Olhar Direto

Sábado, 24 de julho de 2021

Notícias | Cidades

Bairros Popular e Goiabeiras

Comerciantes reclamam de transtornos e queda no faturamento com atraso em obras da Águas Cuiabá; foto e vídeo

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Comerciantes da Avenida Estevão de Mendonça relatam queda no faturamento

Comerciantes da Avenida Estevão de Mendonça relatam queda no faturamento

As obras da Concessionária Águas Cuiabá para a instalação de redes coletoras de esgoto nos bairros Popular e Goiabeiras têm causado prejuízos aos comerciantes da região. Planejadas para as Avenidas Dom Bosco, Filinto Muller, Estevão de Mendonça e arredores, segundo relatos, as intervenções já duram meses. A Águas Cuiabá, por sua vez, reconhece o desafio de realizar as atividades em uma área tão movimentada, mas esclarece que tem se esforçado para minimizar os impactos, e informa que os reparos devem ser concluídos na primeira quineza de agosto.
 
Leia também:
Avenidas de Cuiabá são bloqueadas para obras da Águas Cuiabá; veja trechos

“[As obras] já tem uns dois meses mais ou menos, nessa rua, abre um buraco, fecha outro buraco e não para. As pessoas estão deixando de passar na rua. Tem cliente que fala que não entra aqui porque faz muito movimento, não tem onde parar e suja o carro. Vem caminhão entregar e não consegue entregar”, conta ao Olhar Direto, uma vendedora de uma loja de arquitetura que fica localizada na Avenida Filinto Muller. 
 
Trecho da Filinto Muller interditada. (Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto)

A queixa é a mesma de Adriano Elizardo, dono de um pet shop que fica na Avenida Estevão de Mendonça. De acordo com o empresário, o faturamento do seu negócio foi fortemente atingido em decorrência da interdição da rua por 15 dias, enquanto esteve em obras. Neste momento, ele segue com fluxo reduzido, devido às intervenções que se estendem na avenida vizinha. 

“[No início do mês] eles mandaram uma carta de aviso, que ia ficar previsto o fechamento da rua por 7 dias, mas, na realidade, a obra levou 15 dias, com fechamento total da rua. O meu faturamento, por exemplo, caiu em 30% e agora de novo, a gente percebeu que caiu bastante o nosso faturamento aqui”, relata Elizardo. 

A reclamação dos comerciantes consiste principalmente no fato das obras serem feitas com recorrência nesta região. Na Estevão de Mendonça, por exemplo, onde está o pet shop de Adriano, é a segunda vez, apenas neste ano, que estão sendo feitas intervenções.  

“Essa é a segunda vez. Eles tinham mexido um tempo atrás. A primeira vez eles até avisaram, eles falaram que era por conta do esgoto, essas coisas, a gente até entendeu, mas essa segunda vez eles não deram nenhum aviso, não explicaram o que que era, só mexeram”, conta a funcionária de outro comércio que também fica na avenida, desta vez um consultório odontológico. 

Com intervenções finalizadas, na Estevão de Mendonça o asfalto ainda tem sinais das obras. (Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto)

Na Avenida Dom Bosco, onde a Águas Cuiabá também realiza intervenção e bloqueou de metade da rua, o dono de uma loja de materiais de construção, que se identificou apenas como Edilson, também compartilha a mesma angústia. Apesar de ter iniciado recentemente, com base na reclamação dos comerciantes das outras avenidas, ele prevê que as obras devam se estender mais do que o informado. 

“Aqui na rua começou essa semana, mas ao redor, já tem umas três semanas. Impacta no trânsito, nos clientes. Hoje mesmo entrou 3 ou 4 clientes na loja, o faturamento vai lá embaixo. Numa época de pandemia, não tá fácil. Aqui na Estevão de Mendonça também tinha os restaurantes, que também ficou praticamente duas semanas sem funcionar, porque paralisou o trânsito. Aqui, acredito que vá ficar uma semana para mais pelo menos”, comenta Edilson. 
 
Edilson é dono de uma loja de materiais de construção que também sente o impacto no faturamento. (Foto: Olhar Direto)

Para ele, diante do prejuízo ao qual os comerciantes são expostos, o Executivo Municipal deveria compensá-los. Uma hipótese, citada por ele, é a restituição através do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). “ Ele tá aí para pagar no início do ano e esses prejuízos que eles estão dando, eles não contam, ajuda nenhuma vem da prefeitura”, completa. 

O que diz a Águas Cuiabá 

A Águas Cuiabá reconhece o desafio às equipes de engenharia civil, sanitária e de trânsito que atuam nas obras de instalação de redes coletoras de esgoto nas regiões citadas pela reportagem no bairro Popular e Goiabeiras. De acordo com a empresa, para mitigar impactos, têm realizado trabalho noturno e empenhando esforços para minimizar os impactos a comunidade. O órgão diz ainda que as intervenções nessa região tem como previsão de término a primeira quinzena de agosto. 

Leia a nota na íntegra

A Águas Cuiabá empreende na região do bairro Popular/Goiabeiras, nas Avenidas Dom Bosco, Estevão de Mendonça, Filinto Muller e arredores, a instalação de redes coletoras de esgoto. Trata-se de medida importante para o saneamento e a elevação dos índices de sustentabilidade na capital de Mato Grosso. A atuação na área, altamente adensada e bastante movimentada, certamente é desafiadora às equipes de engenharia civil, sanitária e de trânsito, que vêm empenhando esforços para causar o menor impacto possível à comunidade. Prova disso é a realização de turnos de trabalho em horário noturno, das 19h às 5h. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos na primeira quinzena de agosto. Importante ainda destacar que as interdições no trânsito se fazem necessárias para que o serviço seja executado com segurança aos colaboradores e à população local. Todas as obras são previamente apresentadas e contam com o auxílio da Secretaria de Mobilidade. A população pode acompanhar pelo aplicativo Waze os trechos em obras e buscar as melhores alternativas para trafegar.





Comentários no Facebook

Sitevip Internet