Olhar Direto

Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Notícias | Picante

No Tribunal de Justiça

Ativista transexual diz ter sido impedida de discursar em evento sobre diversidade

Foto: Reprodução

No Tribunal de Justiça
A ativista e jornalista transexual, Leonora Áquilla, coordenadora de Políticas para LGBTQIA+ da prefeitura de São Paulo, se irritou com evento realizado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), o 1º Seminário LGBTQIA+ Prisional de Mato Grosso, na manhã de terça-feira (28), após ter sido impedida de discursar na cerimônia de abertura. Em vídeo, Leonora aparece nervosa, cobrando das autoridades respostas sobre o que esperar desses eventos. "Estou com 53 anos e eu vejo a hipocrisia que é esse sistema nacional que diz acolhe, mas não acolhe, que diz ama, mas não ama, que diz que respeita, mas não respeita. Eu sou uma mulher transexual, eu sinto na pele o que é ser uma mulher calada. Mais uma vez fui silenciada e me senti péssima aqui e não vou nunca na minha vida mais aceitar ser silenciada, nunca mais em lugar nenhum vão calar a minha voz. Eu não sou modelo, não estou aqui de enfeite. E eu queria fazer uma pergunta para que as autoridades presentes respondam no decorrer dos dias, o que é esse evento? O que vai virar esse evento? É só mais um seminário para constar? É só mais uma pauta que vai ser escrita? Qual a resposta que vamos ter? Como iremos ver o resultado disso aqui chegar nas pessoas que precisam? Porque é isso que interessa, nós cansamos de lindos discursos”, disse.

Outro lado

O Poder Judiciário de Mato Grosso informa que a coordenadora Municipal da Diversidade de São Paulo, Leonora Áquilla, foi convidada especial do evento 1º Seminário LGBTQIA+ Prisional de Mato Grosso. Ela foi debatedora da Quarta Mesa que teve como tema: Defesa de Direitos, Estado e Organizações da Sociedade Civil e as Perspectivas Penais. 

Ela, a secretária nacional dos Direito LGBTQIA+ do Ministério dos Direitos Humanos, Simmy Larrat, assim como o organizador do evento, presidente da Associação Mais Liberdade e presidente da Rede Nacional de Atenção à pessoa Egressa do sistema Prisional, Sandro Augusto Lohmann, compuseram a mesa. Na oportunidade da abertura apenas representantes de instituições parceiras como TJMT, Governo do Estado, Ministério Público e Defensoria Pública tiveram fala. 

Assim que o representantes concluíram suas falas as mesas de debates foram iniciadas e o evento que pretende amadurecimento da sociedade e a defesa da população LGBTQIA+ que está encarcerada, ou seja, egressa dos Sistema Prisional  está tendo total sucesso.

 
Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Mais Picantes

Comentários no Facebook

xLuck.bet - Emoção é o nosso jogo!
Sitevip Internet