Olhar Direto

Sexta-feira, 01 de julho de 2022

Notícias | Política MT

operação da PF

Cattani não vê envolvimento de Bolsonaro em escândalo do MEC e diz que fala de ministro sobre cumprir ordens é “esporádica”

22 Jun 2022 - 17:45

Da Redação - Isabela Mercuri / Do Local - Érika Oliveira

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Cattani não vê envolvimento de Bolsonaro em escândalo do MEC e diz que fala de ministro sobre cumprir ordens é “esporádica”
O deputado estadual Gilberto Cattani (PL) afirmou que não acredita que o presidente Jair Bolsonaro (PL) esteja envolvido no suposto esquema de corrupção no Ministério da Educação (MEC). Para ele, a fala do ex-ministro Milton Ribeiro de que tomava as atitudes a mando do presidente são “esporádicas”, e tê-las nos autos não é relevante: “Auto é papel, você pode escrever o que quiser”, afirmou, na manhã desta quarta-feira (22).

Leia também:
Ex-ministro da Educação é preso em operação da PF que investiga corrupção; pastores são alvos

O ex-ministro foi preso pela Polícia Federal nesta quarta-feira (22). Ele é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC. Os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura também são alvos da operação deflagrada pela PF, investigados por atuar informalmente junto a prefeitos para a liberação de recursos do Ministério da Educação.

Bolsonarista, Cattani afirmou que a base trata o que aconteceu com transparência. “Antes se pegava um criminoso tentava fazê-lo ministro pra ele poder ter imunidade. Agora não. Assim que saiu a conversa do ministro ele já foi retirado do Ministério”, disse. Questionado se o Governo já sabia da operação e possível prisão quando o então ministro foi exonerado, ele afirmou que as informações eram somente as publicadas na imprensa.

O parlamentar ainda defendeu a atitude do presidente Bolsonaro, que há alguns meses afirmou que “colocaria a cara no fogo” por Ribeiro, e nesta quarta-feira (22) afirmou que não tem como controlar todos os indicados. “Não é questão de abandonar barco desse ou daquele. A questão é que se o Milton cometeu alguma irregularidade ele tem que pagar, nossa visão de direita é essa”, afirmou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet