e assédio sexual.  Na narrativa das vítimas, a Polícia Civil constatou o mesmo "modus operandi" contra todas.

A delegada Jozirlethe Magalhães Criveletto ressalta que a investigação também reporta para a importância da denúncia por parte das vítimas. "A partir do momento em que não somente a primeira vítima, mas outras criaram a coragem para denunciar o autor, houve condições de se representar por uma prisão preventiva com bases sólidas, de que esse autor, estando livre, poderia vir a praticar o mesmo crime contra outras vítimas", frisou a delegada.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet