Olhar Direto

Sábado, 25 de junho de 2022

Notícias | Política MT

BASTIDORES DA CRISE

Para Medeiros, STF “ressuscitou” Daniel Silveira e postura do Congresso atrapalha reeleição de Pacheco e Lira

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Para Medeiros, STF “ressuscitou” Daniel Silveira e postura do Congresso atrapalha reeleição de Pacheco e Lira
O deputado federal José Medeiros (PL) expôs os bastidores da crise instalada entre o Governo Federal e o Supremo Tribunal Federal. Segundo o parlamentar, o ministro Alexandre Moraes teria “desprestigiado” o Congresso ao, em sua avaliação, exagerar na dosimetria da pena dada ao deputado Daniel Silveira (PTB). Além disso, segundo Medeiros, a postura dos presidentes da Câmara e do Senado frente a situação irá comprometer a reeleição de Arthur Lira (PP) e de Rodrigo Pacheco (PSD) ao comando das Casas.

Leia mais:
Rosa Neide diz que indulto a Silveira é “desrespeito ao poder judiciário” e trabalha para que decreto perca validade

“Se o Alexandre de Moraes tivesse juízo, ele teria deixado essa história na nossa mão e hoje o Daniel estaria cassado. Mas ele deixou o cara preso por 11 meses, criou-se uma inquietação na Câmara, todo mundo começou a entender como se ele estivesse passando recado. Quer dizer, levou a coisa pro campo pessoal”, avaliou Medeiros.  

“Não é desmerecer o deputado, mas ele nem existia antes dessa coisa. Ou seja, o Alexandre está deixando o Supremo do tamanho do Daniel. E levando o Lira e o Pacheco pra essa vala, porque os deputados e os senadores tão sentindo que eles não tomaram nenhuma atitude, não controlam a situação. Todo mundo está com medo de estar no lugar do Daniel amanhã e os presidentes não fazerem nada. Isso pode comprometer a reeleição dos dois no comando das Casas”, completou o parlamentar.

Daniel Silveira foi condenado a nove anos e oito meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal por incentivar ataques contra ministros da Corte. A sentença, além da prisão, acarretaria na perda do mandato e de direitos políticos.

Um dia após o julgamento, o presidente Jair Bolsonaro (PL) publicou um decreto em que perdoava a pena imposta ao deputado. A extinção da punibilidade em decorrência da graça concedida ainda precisa ser validada pelo STF.

“O Daniel falou aquelas coisas e a maioria esmagadora dos parlamentares não concordou com nada daquilo, mas quando o STF decretou a prisão dele todos achamos que era exagero. O raciocínio que tivemos é de que ele merecia uma lição pedagógica sim e até para prestigiar o STF, o entendimento da Câmara era votar pela manutenção da decisão. Até agora a Câmara tem feito tudo, atendido todos os pedidos do Supremo, mas o Alexandre tem reiteradamente insistido nessa história, ele não se toca. Isso não desgasta o Daniel, mas desgasta muito a relação com o Supremo”, pontuou José Medeiros.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet